Hennes IX

Nesta semana, a Coluna Quebrando Muros traz a história de um dos mais populares e inusitados mascotes da Alemanha. Contudo, para entendermos a sua trajetória precisamos voltar ao tempo para apresentar o amado bode Hennes, atualmente em sua IX geração. Símbolo do tradicional clube alemão, FC Köln, um dos primeiros times oficiais da Bundesliga.

COMO ASSIM É DE VERDADE?

Sim, o amado e mais antigo mascote do FC Köln surgiu de maneira inusitada. Ou seja, o ano era 1950 e o Circo Williams doou o primeiro bode vivo para o clube. Dessa maneira, se tornando uma figura pública muito querida pelos torcedores do Colônia. Em seguida, o animal foi batizado com o nome do ex-jogador e ex-técnico do time, Hennes Weisweiler.

Sendo assim, o querido mascote conta em sua linhagem de Hennes: I (13 de fevereiro de 1950 – 4 novembro de 1966); II (26 de novembro de 1966 – agosto de 1970); III (22 de agosto de 1970 – julho de 1975); IV (agosto de 1975 – 13 de novembro de 1982); V (20 de novembro de 1982 – julho de 1989); VI (agosto de de 1989 – 13 de março de 1996); VII (15 de março de 1996 – 23 de julho de 2008); VIII (24 de agosto de 2008 – 21 de abril de 2021) e atualmente, Hennes IX.

AO LONGO DA HISTÓRIA

Como dito anteriormente, o bode chegou ao clube em 1950, mais especificamente, 13 de fevereiro de 1950, exatos dois anos após a fundação do Colônia. Na ocasião, a primeira versão do mascote ficou junto ao time até 1966. Em seu histórico, teve a participação de dois dos primeiros três títulos da Bundesliga (1961/1962 e 1963/1964). Vale ressaltar, a equipe foi a primeira campeã do campeonato.

A partir disso, o bode vivo se tornou membro oficial do clube. Sendo assim, até hoje, o mascote é símbolo do FC Köln e já está na sua nona versão. Dessa forma, o mais recente bode da equipe mora no zoológico da região do estádio do Colônia. Ainda, nos jogos em casa ocupa a lateral do gramado para trazer sorte para o elenco de jogadores.

Entretanto, diferentemente das primeiras gerações de Hennes, não visita outros estádios. Ou seja, só pode assistir os jogos quando são na casa do FC Köln. Dessa maneira, fica aproximadamente duas horas e meia na lateral do campo. Contudo, devido a pandemia do coronavírus, Hennes IX não tem frequentado o gramado, já que para a sua permanência precisa do seu cuidador e para evitar aglomerações, os dirigentes preferiram optar pela a segurança de ambos. Todavia, em suas partidas presenciais o mascote movimentava a torcida. Por exemplo, caso se solte, levanta os torcedores com as suas fugidas dos funcionários do clube.

CURIOSIDADES

Como amuleto, tem históricas participações positivas para o clube. Segundo a lenda, Hennes VIII, em fevereiro de 2011, em jogo contra o Bayern de Munique, converteu um esperado rebaixamento em sobrevivência na liga principal do campeonato. Na ocasião, terminou a temporada na 10ª posição, com vitória sobre os adversários. Vale ressaltar, muitos torcedores atribuem esse triunfo à presença do mascote na beira do campo.

Além disso, durante o seu período ativo, efetuou bem os seus dias de sorte para o FC Köln. Tanto que, mesmo quando foi rebaixado para a segunda divisão do campeonato conseguiu conquistar o título para voltar a elite da Bundesliga. Infelizmente, na página oficial do mascote, recentemente, o clube declarou que neste último dia 21 de abril de 2021, Hennes VIII., já aposentado desde 2019, teve que ser abatido por motivos de saúde.

Decerto, para sanar as saudades de seus torcedores, o clube usa a página oficial no Facebook do Hennes IX. para compartilhar o seu dia a dia. Ou seja, são mais de 30 mil seguidores acompanhando o querido mascote.

Apesar de não ocupar, temporariamente, a lateral do gramado, Hennes IX se faz presente na rotina de seus jogadores. Exemplo disso, é que durante as partidas em casa o seu sonoro “béééé”, aparece toda vez que é marcado um gol a favor do clube. Ainda mais, participa de alguns anúncios publicitários na região do time, Renânia do Norte-Vestfália, se tornando uma figura pública importante para o Colônia não só dentro de campo.

 

Foto Destaque: Reprodução/ Getty Images

Avatar
Amanda Scarlatt
Amo poder ter o jornalismo como a minha maneira de expressão. Sou apaixonada pelo meio digital e tudo que podemos construir nele por meio da comunicação. Acredito fielmente na essência de uma boa matéria jornalística -a investigação-, isso, independente da editoria e meio. Enfim, viva o jornalismo! E respeitemos a profissão e os profissionais.