O único jogo de Maradona em torneios de clubes da Conmebol

- Está completando 23 anos: a derrota para o Colo-Colo, por 2 x 1 pela Supercopa Libertadores
Maradona

No dia 25 de setembro de 1997, no Estádio David Arellano, o Boca Juniors foi ao Chile enfrentar o Colo-Colo, em uma partida válida pela fase de grupos da Supercopa Libertadores. O destino fez com que Maradona nunca jogasse uma Taça Libertadores da América e, por conta de suas lesões e vícios, esta partida foi sua única em torneios intercontinentais na América.

A AUSÊNCIA DE MARADONA 

Antes de ir para o exterior (de 1976 a 81) Diego havia jogado pelo Argentinos Juniors e pelo Boca. Nesta época apenas dois time argentinos tinham vaga na Libertadores, os dois campeões dos torneios nacionais: o Metropolitano e o Nacional, que mais tarde se transformaram em Apertura e Clausura. Entretanto, é evidente que se o mesmo time vencesse os dois torneios, sobraria uma vaga que era disputada entre os dois vices.

Logo, enquanto estava no Bicho Colorado, Maradona foi no máximo vice, e não foi ao continental. Em seguida, quando foi à La Bombonera, pode-se dizer que a falta de sorte e de organização da federação argentina agiram para tirar Dieguito dos torneios continentais. Isso porque o Boca Juniors conseguiu ser campeão do metropolitano de 81, mas o calendário da Libertadores estava confuso e irregular. Dessa forma, certos grupos disputaram seus jogos em março e outros só em julho.

Assim, antes mesmo do Boca estrear no torneio, Diego já havia se transferido para o Barcelona (na metade de 1982). Ainda, quando retornou à Argentina seguiu sem participação nos campeonatos continentais até 1997. Além da má performance do Boca nesses torneios na época, o fato de ser suspenso pela FIFA por ser pego no doping na Copa do Mundo de 94 foi uma das principais causas de tal ausência. Pois o gancho foi de 15 meses.

De 96 a 97 Maradona passou por problemas pessoais novamente e ficou sem jogar para se livrar do vício da cocaína. Entretanto, quando retornou em julho de 1997, foi pego novamente no antidoping, mas conseguiu um acordo que permitia-lhe jogar se passasse todo jogo por testes.

LEIA MAIS

COLO-COLO

O time de Santiago havia sido campeão nacional em 1996 e por isso disputou a Libertadores. Naquele ano, o Colo-Colo tinha apenas um título do torneio (conquistado em 1991) e o Boca tinha dois. Aliás, no título de 91 chegaram à final passando na semi justamente pelo time argentino, na chamada Batalha de Santiago, que gerou até briga generalizada dentro de campo.

BOCA JUNIORS

No final década de 90, o Boca ainda sofria pela crise política e econômica na Argentina e, mesmo com Maradona, os títulos não vinham. Na temporada 95/96 bastava ser vice de um dos nacionais para brigar na Liberta, pois o Vélez havia vencido ambos os torneios, mas nem isso o clube conseguiu. Já em 97, no Apertura, sem Maradona, o Boca Juniors terminou em em segundo e viu o River levar o título, por um ponto.

Naquele torneio, mais precisamente no dia 14 de setembro, ocorreu um jogo marcante para o Boca: a vitória de 2 x 1 sobre os Old Boys que ficou marcada pelo último gol de Maradona. A partida foi marcante também pelo primeiro gol de outra figura importante, Schelotto, em sua estréia pelos Xeneizes.

Já no Clausura, ficou mais longe do título, ficando apenas em 9º. O time de Azul y Oro não se classificou para a Libertadores de 97, mas tinha seu lugar garantido na Supercopa Libertadores.  Enfim,quando o Boca disputou a Supercopa Libertadores de 97, El Diez teve sua última boa sequência de jogos consecutivos e finalmente jogaria um torneio continental sul-americano.

