O outro lado do futebol nacional

Fora do Glamour e dos holofotes, mais uma rodada do Campeonato Brasileiro da série C ocorreu neste fim de semana. A competição da terceira divisão do futebol nacional contempla equipes conhecidas e de tradição do futebol brasileiro.

A competição é dividida em 2 grupos regionalizados com 10 equipes cada. O grupo A, é disputado pelos clubes do Nordeste, Norte e Centro-Oeste. Já o grupo B tem clubes da região Sul e Sudeste. O sistema é por pontos corridos e os 4 melhores se classificam para a fase mata- mata, onde enfrentam uma equipe do grupo da outra região, em dois jogos, caso passem dessa fase estarão automaticamente promovidos à segunda divisão.

Sem muito glamour, a série C abriga clubes de forte tradição regional e nacional. O campeão da primeira divisão em 1978, vive pelo quarto ano seguido, o trauma de ficar de fora do protagonismo no futebol. O Fortaleza, clube de grande torcida, vive há 6 anos uma batalha para o acesso, sendo que em três oportunidades, chegou ao mata-mata sendo o primeiro do seu grupo, mas caiu com seu favoritismo dentro de casa para equipes consideradas inferiores.

Vivendo um momento complicado financeiramente, a Portuguesa está pelo segundo ano na série C. Depois do rebaixamento para a segundona em 2013, depois do caso Héverton, o time lusitano desceu ladeira a baixo. Nunca na sua história havia disputado a terceira divisão. No ano passado, chegou à fase decisiva, mas caiu para o Vila Nova – GO. Eliminação que abalou muito o clube.

Destaque no final dos anos 90, o Juventude – RS campeão da Copa do Brasil de 1999, tenta se reerguer para ter novamente anos dourados. Ficou até 2007 na primeira divisão, depois do rebaixamento, viveu momentos difíceis, chegando a figurar a quarta divisão do Brasil por 3 anos. Está na terceira tentativa de acesso, na edição passada, chegou até a última rodada na briga pela classificação. Este ano, foi vice – campeão gaúcho, elevando o ânimo da torcida.

Essa competição também tem o forte futebol do Nordeste no grupo B, com suas torcidas apaixonadas, como a do América e ABC, representante do Rio Grande do Norte, a do ASA de Arapiraca em Alagoas, o Confiança e o River Plate, ambos do Piauí e o pernambucano Salgueiro. O Norte é representado pelo Remo do Pará e o Centro – Oeste pelo Cuiabá do Mato Grosso. No grupo A, o futebol do interior de São Paulo aparece com o Mogi Mirim, Guaratinguetá, Guarani e Botafogo. O único da capital é a Portuguesa. O Sudeste é representado também pelo Macaé do Rio de Janeiro e o Tombense e Boa Esporte de Minas Gerais. Além do Juventude, o Sul tem o Ypiranga do Rio Grande do Sul.

O campeonato é rápido, com apenas 18 rodadas na primeira fase. Os jogos são disputados apenas nos fins de semana, o que faz com que os jogadores tenham tempo de descansar e treinar mais, e são beneficiados por não ter viagens muito longas, por ser grupos regionalizados. Apesar da verba ser menor, existe alguns benefícios para a luta pelo acesso.

Luan Victor Brito

Sobre Luan Victor Brito

Luan Victor Brito já escreveu 32 posts nesse site..

Sou Luan Victor de Brito, tenho 20 anos, sou nascido e criado em Osasco - SP. Sou fã de futebol desde criança. Acompanho o máximo que posso todo e qualquer campeonato de futebol do mundo. Sou torcedor alucinando da Portuguesa, querida Lusa. Atualmente estou cursando a Faculdade de Jornalismo e pretendo seguir a área de esportes, mas também gosto de política economia. Além do futebol, sou fã de rádio, transmissões de futebol pelo rádio me fascinam.

BetWarrior


Poliesportiva


Luan Victor Brito
Luan Victor Brito
Sou Luan Victor de Brito, tenho 20 anos, sou nascido e criado em Osasco - SP. Sou fã de futebol desde criança. Acompanho o máximo que posso todo e qualquer campeonato de futebol do mundo. Sou torcedor alucinando da Portuguesa, querida Lusa. Atualmente estou cursando a Faculdade de Jornalismo e pretendo seguir a área de esportes, mas também gosto de política economia. Além do futebol, sou fã de rádio, transmissões de futebol pelo rádio me fascinam.

    Artigos Relacionados

    Topo