O Campeonato Inglês é o melhor do mundo. Mas por que os times ingleses colecionam vexames na Europa?

O campeonato mais disputado, com nível técnico mais alto entre todos os times e com os melhores jogadores é o inglês. Quando a Premier League começa, é impossível cravar dois favoritos absolutos, quem dirá um. São muitos times grandes e alguns gigantes, com tradição centenária. Na Espanha, são no máximo três potências (Atlético de Madri, Barcelona e Real); na Alemanha, duas (Bayern e Borussia); na Itália, podemos apontar quatro (Inter, Juventus, Milan e Roma), mas com enorme oscilação.

Podemos olhar a temporada atual para perceber o imponderável no Campeonato Inglês. Desde o início, o Leicester City lidera, jogando um belo futebol. A equipe nunca foi campeã da primeira divisão inglesa. O clube de 132 anos está na frente de outras equipes de elencos excepcionais, como Manchester City, Manchester United, Tottenham, Liverpool e Arsenal. Mas, o que acontece com estes times nas competições europeias?

Na Liga dos Campeões e Liga Europa dessa temporada, os ingleses estão colecionando vexames. Pelo principal torneio de clubes do mundo, o Arsenal perdeu em casa para o Barcelona por 2 a 0 e praticamente deu adeus às chances de classificação. O Chelsea já foi eliminado pelo Paris Saint Germain, perdendo os dois confrontos. A única esperança é o City, que venceu o fraco Dínamo de Kiev por 3×1 fora de casa, na primeira partida.

Na Liga Europa, o Tottenham foi massacrado pelo Borussia Dortmund no primeiro jogo das oitavas: 3×0 para os alemães e eliminação praticamente sacramentada. O time londrino é o vice-líder do inglês e os aurinegros ocupam a segunda posição no alemão, para efeito de comparação. Ainda pela liga Europa, o confronto entre Liverpool e Manchester United marcou o encontro dos outros ingleses restantes. O primeiro jogo foi 2×0 para o time de Jurgen Kloop, jogando em casa, e Van Gaal só consegue acumular tropeços no comando dos Red Devils.

Há alguns anos, a hegemonia inglesa era grande nas fases finais da Liga dos Campeões. Então, o que mudou? No passar desses anos, mais times ganharam força a ponto de disputar o título na Inglaterra. Muito por causa dos investimentos estrangeiros, dos donos bilionários que assumem os clubes e fazem inúmeras contratações. Com a alta competitividade, um desgaste interno aconteceu e os times chegam para jogar a Liga dos Campeões já no limite. O Barcelona, o Real, Borussia e Bayern, por exemplo, passam por cima dos adversários nos torneios nacionais e chegam no mais alto nível nos campeonatos internacionais, sem tanto cansaço.

Também conta a elevação da moral dessas equipes. Os jogadores chegam leves para atuar na Liga dos Campeões e Liga Europa, diferente dos ingleses que vêm de sufoco no fim de semana. No Campeonato Inglês, as goleadas são raras. No espanhol e alemão, chocolates de 5, 6, 7 são frequentes. Também pesa o fato dos hispânicos e germânicos possuírem os maiores craques do planeta, os que mais fazem a diferença. Isso porque a necessidade de gastar com posições de defesa é menor, já que os torneios internos não exigem tanto. Se observar bem, os times ingleses possuem um elenco mais completo que estes gigantes. Porém, não têm peças capazes de vencer uma série de jogos sozinhos, como Messi, Neymar, Cristiano Ronaldo, Lewandowski e Reus, só para citar alguns.

Se quiserem voltar a vencer a Liga dos Campeões, o que não acontece desde 2011/12, quando o Chelsea levou, os ingleses terão de contratar verdadeiros craques, líderes de seleções, ou priorizar o torneio mata-mata. De bom, é que o Campeonato Inglês melhora a cada ano e toda rodada temos verdadeiros jogaços, com emoção até o último minuto.

Avatar

Sobre Victor Rocha

Victor Rocha já escreveu 18 posts nesse site..

Jornalista, fanático por futebol e fascinado pela parte técnica e tática do esporte. Dono do blog Rebatida e passagem de dois anos no Portal R7, escrevendo sobre música, cinema e esportes. Acompanhe também meu blog: http://rebatida.blogspot.com.br

BetWarrior


Poliesportiva


Avatar
Victor Rocha
Jornalista, fanático por futebol e fascinado pela parte técnica e tática do esporte. Dono do blog Rebatida e passagem de dois anos no Portal R7, escrevendo sobre música, cinema e esportes. Acompanhe também meu blog: http://rebatida.blogspot.com.br

    Artigos Relacionados

    Topo