Anderson Luiz de Carvalho, mais conhecido como Nenê, tem uma carreira de respeito no futebol e ainda faz boas aparições com o Fluminense nesta temporada. Antes de retornar ao Brasil, o meia teve algumas boas passagens internacionais e uma delas marcou a carreira do brasileiro. Trata-se do Paris Saint-Germain, e a coluna Além dos Blues desta semana relembra a passagem marcante do meio-campista, que foi pioneiro no crescimento  da equipe francesa no cenário nacional.

DESTAQUE NO MÔNACO E A ESTREIA DE NENÊ

Nenê uma temporada 2009/2010 de destaque com a camisa do Mônaco, onde perdeu a final da Copa da França para o próprio PSG. Como resultado, o brasileiro disputou a artilharia da competição durante todo aquele ano e foi o atleta que mais marcou gols e deu assistências, tendo 15 tentos e sete passes para gol. Com isso, o Paris Saint-Germain foi buscar a sua contratação e pagou 5,5 milhões de euros aos monegascos.

Sua apresentação foi tímida, apesar de se tratar de um dos melhores jogadores do Campeonato Francês na época. Logo depois, sua estreia foi em 28/07/2010 e em uma partida decisiva contra o Olympique de Marseille, pela final da Supercopa da França. O resultado, não foi satisfatório, visto que o PSG perdeu nos pênaltis por 5 x 4, após o placar não sofrer alteração no tempo normal. Todavia, Nenê teve boa movimentação na partida e jogou os 120′ minutos de jogo.

A PRIMEIRA TEMPORADA DE NENÊ

Em sua primeira temporada Nenê já ganhou destaque, pela Ligue 1 estreou logo na 1ª rodada, em um confronto no Parc dos Princes contra o Saint-Étienne. Dessa maneira, o brasileiro deixou seu primeiro gol com a camisa do PSG e mostrava que seria dono não só do meio-campo, mas também o principal atleta da equipe.

Porém, o Paris Saint-Germain foi instável logo depois da estreia, nos três jogos seguintes o clube não conquistou nenhuma vitória, tendo duas derrotas e um empate sem gols. Com isso, Nenê passou em branco nos três confrontos. Todavia, na 5ª rodada os parisienses receberam o Arles, em casa e o brasileiro não só voltou a marcar, como fez dois tentos e ainda deu uma assistência na goleada por 4 x 0.

Consequentemente, o PSG conseguiu uma sequência de invencibilidade na competição, que durou até a 10ª rodada, quando perdeu para o Auxerr, fora de casa, por 3 x 2, com Nenê marcando dois gols. Anteriormente, o brasileiro tinha deixado sua marca na vitória como visitante diante o Lens, por 2 x 0.

CHEGOU, CHEGANDO

Nenê já chamava a atenção da França com seu bom futebol e era uma das figuras daquela Ligue 1. Como resultado, até o final do turno, o meia teve algumas partidas de destaque no Campeonato Francês, como contra o Marseille, onde deixou duas assistências na vitória por 2 x 1. Além disso, marcou dois gols em duelos contra o Valenciennes e o Mônaco e foi eleito o melhor jogador do mês de dezembro e o do 1º turno.

Após a volta da competição após a paralisação para as festividades de final de ano, Nenê teve uma queda em seus números de gols. Assim, até o final da competição balançou as redes apenas na vitória sobre o Valenciennes por 3 x 1, mas o atleta ganhou ainda mais destaque nas assistências, fazendo nove ao todo. Como resultado, o PSG terminou em 4º lugar e o meio-campista teve 14 tentos e 13 passes para gols. Consequentemente, foi eleito o melhor jogador da competição, melhor estrangeiro e o melhor do time, em enquete da torcida.

NENÊ NAS COPAS NACIONAIS E INTERNACIONAIS

Naquele ano, o Paris Saint-Germain ainda chegou a final da Copa da França. Antes da decisão, em quatro partidas disputadas, Nenê deu incríveis seis passes para gols e deixou sua marca duas vezes, uma delas na semfinal contra o Angers, na vitória por 3 x 1. Entretanto, na partida decisiva, o PSG ão conseguiu o título e perdeu para o Lille, por 1 x 0. Enquanto isso, na Copa da Liga, o meia jogou apenas a partida das semifinais, onde o clube foi eliminado na prorrogação, pelo placar mínimo.

Já na Liga Europa, Nenê foi com o PSG apenas até as oitavas de final, onde parou no Benfica de Jorge Jesus. Como resultado, o clube empatou em casa por 1 x 1 e foi derrotado por 2 x 1 no Estadio da Luz. Dessa forma, em toda a competição, o brasileiro disputou nove jogos, fez quatro gols e deu sete assistências.

A MUDANÇA DO PSG

Em 2011, o Paris Saint-Germain foi comprado pela Qatar Sports Investments, que prometeu fortes investimentos no futebol e tornaria o clube o maior da França. Dessa forma, chegaram à Paris: Mohammed Sissoko, Salvatore Sirigu, Kevin Gameiro, Blaise Matuidi, Jéremy Menez e Javier Pastore. Mas, Nenê continuou atuando com frequência e tinha seu lugar na equipe.

Na Liga Europa, após passar pela fase eliminatória, o Paris Saint-Germain caiu do Grupo F com Athletic Bilbao, RB Salzburg e Blatislava. Como resultado, obteve três vitórias, um empate e duas derrotas, uma campanha que não foi suficiente para chegar aos mata-matas, mesmo com Nenê ajudando com dois gols e três assistências.

