Os 104 anos de um clube consagrado

O calendário marcava dia 09 de abril de 1912, dia no qual os jovens Francisco Raymundo Marques, Argemiro de Souza Júnior e Mário Ferraz de Campos marcaram uma reunião para fundar um novo clube. O motivo? A cidade de Santos estava sem time devido à transferência do Esporte Clube Americano para São Paulo e à extinção do Clube Atlético Internacional.

Naquele dia, após reunião dos três jovens, o Diário de Santos publicou:

Um novo clube de football

Varios sportsmen desta cidade estão empenhados em organisar um poderoso club de football, tendo já para isso, conseguido um vasto e esplendido terreno de propriedade do Sr. J.D. Martins, na rua Aguiar de Andrade, no Macuco, onde será installado o ground da nova sociedade sportiva.
Era já sensível a falta, entre nósm de um bom clube dedicado ao bello sport do football. Acreditamos que o novo clube venha preencher essa lacuna. 

No dia 15 de Abril veio então a confirmação pelo Diário:

Fundou-se hontem nesta cidade, sob os melhores auspiciosos o ”Santos Foot-Ball Club”, com o elevado numero de 146 socios. 

Mais do que isso, atestou que o clube tinha adotado as cores branca, azul e dourada como oficiais da equipe. Apenas no ano seguinte, em 1913, que o Santos tornou-se alvinegro, adotando o branco e preto como oficiais.

O primeiro campo utilizado pela equipe localizava-se na antiga Rua Aguiar de Andrade, onde o Santos treinou até 1917. Todas as partidas realizadas neste local foram consideradas amistosa, pois as medidas do campo não eram oficiais.

Outro fator importante diz respeito aos distintivos utilizados pelo clube. O Santos teve apenas dois: o primeiro era estampado nas camisas de listas horizontais dos anos de 1940; o segundo é o atual, tendo passado apenas pela adição de duas estrelas douradas acima do emblema, as quais fazem referência aos títulos mundiais de 1962 e 1963.

A primeira competição oficial disputada pelo Santos se deu no ano de 1913. O Alvinegro estrearia pelo campeonato paulista no dia 1º de Junho daquele mesmo ano. Em sua primeira partida oficial, derrota de 8 a 1 para o Germânia. Pelo campeonato estadual, em 1927, o Santos atingiu a marca de 100 gols durante uma competição, marca histórica que dura até hoje. O ataque era formado por Omar, Camarão, Feitiço, Araken e Evangelista.

O estádio Urbano Caldeira, popularmente conhecido como Vila Belmiro, foi construído em 1916 e recebe este nome para homenagear Urbano Vilella Caldeira Filho, jogador, técnico, dirigente e um dos patronos do clube ao qual dedicou sua vida até o ano de seu falecimento, em 1933.

No ano de 1956, chegou ao Santos, por intermédio de Waldemar de Brito um menino de 15 anos, franzino, cujo nome era Edson Arantes do Nascimento, carinhosamente apelidado de Pelé. O então garoto, que nos futuros anos se tornaria o maior jogador da história do futebol mundial, uniu-se a Pepe, Coutinho, Mengálvio e Dorval para formar o ataque alvinegro responsável pela década de ouro. No perído compreendido entre 1960 e 1969, foram 23 títulos conquistados, como um bicampeonato da Libertadores e um pentacampeonato da Taça Brasil.

Pelé saiu do Santos em 1974, mas quatro anos depois, o Alvinegro formaria a primeira geração dos Meninos da Vila – Juary, Pita, Aílton Lira e João Paulo – , responsável pela conquista do título paulista de 1978.

Após os anos dourados, o Santos amargou um período sem títulos. No ano de 1995, porém, disputou a final do campeonato contra o Botafogo. Em uma final muito polêmica, o time formado por Giovanni, Robert e companhia foi derrotado e ficou com o vice-campeonato.

