Vice-campeão da Série C no ano passado, o Remo conquistou em campo o direito de disputar a divisão superior. Os objetivos da equipe de Paulo Bonamigo não são modestos. O comandante azulino garante que o Leão do Norte vai brigar até o final pelo acesso à Série A. Afinal, a ideia é usar a Série B de trampolim. A história prova que essa missão é perfeitamente plausível. Nesse sentido, a elite não conta com um representante da região Norte desde o rebaixamento do arquirrival Paysandu em 2005. Em síntese, o Remo é capaz de encerrar esse longo jejum?

A subida do Leão Azul

Bonamigo assumiu o Remo após uma queda de rendimento com Mazola Júnior. O time paraense vinha de uma sequência de empates na primeira fase da Série C 2020. Se recuperou, garantindo uma vaga no G4. Disputando a competição desde o retorno em 2016, o Leão Azul ainda não havia avançado. Liderou o seu quadrangular do acesso e chegou na final contra o Vila Nova. Diante do Tigre sucumbiu, mas nem a goleada por 5 x 1 arrefeceu os ânimos. Desse modo, o Remo não pensa em apenas permanecer na Série B. É ambicioso e sonha alto.

A estrutura tática do Remo

A fim de compreender o funcionamento do jogo azulino é preciso falar de variação tática. Paulo Bonamigo gosta de uma equipe que oscila entre o 4-1-4-1 e o 4-2-3-1. O primeiro esquema serve para equilibrar as linhas e conter o adversário. Além disso, dá ao Remo o controle da meia cancha. Quando ataca, o Leão do Norte desce um jogador que vai servir de apoio ao volante de contenção. Com a zaga protegida pelo primeiro combate dos cabeças de área, o centro criativo do time passa a ter liberdade para se movimentar no campo inimigo através de triangulações.

https://twitter.com/ClubeDoRemo/status/1401345141256896513

O Remo pode subir novamente?

A princípio, isso já aconteceu mais de uma vez. Juventude, Bragantino, Fortaleza e CSA são os exemplos mais recentes. Logo, não é impossível. Estrutura o clube tem. Se organizou e não subiu a passeio. Cabe ao Remo jogar a Série B com a mais absoluta seriedade. Inclusive, cearenses e paulistas chegaram na elite com status de campeão. Por outro lado, a equipe paraense não disputa a primeira divisão desde a polêmica Copa João Havelange. Até é verdade que o Leão Azul enferrujou, mas alguém poderá acordá-lo desse sonho? Viver para ver…

Foto destaque: Divulgação/Belém On-Line

Avatar
André Filipe
Apaixonado pela dimensão histórica do futebol e pela ciência da bola. Gremista desde a Batalha dos Aflitos para o que der e vier. Sinto na escrita o calor latente das minhas paixões profissionais. Historiador, jornalista esportivo e jogador de pôquer nas horas vagas.

Deixe uma resposta