Operário e Cuiabá empatam na abertura da 11ª rodada da Série B

- Jean Carlo e Lucas Batatinha marcaram para as equipes
Operário e Cuiabá empatam pela Série B (Foto: Reprodução / José Tramontin)

Nesta terça-feira (22), Operário e Cuiabá entraram em campo em jogo válido pela 11ª rodada do Campeonato Brasileiro da Série B. Assim, no Germano Krüger, com um tempo para cada clube, as equipes empataram em 1 x 1. Logo, Jean Carlo marcou para o Fantasma. Já na segunda etapa, Felipe Ferreira deixou tudo igual. Dessa forma, o resultado manteve o Dourado na liderança da competição.

1º TEMPO

Apesar da maior posse de bola do Cuiabá, foi o Operário quem criou as melhores chances e levou mais perigo na primeira etapa. Logo aos 2′, o Fantasma já fazia valer o fator casa. Assim, Jean Carlo recebeu no meio campo, avançou, ganhou de Rafael Gava e arriscou de fora da área e abriu o placar no Germano Krüger. Em seguida, Bonfim aproveitou escanteio cobrado por Tomas Bastos, e, livre de marcação, cabeceou por cima do gol. Na sequência, Thomaz aproveitou escanteio e bateu cruzado para fora.

Enquanto isso, o Cuiabá chegou duas vezes, mas sem levar perigo ao gol de Thiago Braga. Assim, o Operário seguia em busca do segundo gol com Lucas Batatinha arriscando de longe. Aos 27′, Thomaz cruzou e Roger cabeceou com perigo, por pouco não ampliou a vantagem já que João Carlos fez grande defesa. Em seguida, novamente, Roger apareceu na cara do gol, mas não cabeceou com força e facilitou a defesa do goleiro.

2º TEMPO

Na volta do intervalo, o Cuiabá foi mais presente no campo de ataque e dominou a segunda etapa. Assim, logo aos 4′, Lucas Ramon cruzou, Elvis escorou e Felipe Ferreira, dentro da pequena área mandou para o gol e deixou tudo igual. Em seguida, Felipe Ferreira cruzou para Maxwell, de cara com o gol, que isolou, perdendo chance clara de virar o placar para o Dourado. Na sequência, o Operário respondeu com Tomas Bastos que arriscou de fora da área com perigo.

Logo, diferente do primeiro tempo, o Cuiabá seguiu em cima e, aos 25′, Lucas Ramon acertou belo chute e carimbou o travessão do Operário. No rebote, Matheus Barbosa mandou a direita de Thiago Braga. Em seguida, novamente, Lucas Ramon teve boa chance de virar o placar para o Dourado, mas desperdiçou. No final, os visitantes estrearam o atacante Elton para explorar as bolas aéreas, mas sem sucesso.

E AGORA?

Dessa forma, com o resultado, o Cuiabá se manteve na liderança da Série B com 22 pontos, mas tem posto ameaçado pelo Paraná, que joga na rodada. Já o Operário segue na 6ª posição com 17 pontos, mas deve cair algumas colocações com o complemento da rodada. Agora, na próxima rodada, o Fantasma visita o Juventude, na terça-feira (29), às 19h15 (horário de Brasília). Enquanto que o Dourado recebe o Náutico, no mesmo dia, mas às 22h30 (horário de Brasília).

MELHORES MOMENTOS

Foto Destaque: Reprodução / José Tramontin

Ricardo do Amaral

Sobre Ricardo do Amaral

Ricardo do Amaral já escreveu 683 posts nesse site..

"Alvíssaras! Sou Ricardo Accioly Filho, pernambucano de 27 anos, advogado e estudante de jornalismo pela Uninassau. Tenho como mote que “no futebol, nunca serão apenas 11 contra 11”; é arte, é espetáculo, humanismo, tem poder de mover multidões e permitir ascensões sociais. Como paixão nacional do brasileiro, o futebol me acompanha desde cedo, entretanto como nunca tive habilidade para praticá-lo, busquei associar duas vertentes de minha vida: o prazer pela leitura e o esporte bretão. Foi nesse diapasão que encontrei no jornalismo esportivo o elo de ligação que me leva a difundir e informar o que, nas palavras de Steven Spielberg, é o “mais belo espetáculo de imagens que já vi”."

BetWarrior


Poliesportiva


Ricardo do Amaral
Ricardo do Amaral
"Alvíssaras! Sou Ricardo Accioly Filho, pernambucano de 27 anos, advogado e estudante de jornalismo pela Uninassau. Tenho como mote que “no futebol, nunca serão apenas 11 contra 11”; é arte, é espetáculo, humanismo, tem poder de mover multidões e permitir ascensões sociais. Como paixão nacional do brasileiro, o futebol me acompanha desde cedo, entretanto como nunca tive habilidade para praticá-lo, busquei associar duas vertentes de minha vida: o prazer pela leitura e o esporte bretão. Foi nesse diapasão que encontrei no jornalismo esportivo o elo de ligação que me leva a difundir e informar o que, nas palavras de Steven Spielberg, é o “mais belo espetáculo de imagens que já vi”."

    Artigos Relacionados

    Topo