Messi pode ir ao City (Foto: AFP)

A princípio, Lionel Andrés Messi, 33, chegou ao Barcelona logo cedo. Dessa maneira, o clube Blaugrana formou no ‘quintal de casa' um craque, um e.t , um jogador excepcional. O argentino conquistou grandes títulos pelo seu desempenho nos campos europeus. Foi considerado seis vezes O Melhor Jogador do Mundo, pela FIFA (2009 , 2010, 2011, 2012, 2015 e 2019). Enfim, o currículo de Leo transborda de tanto talento. Sendo assim, a coluna Navegando pela La Fúria, decidiu relembrar alguns momentos do camisa 10.

O INÍCIO DE UM SONHO

Decerto o passado de Messi é conhecido de trás para a frente por todos os amantes de futebol. Mas para entendermos como o jovem tornou-se um dos melhores jogadores da história é preciso olhar para trás. Dessa maneira, relembramos que o início de sua carreira na equipe profissional se deu no ano de 2003. Em um amistoso contra o Porto, o atleta entrou em campo por 15 minutos.

Avançando alguns anos, chegamos em 2007. Considerado o primeiro passo para a chegada do auge do jogador. Com 19 gols na temporada -número considerado baixo se comparado aos posteriores-, disputou o título de melhor jogador do mundo ao lado de nomes como Ronaldinho Gaúcho e Kaká. Também durante essa temporada, realizou um dos gols mais bonitos de sua carreira. Em uma partida contra o Getafe, arrancou do meio campo e foi driblando os rivais um a um. Dessa forma, tirou o goleiro da jogada e mandou a bola para o fundo do gol.

DEU TUDO CERTO!

Ainda que não conquistasse o título da La Liga, a temporada 2011/12 foi de extrema importância para Messi. Durante esse período, o atleta estabeleceu o recorde de mais gols marcados em uma única temporada pelo Campeonato Espanhol. Ao mesmo tempo, conquistou o posto de maior goleador da história do Barcelona. O atacante marcou 82 tentos no período de 12 meses. Sendo 73 deles em 60 partidas oficiais. Como resultado, teve uma média de 1,21 gol por partida. Contudo, viu o caneco parar nas mãos do Real Madrid.

Dando continuidade ao alto nível estabelecido nos campos, sem dúvida, Lionel Messi foi imprescindível durante a temporada 2012/13. Só para exemplificar sua importância, foi o artilheiro com 45 gols marcados, 10 a mais que CR7. E diferentemente da temporada passada, levou o troféu para casa. Decerto foi uma excelente temporada para o clube catalão. Encerrou a campanha com 100 pontos na tabela, 15 a mais que os Merengues. Além disso, em um total de 38 partidas, venceu 32 delas, empatou quatro vezes e perdeu apenas dois jogos.

A POSTURA DE MESSI EM CLÁSSICO

REAL MADRID 2 X BARCELONA 3 (2017)

Antes de tudo, o ‘El Clásico' em questão, foi válido pela 33ª rodada da temporada 2016/17. Os dois maiores rivais da Espanha disputavam ponto a ponto a liderança. Tanto que no final o Real foi campeão com três pontos de diferença do Barça. Logo no início, Messi levou uma cotovelada acidental do lateral Marcelo e começou a sangrar. Contudo, continuou o jogo em plena forma. Os donos da casa abriram o placar com Casemiro. Logo na sequência La Pulga empata. Mais um dos visitantes aos 73′ com Rakitic. James Rodriguez deixa tudo igual. Faltando segundos para o árbitro encerrar a partida, o argentino aparece e faz o gol da virada. Na comemoração, tira a camisa e mostra para a torcida adversária. Dessa forma, calou o Santigo Bernabéu e mostrou seu poder de decisão.

A MARCA DE 700 GOLS OFICIAIS

Antes da paralisação da Liga Espanhola por conta do novo coronavírus, o Barcelona ocupava a liderança na tabela. Contudo, no retorno dos jogos, perdeu seu posto para o rival, o clube madrilenho. Todavia, mesmo com tal adversidade, Messi conquistou mais recordes na carreira. Na última partida válida pela 38ª rodada, o Azul-Grená venceu o Alavés por 5 x 0. Após o apitar do árbitro, tornou-se oficialmente o maior assistente da história do campeonato em uma única temporada. Mesmo estando abaixo de sua média conquistada ao decorrer dos anos, marcou 25 tentos e serviu 21 passes para o gol.

Surpreendentemente, as conquistas durante a temporada 2019/20 não param por aí. O craque tornou-se o segundo jogador em atividade a alcançar 700 gols oficiais. Cristiano Ronaldo é o outro autor da honraria. Todavia, Lionel precisou de 114 jogos a menos que o português para marcar a mesma quantidade de tentos. Sendo assim, aos 33 anos de idade, o atleta continua extasiando os quatro cantos do mundo com a bola nos pés.

Foto Destaque: Reprodução/Lluis Gene/AFP

Avatar
Giovanna Monteiro
Cursando o 4º semestre de Jornalismo na Universidade Anhembi Morumbi, apaixonada por esportes desde os 7 anos e hoje com a cabeça e o coração encaminhados ao Jornalismo Esportivo.

Artigos Relacionados