Orgulho LGBTQI+: Clubes brasileiros celebram a data nas redes sociais

- A revolta de stonewall é um marco na luta dos direitos da comunidade LGBTQI+
Orgulho LGTBQI+

Há cinco décadas, em 28 de junho de 1969, os frequentadores de um bar chamado Stonewall in, localizado em Nova York, a princípio resolveram dar um basta no preconceito existente na sociedade. Entretanto, naquela época nos EUA não ser heterossexual era considerado crime, logo os bares que recebiam o público gay eram proibidos de comercializar bebidas.

Muito mais que uma data, o ‘Dia do Orgulho LGBTQI+‘ é um capítulo que já faz parte da história e que marca 51 anos de um movimento que teve início com a finalidade de lutar contra a opressão policial, além de buscar pela igualdade e respeito. Principalmente, se tornando um marco de resistência sendo celebrado internacionalmente até os dias atuais.

Aliás, atualmente o futebol acaba sendo um dos lugares em que o preconceito contra os LGBTQI+ é mais acentuado. Por outro lado, os clubes brasileiros vem se posicionando e tentando assim mudar esse cenário hostil.

Ao passo que neste domingo (28), as agremiações esportivas utilizaram suas redes sociais para mostrar todo apoio a luta com publicações. Então, o Futebol na Veia vem mostrar tudo pra vocês, salvo que cada time teve uma maneira peculiar de demonstrar seu perfil socializador e ao mesmo tempo agregador.

Desse modo, uns modificaram a imagem de perfil, além de escrever uma mensagem, outros  só fizeram a publicação e por fim, uns aproveitaram para divulgar produtos licenciados. Enfim, independente do que foi feito, o importante é apoiar a todos.

Só para ilustrar, abaixo é possível ver algumas das postagens do clubes brasileiros em homenagem ao “Dia do Orgulho LGBTQI+”:

Sobretudo, quem se interessar e eventualmente quiser saber mais a respeito dessa data, clique aqui e tenha acesso a uma cartilha LGBTQIA+

Foto Destaque: Divulgação/ União F.C

 

 

 

Tathiane Marques

Sobre Tathiane Marques

Tathiane Marques já escreveu 223 posts nesse site..

Na verdade, não fui eu que escolhi o jornalismo e sim ele que me escolheu. Sem dúvidas, a profissão é como um oceano que precisa ser desvendado na sua profundeza, só assim é possível conhecer e respeitar toda sua beleza.

BetWarrior


Tathiane Marques
Tathiane Marques
Na verdade, não fui eu que escolhi o jornalismo e sim ele que me escolheu. Sem dúvidas, a profissão é como um oceano que precisa ser desvendado na sua profundeza, só assim é possível conhecer e respeitar toda sua beleza.

    Artigos Relacionados

    Topo