O invejável legado de Tite

Quando se trata de um técnico como o Tite, o clubismo deve ser deixado de lado e o fanatismo deve dar lugar ao reconhecimento.

Um dos maiores treinadores da história do futebol brasileiro assume, com muito merecimento, a Seleção brasileira e tem o difícil objetivo de devolver o brilho ofuscado pelos recentes fracassos.

No Corinthians, Tite foi gênio. Quando Emerson, Guerrero e Fábio Santos saíram, o treinador teve a capacidade de montar uma equipe compacta que levou o Corinthians ao título do último campeonato brasileiro. Mas aí veio o furacão chinês e a desconfiança rondou o Parque São Jorge. Tite então pediu tempo e calma. Em suas palavras, era um momento de transição. O projeto parecia estar dando certo, pois, mais uma vez, o Corinthians é um dos favoritos ao título do Brasileirão.

Poucas vezes vi um treinador ser unanimidade em solo nacional: seja nas rodas de bar, ou entre comentaristas e jornalistas esportivos, Tite foi aclamado e pedido na Seleção por palmeirenses, santistas, são paulinos e outros tantos torcedores.

Resta a Tite se opor a todas as falcatruas impostas, nos bastidores, pela CBF. Cabe ao treinador implantar sua filosofia de jogo bem definida – muito diferente do método arcaico, obsoleto e ultrapassado escolhido por Felipão e Dunga – e não se tornar uma mera marionete de um presidente que sequer pode viajar para acompanhar sua Seleção.

O currículo de Tite nos dá subsídios para acreditarmos que tudo isso será alcançado.

Tite deixa no Corinthians um legado invejável.

André Siqueira Cardoso
André Siqueira Cardoso
Sou André Siqueira Cardoso, tenho 21 anos. Aluno de jornalismo da Escola de Comunicação e Artes da Universidade de São Paulo (ECA-USP), atualmente trabalho em VEJA, com a cobertura do noticiário político. Apaixonado por esportes, jogador de futebol até hoje, tenho o sonho de cobrir uma Copa do Mundo.

Artigos Relacionados

Topo