Em 2002, porém, a redenção. No sistema de mata-mata, o Santos classificou-se na última colocação, em oitavo lugar. O time comandado por Emerson Leão, composto pela segunda geração dos Meninos da Vila – Léo, Renato, Diego e Robinho – surpreendeu e venceu o Corinthians. Na final, Robinho eternizou as oito pedaladas para cima de Rogério. No ano seguinte, o Santos foi vice da Libertadores e do Brasileirão.

Em 2004, sob a batuta de Luxemburgo e Robinho, o Alvinegro foi novamente campeão brasileiro.

Em 2010 a mais recente geração de Meninos da Vila foram arrasadores. O ataque formado por Ganso, Neymar, Robinho e André conquistou a primeira Copa do Brasil da história do clube. No ano seguinte, após 48 anos de jejum, o Alvinegro voltou a conquistar uma Libertadores.

Recentemente, o Santos ostenta a marca de sete finais consecutivas pelo campeonato estadual, tendo conquistado cinco deles. No ano de 2015, ficou em segundo lugar na Copa do Brasil e terminou em sétimo lugar no Campeonato Brasileiro.

É imensurável a grandeza deste clube, que ostenta marcas impressionantes e é conhecido como o time que parou uma guerra. Dentre os recordes do Alvinegro, destacam-se:

    • É do Santos, a maior média de gols em um campeonato corrente e oficial. Em 1927, o Peixe fez 100 gols em 16 jogos pelo Campeonato Paulista, média de 6,25 por partida.
    • O Santos é o clube que mais fez gols em um mesmo século. Mais de 10.300 gols no século XX.
    • O Santos foi o primeiro clube, a ter dois jogadores que ultrapassaram a marca de 400 gols. Pelé com 1091 gols e Pepe com 405 gols. O clube também foi o primeiro a ter três jogadores que ultrapassaram a marca de 300 gols, além de Pelé e Pepe, Coutinho atingiu a marca, com um total de 370 gols.
    • O Santos é o clube que fez mais gols em um mesmo ano. Foram 342 gols em 1959.
    • O Santos é o clube que mais atraiu público no Maracanã, excluindo jogos que não envolvia clubes cariocas e a Seleção Brasileira. 132.728 pessoas assistiram a vitória do Alvinegro por 4 a 2, contra o Milan, pela Copa Intercontinental de 1963.
    • Foi do Santos, o jogador mais novo a marcar gols em Copas do Mundo , Pelé com 17 anos. Pelé também foi o mais novo jogador, a jogar uma final de Copa do Mundo em 1958
    • O Santos é o clube que teve o jogador mais novo convocado para a Copa do Mundo. Edu com 16 anos incompletos em 1966.
    • Em 1962, o jogo do Santos contra o Benfica pela Copa Intercontinental, fez com que o horário de transmissão da Hora do Brasil, fosse alterado pela primeira vez nas rádios, para a partida ser narrada ao vivo.

De 1912 a 2016, de Pelé a Neymar, a história do Santos Futebol Clube ganha mais um ano de vida.

Nascer, viver e no Santos morrer é um orgulho que nem todos podem ter.

André Siqueira Cardoso

Sobre André Siqueira Cardoso

André Siqueira Cardoso já escreveu 313 posts nesse site..

Sou André Siqueira Cardoso, tenho 21 anos. Aluno de jornalismo da Escola de Comunicação e Artes da Universidade de São Paulo (ECA-USP), atualmente trabalho em VEJA, com a cobertura do noticiário político. Apaixonado por esportes, jogador de futebol até hoje, tenho o sonho de cobrir uma Copa do Mundo.

BetWarrior


Poliesportiva


André Siqueira Cardoso
André Siqueira Cardoso
Sou André Siqueira Cardoso, tenho 21 anos. Aluno de jornalismo da Escola de Comunicação e Artes da Universidade de São Paulo (ECA-USP), atualmente trabalho em VEJA, com a cobertura do noticiário político. Apaixonado por esportes, jogador de futebol até hoje, tenho o sonho de cobrir uma Copa do Mundo.
    Topo