Alex Santos: a narrativa da paixão de um nipo-brasileiro

- A paixão de um brasileiro de nascimento e japonês de coração
Alex Santos

Celeiro de craques, o Brasil é um dos países onde a paixão pelo futebol é vista como uma das mais intensas do mundo. Pode-se comparar o sentimento de torcedores como o de um amor platônico, daqueles do tipo que aflora a alma, típico de uma relação física entre casais. Porém, para o jovem Alex Santos, o sentimento parece não ter sido reciproco.

Pupila japonesa no passado, o garoto foi um dos atletas brasileiros à trocar de nacionalidade e atuar em outra seleção. Sobretudo, com toda vasta categoria de craques, a Seleção Brasileira é um sonho de consumo para jovens que estão iniciando carreira no futebol. Entretanto, nem sempre a Canarinho consegue dar conta de selecionar tantos atletas. Sendo assim, muitos de nossos jogadores acabam que por migrar para outras seleções, em busca do reconhecimento de seu futebol, assim como Alex.

Filho mais velho do futebolista profissional Wilson dos Santos, o jovem garoto iniciou a carreira profissional aos 16 anos e cresceu com a equipe juvenil do Grêmio, em Maringá, sua cidade natal, cujo pai também fora participante. Simultaneamente, em agosto de 1993, o Sr. Yasuo Kitamura, diretor do clube de futebol da escola Meitoku Gijuku, e o técnico brasileiro José Carlos, visitaram o Brasil, por modo de'peneirar' jovens brasileiros para o futebol japonês.

Todavia, além da oportunidade em jogar no Japão, os selecionados também ganhariam bolsas de estudo para estudarem no país. Desse modo, os jovens estudantes foram altamente avaliados em jogos práticos. Eventualmente, quatro garotos foram selecionados, incluindo Alex. A principio, a oportunidade animou o garoto que, anteriormente no ensino médio, nunca haverá de ser reconhecido, pois nunca havia superado as eliminatórias da prefeitura. No país, Alex pode mesclar sua desenvoltura em campo, em vista que de zagueiro, o jovem passou a desempenhar diversas funções. Assim, gradualmente avançou durante seus estudos em Meitoku.

Em suma, após ingressar na escola japonesa de Meitoku Gijuku como estudante de futebol, se tornou o mais jovem a ganhar o prêmio de Jogador do Ano da J-League, isso em 1999. Posteriormente, se transferiu para o Urawa Reds Diamonds em 2004 e jogou no Red Bull Salzburg na Áustria em 2007. Retornou ao Japão em 2008 e trabalhou novamente no Urawa, além do Nagoya Grampus Eight e o FC Gifu, Tochigi SC.

Similarmente, se naturalizou em 12 de novembro de 2001 no Japão. Atualmente dual-nacional com o Brasil. Antes da naturalização, seu nome verdadeiro era Alessandro dos Santos, e o nome registrado na época era Alex. Depois de adquirir a nacionalidade japonesa em 2001, foi convidado para a equipe nacional de futebol de 2002 a 2006, no qual participou de 82 jogos e deixou sete gols. Participou da Copa do Mundo da FIFA duas vezes (Jogos Japão-Coréia de 2002, Jogos da Alemanha de 2006) e venceu a Copa da Ásia de 2004

Japão
Divulgação/Terra

 

Karine Valbusa

Sobre Karine Valbusa

Karine Valbusa já escreveu 261 posts nesse site..

Jornalista em formação. Atualmente curso o 6° semestre em jornalismo pela Unicsul. Esporte sempre foi uma paixão, escrever foi um hobby descoberto. Desse modo, fiz do útil, agradável. Prazer, sou Karine Gomes 😉

BetWarrior


Poliesportiva


Karine Valbusa
Karine Valbusa
Jornalista em formação. Atualmente curso o 6° semestre em jornalismo pela Unicsul. Esporte sempre foi uma paixão, escrever foi um hobby descoberto. Desse modo, fiz do útil, agradável. Prazer, sou Karine Gomes ;)

    Artigos Relacionados

    Topo