Mina do Tri

De antemão, Priscila Lima, é uma grande conhecida da torcida Santista. A Mina do Tri, é a emblemática torcedora, que ficou famosa por aparecer na tela da Rede Globo comemorando o gol de Neymar na final da Libertadores de 2011. Com isso, depois desse jogo, sua vida mudou. Após 10 anos, o Santos chega a mais uma final de Copa Libertadores. Agora contra o Palmeiras.

PRISCILA, A MINA DO TRI !

Antes de mais nada, Priscila já nasceu em berço santista e desde pequena frequentava os jogos do Peixe com seu pai. Com isso, sua primeira experiência em um jogo foi no Canindé, entre Santos 1 x 1 Portuguesa, no entanto ela não lembra ao certo qual ano aconteceu este confronto. Mas classificou como: “Um marco na minha vida”.

Primeiramente, hoje com 32 anos, Priscila trabalha como contadora, está casada e é mãe do Murilo. Que, por sua vez, já saiu da maternidade com o manto sagrado. Além disso, ela é sócia torcedora e no passado já fez parte da Torcida Jovem do Santos.

FAMILIA SANTISTA 

A saber, além da Priscila ter começado a frequentar os jogos do Peixe desde pequena, foi através do Santos que ela encontrou Danilo Santos, seu marido. 

ENTREVISTA AO FUTEBOL NA VEIA

Em entrevista exclusiva ao Futebol na Veia, ela contou mais sobre sua vida pessoal e o Santos Futebol Clube.

“Em 2005 conheci o meu marido em uma excursão para o Hopi Hari, ele estava com a Camisa do Santos FC e foi amor à Primeira vista rsrs. Pela camisa kkk, depois minha irmã que já conhecia me apresentou eu o conheci mais a verdade é que o que me chamou atenção em primeiro lugar foi a camisa rsrs. Desde que começamos a namorar os dois apaixonados pelo Santos começamos a frequentar mais os estádios. E apesar de morar na capital, íamos a quase todos os jogos que podíamos, saímos do trabalho e íamos direto para a vila. Com isso, muitas vezes chegava em casa às 01:00 da manhã e as 04:40 precisava levantar para ir trabalhar, bons tempos rsrs” Finalizou.

O que mudou na sua vida após o título do Santos em 2011?

“Desde o Tri da Libertadores, muitos Santistas nas redes sociais comentavam e perguntavam quem era a “Mina do Tri” onde anda a “Mina do Tri”, porém eu pensei que seria somente algo momentâneo e não comentava nada, mas após alguns anos se manteve a mesma procura e o mesmo carinho da torcida para a minha pessoa, até o momento que o pessoal da Embaixada do Santos de São Paulo vieram e me convidaram em 2019 para participar da homenagem ao Léo Bastos e em seguida a homenagem para o Elano. Desde então eu apareci divulguei a minha rede social e a torcida me adotou como um dos símbolos daquela conquista. Me apelidando de “Mina do Tri”, “Triscila”. Portanto, fico muito agradecida a cada torcedor do Santos, ao pessoal da Embaixada do Santos e as meninas do Elas nas 4 linhas pelo carinho por mim e pela minha família”.

Qual foi a sensação de ver o Santos campeão da Libertadores direto do Pacaembu lotado?

“Pra mim como torcedora fanática, estar naquele momento dentro do estádio cantando junto com a torcida 90 minutos sem parar foi um dos momentos mais felizes da minha vida” afirmou.

O que você acha do apelido carinhoso que a torcida te deu, “A mina do Tri”?

“Me sinto muito lisonjeada, pois sei que sou uma torcedora comum no meio de milhares Santista que tem o mesmo bom gosto que eu. Saber que me tornei referência para muitos torcedores é algo inexplicável. Sou grata a todos pelas mensagens, pelo carinho e por incentivar a Torcida Feminina nos estádios”.

Você imaginava que viraria tão querida pela torcida santista?

“Não tinha noção de que a partir daquela imagem que extravasei o sentimento que tenho para com o clube me tornaria “querida” dentro da torcida. Além disso, da mesma forma que muitos torcedores falam que sou símbolo da representatividade da torcida, saibam que todos vocês também me representam quando citam o Glorioso nome do Santos FC”.

Novamente uma final de Libertadores, porém, infelizmente não teremos torcida no estádio, caso não estivéssemos em uma pandemia você estaria presente no Maracanã?

“Não tenha dúvida, minha vontade de fato é estar no estádio em qualquer ocasião. Portanto, se estivéssemos em outro momento, eu e minha família iríamos comemorar o Tetra nas arquibancadas do Maraca”.

“Gostaria de aproveitar e registrar minha gratidão aos torcedores e páginas do Santos FC que estão se mobilizando e pedindo minha presença no Maracanã”, concluiu.

As pessoas te reconhecem quando te encontram na rua?

“Sim, muitos torcedores vem até minha pessoa e comentam sobre a imagem e falam que não tem como não lembrar do gol do Neymar e não lembrar da minha comemoração. Eu fazendo o coração, batendo no peito e declarando o amor pelo Santos FC”.

O que você acha da equipe de hoje, e qual seu palpite para a final?

“A equipe de hoje demonstra a vontade, garra e raça, por mais que a mídia sempre tentou diminuir o clube e o elenco, os jogadores e nosso treinador Cuca se blindaram. E estão demonstrando a cada jogo a grandeza do Santos FC. Portanto, estão cada dia mais unidos no objetivo que é ser Campeão de mais uma libertadores. O Santos FC é gigante e como já diz o nosso Hino, “Sua Bandeira no mastro é a História. De um passado e um presente só de Glórias, Nascer, Viver e no Santos morrer é o Orgulho que nem todos podem ter” afirmou, Priscila.

“Meu Palpite para o Jogo será 2×1 para o Peixão. E seremos Tetracampeões” Completou.

Foto Destaque: Reprodução/Globo

Alef Sousa
Sempre fui apaixonado por esportes, especialmente futebol. E vi através do jornalismo uma oportunidade de estar trabalhando com a minha Paixão. Estou no 3º Semestre da faculdade de Jornalismo. Meu grande Objetivo é torna-me repórter de campo e cobrir grandes competições. Sou um cara, extrovertido, animado, comunicativo e cheio de vontade de aprender.

Artigos Relacionados