No Chipre, brasileiro termina ano especial com “chave de ouro”

Apesar dos obstáculos e complicações que 2020 apresentou, o ano será especial para Carlos Dias, volante do APOEL, do Chipre. Carlos disputou a Copa São Paulo em janeiro pelo Paraná. Depois da competição foi integrado ao elenco paranista.

Estreia e metas

Em fevereiro, fez sua estreia diante do Athletico, na Arena da Baixada. Assim se consolidou e foi titular do Tricolor da Vila até a pausa das competições, logo após a primeira rodada da Série B foi vendido ao APOEL.

2020 não foi um ano fácil para ninguém, por tudo isso que está acontecendo, mas neste ano eu tive muitas coisas boas, foi um ano de grandes oportunidades, como subir para o elenco profissional, declarou.

Ele ressalta as metas ao chegar no Chipre, aliás comemora como tudo vem ocorrendo na sua carreira.

Jogar na Europa era uma grande meta para mim, e logo em seguida fazer minha estreia, que foi um momento inesquecível. Dali as coisas começaram a acontecer até, eu conseguir chegar no futebol europeu, que era um grande sonho meu. Apesar das dificuldades do ano, eu tenho muito a agradecer.

Adaptação ao futebol do Chipre

No Chipre, a adaptação tem sido um pouco mais demorada, mas o trabalho aos poucos vem sendo recompensado. Pela Copa do Chipre, fez sua estreia pelos cipriotas e foi titular pela primeira vez da equipe de Nicósia.

Sempre me cobro muito em relação a minha evolução dentro de campo e minha melhor adaptação. Espero que 2021 seja um ano de várias oportunidades e conquistas. Vou seguir dando meu melhor como sempre dei e aproveitando as oportunidades que aparecerem. – disse.

Por fim, desde agosto no APOEL o volante quer conquistar mais espaço no Velho Continente.

Espero conseguir um espaço entre os titulares, almejo conquistar vários títulos aqui. É um clube que já tenho grande carinho, por me ajudar a me tornar um grande profissional.  – concluiu.

Ruan Silva
Meu nome é Ruan Silva e sou de Altamira no Pará. Pós-graduado na área de Letras, mas a paixão mesmo é o futebol e o jornalismo, tenho como ídolos ídolos, ícones como Galvão Bueno, Luciano do Valle, André Henning e Vitor Sérgio Rodrigues. Sou deficiente físico, mas nada que impeça de exercer diversas atividades. Sou apaixonado por todos os esportes, Enfim! Sonho em fazer um passo a cada dia, um melhor do que o outro.

Artigos Relacionados