No clássico português, Sporting e Porto empatam e adiam caça ao Benfica na Primeira Liga

- Sportinguistas ficaram reclamando de erros da arbitragem, especialmente de um pênalti não marcado ainda no primeiro tempo
Sporting e Porto empatam no clássico português (Foto: Reprodução / LUSA)

Neste sábado (17), Sporting e Porto entraram em campo em jogo válido pela 4ª rodada da Liga NOS. Assim, no José Alvalade, as equipes fizeram um clássico de muita rivalidade e de alto nível, especialmente no primeiro tempo. Logo, os Leões saíram na frente com Nuno Santos. No entanto, ainda na etapa inicial, Uribe e Corona viraram para os Dragões. Na reta final da partida, Luciano Vietto deixou tudo igual. Com o empate em 2 x 2, os dois clubes podem ver o Benfica abrir cinco pontos de vantagem na liderança da competição.

1º TEMPO

Apesar de um início promissor do Porto com domínio territorial e boa chance na falta de Sérgio Oliveira, foi o Sporting que saiu na frente. Assim, aos 8′, após levantamento na área,  Nuno Santos pegou sobra da defesa e bateu forte para abrir o placar para os Leões. Em seguida, os Dragões reagiram com Luiz Diaz costurando bom ataque, mas pecando na finalização. Na sequência, aos 24′, Zaidu cruzou pela esquerda e Mateus Uribe completou para o gol deixando tudo igual em Alvalade.

Em seguida, o Porto subiu as linhas de marcação e levou o Sporting ao erro na saída de bola, por pouco os Dragões não ampliaram. Já na reta final, os Leões tiveram uma grande oportunidade com Pedro Gonçalves, mas Marchesin tirou com o joelho. Assim, o maior volume de jogo dos Portistas foi recompensando perto dos acréscimos. Logo, em rápido contra-ataque, a bola sobrou para Corona que driblou na pequena área e marcou um golaço. No fim, ainda houve tempo para a marcação de um pênalti para os Sportinguistas, mas após consulta ao VAR, o árbitro de campo voltou atrás.

2º TEMPO

Na volta do intervalo, a partida perdeu em qualidade com as equipes pouco produziram na frente de ataque. Apesar disso, o Sporting foi mais presente e tendo domínio espacial do campo. No entanto, a primeira boa chance veio pelo lado do Porto em uma falta cobrada por Sérgio Oliveira que o goleiro Adán segurou firme. Em seguida, os Leões cresceram de vez na partida.

Assim, aos 29′, Pedro Porro recebeu pela meia central e bateu cruzado, a bola passou perto da trave de Marchesin. Na sequência, aos 41′, o Porto sucumbiu com um ataque rápido pela ponta direita. Logo, Pote cruzou, Sporar arrematou para uma defesa à queima roupa de Marchesin, mas Luciano Vietto pegou a sobra e fuzilou para empatar para o Sporting. Já nos acréscimos, Taremi teve a chance do jogo para dar a vitória aos Dragões, mas o chute saiu tirando tinta do gol.

SPORTING x PORTO – E AGORA?

Dessa forma, com o resultado, o Sporting sobe para a 3ª posição com sete pontos. Já o Porto também ganha uma colocação e chega a vice-liderança, com os mesmo pontos. Agora, na próxima rodada, os Leões visitam o Santa Clara, no sábado (24), ás 15h (horário de Brasília). Enquanto que os Dragões recebem o Gil Vicente, no mesmo dia, mas às 16h30 (horário de Brasília).

MELHORES MOMENTOS – SPORTING x PORTO

Foto Destaque: Reprodução / LUSA

Ricardo do Amaral

Sobre Ricardo do Amaral

Ricardo do Amaral já escreveu 717 posts nesse site..

"Alvíssaras! Sou Ricardo Accioly Filho, pernambucano de 27 anos, advogado e estudante de jornalismo pela Uninassau. Tenho como mote que “no futebol, nunca serão apenas 11 contra 11”; é arte, é espetáculo, humanismo, tem poder de mover multidões e permitir ascensões sociais. Como paixão nacional do brasileiro, o futebol me acompanha desde cedo, entretanto como nunca tive habilidade para praticá-lo, busquei associar duas vertentes de minha vida: o prazer pela leitura e o esporte bretão. Foi nesse diapasão que encontrei no jornalismo esportivo o elo de ligação que me leva a difundir e informar o que, nas palavras de Steven Spielberg, é o “mais belo espetáculo de imagens que já vi”."

BetWarrior


Poliesportiva


Ricardo do Amaral
Ricardo do Amaral
"Alvíssaras! Sou Ricardo Accioly Filho, pernambucano de 27 anos, advogado e estudante de jornalismo pela Uninassau. Tenho como mote que “no futebol, nunca serão apenas 11 contra 11”; é arte, é espetáculo, humanismo, tem poder de mover multidões e permitir ascensões sociais. Como paixão nacional do brasileiro, o futebol me acompanha desde cedo, entretanto como nunca tive habilidade para praticá-lo, busquei associar duas vertentes de minha vida: o prazer pela leitura e o esporte bretão. Foi nesse diapasão que encontrei no jornalismo esportivo o elo de ligação que me leva a difundir e informar o que, nas palavras de Steven Spielberg, é o “mais belo espetáculo de imagens que já vi”."

    Artigos Relacionados

    Deixe uma resposta

    Topo