Opinião: O negacionismo também é institucional no futebol brasileiro

- Federações se escoram no egoísmo e na irresponsabilidade ao ignorar dados sobre a pandemia
CBF negacionismo

Arrastado por uma maré de negacionismo científico, o Brasil se afoga à deriva. No futebol, algumas federações olham para o retorno do esporte no exterior sem pensar na própria realidade. Isso mostra despreparo, egoísmo e irresponsabilidade de quem deveria prezar pelo bem de todos os envolvidos nesse meio.

Despreparo porque não é preciso ser infectologista para saber interpretar o básico. Atualmente, não há condições estruturais para um retorno, mesmo que se jogue de máscaras em um campo de álcool em gel. Não saber isso, ou ignorar, é colocar em risco a vida de jogadores, comissão e diretores.

Egoísmo porque o país passa por uma crise de saúde. Além da falta de leitos, testamos muito menos do que deveríamos, e não por falta de vontade. Não há testes suficientes para a população, para os que não podem aderir ao isolamento. E gastar os poucos que temos beira o desrespeito com o povo, a verdadeira linha de frente de toda essa situação.

Por fim, a irresponsabilidade é reflexo do negacionismo somado às duas posições anteriores. O jogo não se faz com 22 pessoas, há uma teia complexa por trás disso tão difícil de cuidar quanto dentro das quatro linhas. A responsabilidade das federações passa por todas essas camadas, e não deve se restringir ao lucro, como parece que se faz no momento.

Foto destaque: Divulgação/ CBF.

Tiago Souza

Sobre Tiago Souza

Tiago Souza já escreveu 57 posts nesse site..

Formado em jornalismo pela Universidade São Judas, atuei em diversas áreas de maneira colaborativa. Sou viciado em informação e, por isso, estudo todos os dias sobre futebol e videogames, tendo essas duas vertentes como pilares da minha personalidade. Apesar de levar esses temas muito a sério, tenho a plena noção de que, sem o amor e a descontração, nenhuma delas existiria de forma tão espetacular como são hoje.

BetWarrior


Poliesportiva


Tiago Souza
Tiago Souza
Formado em jornalismo pela Universidade São Judas, atuei em diversas áreas de maneira colaborativa. Sou viciado em informação e, por isso, estudo todos os dias sobre futebol e videogames, tendo essas duas vertentes como pilares da minha personalidade. Apesar de levar esses temas muito a sério, tenho a plena noção de que, sem o amor e a descontração, nenhuma delas existiria de forma tão espetacular como são hoje.

    Artigos Relacionados

    Topo