Nas copas nacionais, o novo rico do futebol também não foi feliz. Assim, pela Copa da Liga ficou nas oitavas de final ao perder fora de casa para o Dijon, por 3 x 2, com Nenê entrando no 2º tempo e atuando 20 minutos. Enquanto isso, na Copa da França foi eliminado pelo Lyon, ao ser batido por 3 x 1, em toda competição, o meio-campista fez quatro gols em quatro partidas e deu dois passes para gol.

PSG BATE NA TRAVE

Sobrou para o PSG a Ligue 1 e com os reforços, o clube colocou como prioridade conquistar o nacional. Com isso, Nenê ficou de fora de apenas três partidas e nas outras 35 atuou sempre como titular. Na 12ª rodada, o meio-campista anotou dois gols na vitória sobre o Caen por 4 x 1, sendo a partida decisiva para ganhar o prêmio de melhor jogador da competição em outubro. Anteriormente, o então camisa 10 já tinha anotado duas assistências e balançado a rede em outras quatro oportunidades.

Posteriormente, marcou novamente contra o Auxerre, mas em 14 de janeiro de 2012, Nenê marcou dois gols na partida contra o Toulouse, que o PSG venceu por 3 x 1, em casa. Com isso, o brasileiro entrou no top 20 de maiores artilheiros do clube em partidas oficiais.

Ao todo, Nenê marcou 21 gols no Campeonato Francês e dividiu a artilharia com Olivier Giroud, que estava no Montpellier. Além disso, foi eleito o novamente o melhor da equipe pelos torcedores, foi indicado para o prêmio de melhor jogador da competição, mas desta vez quem levou foi Eden Hazard, do Lille. O PSG terminou aquela temporada na 2ª colocação e sem conquistas em seu primeiro ano como ”rico”.

A ÚLTIMA TEMPORADA DE NENÊ

Sua última temporada no Paris Saint-Germain foi um pouco conturbada. Assim, em 11 de agosto de 2012, o jogador começa a primeira partida na Ligue 1 no banco de reservas. Porém, no 2º tempo, Nenê entrou e ainda deu uma assistência para Zlatan Ibrahimovic marcar.

O PSG disputou a Champions League naquela temporada e na estreia contra o Dinamo de Kiev, Nenê novamente entrou com a partida em andamento e deu uma assistências para Javier Pastore.  Logo depois, aos poucos o meia foi ganhando mais espaço e no Campeonato Francês deu duas assistências no duelo contra o Bastia. Logo depois, foi titular contra o Porto, pela Champions, mas teve dificuldades de encaixe de jogo com Ibra e Ménez e não foi bem.

Anteriormente, Nenê atuava um pouco mais pelo lado direito, tendo liberdade de flutuar no meio-campo, mas com as novas contratações, foi “obrigado” a jogar como um meia central e pouco brilhou. Em seguida, acabou ficando fora do clássico contra o Olympique de Marseille, por decisão técnica.

LESÃO E POLÊMICA

Logo depois, voltou a equipe no embate contra o Stade de Reims, pela Ligue 1. Porém, acabou sofrendo uma grave lesão na face e foi substituído por Ménez no intervalo. A princípio não parecia ter sido algo preocupante, mas depois o resultado veio e Nenê teve que ficar da equipe. Voltou somente contra o Rennes, três meses depois e marcou um gol na vitória do Paris.

Porém, o técnico Carlo Ancelotti parou de relacionar o jogador para as partidas, além disso, quando esteve machucado, Nenê foi flagrado patinando no gelo. A situação gerou muitas críticas e após não ser mais utilizado, deixou de treinar e comunicou os diretores do clube que queria sair. Assim, seu contrato iria até o meio da temporada, mas o PSG liberou o meia em janeiro de 2013.

Nenê deixou sua marca com a camisa do Paris Saint-Germain, sendo o principal jogador do início de grandeza do clube que ainda luta para chegar ao topo na Europa. Em sua despedida, o meio-campista deixou uma carta em respeito a equipe e aos torcedores.

Amo a cidade, o PSG e sua torcida, que sempre me trataram com muito respeito. Através das redes sociais, recebo pessoalmente muitas mensagens de apoiantes a pedir-me para ficar. É uma decisão difícil, mas acho que é hora de seguir um novo rumo na minha carreira. Acho que vamos chegar a um acordo para encerrar meu contrato e me liberar dos seis meses restantes”.

Após fazer história no PSG, Nenê era cortejado por Milan, Besiktas e Santos, mas acabou fechando contrato com o Al-Garrafa, dos Emirados Árabes. Logo depois, teve uma passagem sem brilho com a camisa do West Ham e retornou ao Brasil para defender o Vasco. Posteriormente, ainda foi atleta do São Paulo e atualmente está no Fluminense.

Foto destaque: Reprodução/AP

Alexsander Vieira
Alexsander Vieira
Quando pequeno, pensava em trabalhar com o futebol, como jogador. Por situações não harmoniosas esse sonho se dissolveu, porém achei outra maneira de continuar no esporte. Foi com as mãos que decidi trabalhar, informar minha nação com os melhores acontecimentos, e sempre ter credibilidade no que passo à frente. Obs: 3 x 0 não é goleada.
http://www.radioprado.com.br

Artigos Relacionados