Seleção Búlgara na Copa de 1994-Início do Sonho Bulgaro

Essa semana, o Lado B do Futebol relembra a lendária Seleção Búlgara de 1994, que vivia um sonho de fazer uma Copa do Mundo digna de campeão. Fora do campo era comandada pelo ex-zagueiro e ídolo nacional Dimitar Penev. Mas dentro de campo quem mandava e orquestrava o Sonho Búlgaro era o lendário Hristo Stoichkov, e seu fiel escudeiro Krasimir Balakov. Ambos terminaram a competição na seleção de melhores da Copa.

O que faz essa seleção tão especial? Vamos voltar para 1993, mais precisamente para o dia 17 de novembro. Nesse dia, França e Bulgária entravam em campo em busca de uma vaga na Copa do ano seguinte. Bastava um empate no Parc des Princes para os franceses avançarem, mas o destino reservava algo diferente. Les Bleus, até saíram na frente, com gol de Cantona, mas não adiantou de nada, os Leões logo empataram e no apagar das luzes Kostadinov fez o gol da virada. Os Demônios da Europa avançaram para a Copa do Mundo e isso era só o início do Sonho Búlgaro.

O INÍCIO DO SONHO BÚLGARO

Chegando nos Estados Unidos, os búlgaros caíram no grupo D, junto com Argentina, Grécia e Nigéria. Na estreia, foram até Dallas enfrentar os nigerianos e tomaram uma sonora goleada de 3 x o, parecia que seriam só mais um saco de pancadas do grupo. Entretanto, depois do jogo, os jogadores se uniram mais ainda pelo sonho que eles tinham. Sendo assim, o segundo jogo foram para Chicago, e o craque Stoichkov fez seus dois primeiros gols na Copa, e a Bulgária venceu a primeira nessa competição, 4 x 0.

Chegamos no último jogo da fase de grupos. Os Leões voltaram para Dallas, dessa vez para enfrentar os argentinos, que não tinham Maradona, suspenso por dopping. Mas não podiam subestimar, porque os Hermanos ainda contavam com grandes jogadores como, Batistuta, Caniggia, Simeone, entre outros. No primeiro tempo não foi nada fácil, mas na segunda etapa os búlgaros tomaram conta do jogo, acabaram vencendo por 2 x 0. Com isso, se classificaram em segundo lugar e o Sonho Búlgaro continuava vivo.

MATAR OU MORRER

Os Diabos da Europa chegaram nas oitavas de final, em Nova Jersey, no lindo Giants Stadium. Era a vez dos mexicanos fazerem parte de mais um capítulo da história. Mais um jogo e mais um gol de Stoichkov, mas dessa vez não era ele o herói. Los Tricolores logo chegaram ao empate e o jogo acabou 1 x 1. Nas penalidades, foi a vez do goleiro Borislav Mikhailov se consagrar, o capitão pegou duas cobranças, viu uma indo para fora e comemorou junto com seus companheiros a classificação. Bulgária nas quartas de final!

As quartas de final, (spoiler) a maior vitória da história dos búlgaros! No dia 10 de julho de 1994, o mundo viu uma das maiores zebras das Copas do Mundo. Bulgária x Alemanha, os campeões do mundo contra uma seleção sem expressão do leste europeu. Apesar de serem duas boas seleções, o primeiro tempo não foi bom de nenhum lado. Portanto, as emoções ficaram todas para a segunda parte.

Logo no início, os alemães abriram o placar e parecia que o sonho estava chegando ao fim. Matthäus fez de pênalti, aos dois minutos de jogo no segundo tempo. Mas, o apelido de Leões não é atoa, os búlgaros continuaram lutando, e aos 30 minutos Stoichkov – sempre ele – empatou o jogo. Logo em seguida veio a virada, Yordan Lechkov, de cabeça. O mundo via Davi vencendo Golias!

O FIM DO SONHO

Na semifinal, mais um tricampeão, os italianos, mas dessa vez o resultado seria diferente. Roberto Baggio, velho conhecido dos brasileiros, era o craque da Azzurra. Aos 21′ ele fez o primeiro gol e aos 25′ enfiou a adaga nos búlgaros. Tendo que correr atrás do placar numa temperatura de 36 °C, os Leões estavam em maus lençóis, mas Stoichkov ainda conseguiu diminuir o placar. Ainda assim, não foi suficiente, era o fim do Sonho Búlgaro e de uma das histórias mais lindas das Copas.

Três dias depois, o último compromisso dos Diabos da Europa era contra a Suécia. Disputando o terceiro lugar do mundial, a cabeça já não era mais a mesma, os azuis e amarelos atropelaram a Bulgária, 4 x o. Fora o baile. Entretanto, isso não apagou os feitos dos Leões, que até hoje são conhecidos como a geração de ouro da Bulgária, e onde vão eles são ovacionados.

Essa geração ainda conseguiu se classificar pela primeira vez para a Eurocopa em 1996, e a Copa do Mundo de 1998. Mas não teve o mesmo sucesso da copa de 1994.

Reprodução/O Curioso do futebol

Avatar
Caio Lucas dos Santos Costa
Escolhi jornalismo para trabalhar com o que eu amo. Comecei faculdade de Engenharia de Produção mas vi que eu não teria muito mercado para trabalhar com esportes, então decidi largar e começar jornalismo. Hoje estou no terceiro período, e vi que fiz a escolha certa, nada nesse mundo me deixa mais feliz do que falar sobre esportes.

Artigos Relacionados