MARADONA NA SUPERCOPA LIBERTADORES 1997

A Supercopa Libertadores reunia os campeões da Libertadores da América até aquele ano, a última edição do torneio (os únicos brasileiros que venceram foram o São Paulo e o Cruzeiro). Colo-Colo e Boca estavam no Grupo 1. O time chileno havia vencido os dois jogos até então, enquanto o Boca empatou contra o Independiente e venceu a Raposa.

A partida trazia uma grande expectativa por conta de toda tensão e por serem os dois melhores do grupo até então, assim, a expectativa de esgotar os ingressos em Santiago só aumentou quando se soube que Maradona jogaria pelo menos um tempo com uma alteração já prevista de Latorre entrando em seu lugar.

COLO-COLO 2 X 1 BOCA

O time argentino para aquela partida contava, além de Maradona, com: Luis Hernandez (artilheiro mexicano da Copa América de 97, que pelo limite de estrangeiros por clube só jogou a Supercopa daquele ano), Córdoba, Bermudez, Solano e Martinez. Curiosamente Schelotto ficou de fora do torneio e só foi inscrito nos nacionais. Os chilenos começaram o jogo tendo mais oportunidades e através de Diego os Xeneizes respondiam.

Aos 37’ o Cacique abriu o placar com um dos principais jogadores em seu elenco, o argentino Marcelo Espina (seria o próximo camisa 10 da seleção Albiceleste), em um gol de falta que teve uma enorme contribuição do goleiro Córdoba. O Boca Juniors empatou ainda no primeiro tempo com Luis Hernandez.

Mesmo já estando programada a substituição de Maradona (que acabou sendo por conta de uma distensão muscular) o jogo seguiu movimentado, e na pressão o Colo-Colo fez o segundo gol com Ivo Basay (que terminou como artilheiro, com oito gols). No restante da partida o time da casa resistiu ao ataque rival e manteve o placar de 2 x 1. 

O clube de Buenos Aires após essa partida não venceu mais na competição, com duas derrotas e um empate. Causando assim uma eliminação precoce e a última colocação de seu grupo. Já o Colo-Colo passou em primeiro no grupo, caindo apenas nas semifinais, para o São Paulo.

Concluindo, depois desta partida, Maradona entrou em campo apenas uma vez, contra o River Plate (o Boca venceu por 2 x 1 de virada este jogo).  Mas naquela partida saiu novamente lesionado mesmo tendo sido preservado. Foi neste momento que ele anunciou a aposentadoria, pois as lesões e a falsa notícia da morte de seu pai culminaram em tal decisão. 

Foto Destaque: Divulgação/Instagram/Diego Maradona 

Lucas Henrique Santos Noronha

Sobre Lucas Henrique Santos Noronha

Lucas Henrique Santos Noronha já escreveu 79 posts nesse site..

Escolhi o jornalismo pelo enorme gosto por esportes e por sempre assistir programas esportivos em geral, além de um costume meu de criticar grandes problemas do nosso mundo atual. Eu estou no 1o semestre do curso, minha experiência com textos foi uma página que criei uma vez (sobre futebol) mas que por força de obrigações e por ser só eu cuidando não foi pra frente. Meu objetivo é crescer na área do Jornalismo ( a maior ambição é o esportivo) e acredito que a partir de agora, consegui um grande empurrão pra ganhar experiência na área (aliás trabalhar em sites assim sempre foi um objetivo meu). Sou uma pessoa extremamente paciente, acho que minha principal virtude.

BetWarrior


Poliesportiva


Lucas Henrique Santos Noronha
Lucas Henrique Santos Noronha
Escolhi o jornalismo pelo enorme gosto por esportes e por sempre assistir programas esportivos em geral, além de um costume meu de criticar grandes problemas do nosso mundo atual. Eu estou no 1o semestre do curso, minha experiência com textos foi uma página que criei uma vez (sobre futebol) mas que por força de obrigações e por ser só eu cuidando não foi pra frente. Meu objetivo é crescer na área do Jornalismo ( a maior ambição é o esportivo) e acredito que a partir de agora, consegui um grande empurrão pra ganhar experiência na área (aliás trabalhar em sites assim sempre foi um objetivo meu). Sou uma pessoa extremamente paciente, acho que minha principal virtude.

Artigos Relacionados

Topo