O “bad boy” búlgaro, ídolo do Barcelona, completa 50 anos

Na década de 90, não falar sobre o dono de umas das personalidades mais fortes do futebol, é quase um crime. O combo de Histro Stoitchkov mescla herói, ídolo e um polêmico jogador de futebol.

Habilidoso e veloz, Histro desde muito jovem vivia arrumando confusão na escola e nas ruas da cidade de Plovdiv, segunda maior da Bulgária. Deu inicio em sua trajetória no futebol, no Maritsa Plovdiv, time da segunda divisão do futebol local.

Stoitchko Stoitchkov, um pai receoso enquanto a personalidade do filho conseguiu uma vaga num dos times mais populares da Bulgária, o CSKA Sófia. O time era posse do exercito local e despertou em seu pai a esperança que a disciplina militar pudesse colocar o filho nos eixos e permitisse uma carreira brilhante ao jogador.

O plano funcionou em parte, Histro se mostrou um jogador brilhante e conquistou diversos títulos para equipe, mas seu temperamento, continuou o mesmo, e provou isso em 1985, logo em seu primeiro ano no CSKA, Stoichkov fez um dos gols da vitória por 2 a 1 sobre o Levski Sofia, pela final da Copa da Bulgária, e arrumou uma grande confusão ao trocar socos com jogadores do time rival. A confusão causou severas punições para os clubes e para Stoichkov, sendo o CSKA e o Levski banidos do futebol búlgaro, sendo obrigados a mudar de nome e Histro também foi banido. Um ano depois, tanto o jogador quanto os times conseguiram a anistia dos líderes comunistas do país e puderam voltar.

Depois de seis anos e sete títulos pela equipe búlgara, chegou a hora de Stoitchkov brilhar no Barcelona. Ele foi o grande nome do título do Barcelona na Liga dos Campeões de 1992.

Foi no clube catalão que o jogador chegou ao ápice do seu potencial. Depois de um início complicado com contusões e suspensões, Histro auxiliou o clube, na época a segunda potencia da Espanha, a quebrar o reinado de cinco conquistas consecutivas do Real Madrid e deu início, a grande “Era” de conquistas da equipe.

Nas três primeiras temporadas, sob o comando de Yohann Cruyff, conquistou três vezes a Liga Espanhola, duas vezes a Supercopa da Espanha e uma Liga dos Campeões. Perdeu o Mundial para o São Paulo do então Telê Santana, partida na qual o búlgaro abriu o placar para os espanhóis e depois viu Raí marcar duas vezes para definir o primeiro título de campeão do mundo da equipe brasileira.

Fora a derrota no mundial, o jogador também dividiu o gramado com grandes nomes do futebol como Romário, Maradona, Neto, Renato Gaúcho, Redondo, Edmundo, Paul Gascoigne e Eric Cantona, onde sua personalidade não era exaltada.

Entre alguns de seus grandes feitos no meio do futebol, conquistou 83 jogos pela sua seleção, com 37 gols marcados.

No final da sua carreira, Histro se tornou um dos primeiros astros da MLS e foi eleito o Bola de Ouro do futebol europeu em 1994.

Ficha técnica:
Nome: Histro Stoitchkov Stoitchkov
Nascimento: 08 de Fevereiro de 1966, em Plovdiv, Bulgária.
Posição: Atacante
Clubes: Maritza Plovdiv-BUL (1982), Hebros-BUL (1982-1984), CSKA Sofia-BUL (1985-1990 e 1998), Barcelona-ESP (1990-1995 e 1996-1998), Parma-ITA (1995-1996), Al-Nassr-ARS (1998), Kashiwa Reysol-JAP (1998-1999), Chicago Fire-EUA (2000-2002) e DC United-EUA (2003-2004).
Títulos: 3 Campeonatos Búlgaro (1986-1987, 1988-1989 e 1989-1990), 3 Copas da Bulgária (1986-1986, 1987-1988 e 1988-1989) e 1 Supercopa da Bulgária (1989) pelo CSKA Sofia.
1 Liga dos Campeões da UEFA (1991-1992), 1 Recopa da UEFA (1996-1997), 2 Supercopas da UEFA (1992 e 1997), 5 Campeonatos Espanhol (1990-1991, 1991-1992, 1992-1993, 1993-1994, 1997-1998), 2 Copas do Rei (1996-1997 e 1997-1998) e 4 Supercopas da Espanha (1991, 1992, 1994 e 1996) pelo Barcelona.
1 Recopa da Ásia (1997-1998) pelo Al-Nassr.
1 US Open (2000) pelo Chicago Fire.
1 MLS Cup (2004) pelo DC United

Foto3 : Jonathan Daniel/Getty Images

Carolina Keyko

Sobre Carolina Keyko

Carolina Keyko já escreveu 53 posts nesse site..

Sou Carolina Keyko Rodrigues, 21 anos, estudante de jornalismo, apaixonada por esportes, música, teatro, gastronomia e fotografia. Já trabalhei como estagiária para a Arquidiocese de São Paulo como gestora de mídias sociais, Estagiária para os Doutores da Web com SEO. Gosto de áreas que me desafiem a escrever, como o futebol, que esta em constantes mudanças, costumo assistir os jogos do Santos com a fanática da minha irmã e acompanho meu pai nos jogos da Portuguesa, pois é, faz parte.

BetWarrior


Poliesportiva


Carolina Keyko
Carolina Keyko
Sou Carolina Keyko Rodrigues, 21 anos, estudante de jornalismo, apaixonada por esportes, música, teatro, gastronomia e fotografia. Já trabalhei como estagiária para a Arquidiocese de São Paulo como gestora de mídias sociais, Estagiária para os Doutores da Web com SEO. Gosto de áreas que me desafiem a escrever, como o futebol, que esta em constantes mudanças, costumo assistir os jogos do Santos com a fanática da minha irmã e acompanho meu pai nos jogos da Portuguesa, pois é, faz parte.

    Artigos Relacionados

    Topo