Não tem desculpa

- Duelo decisivo contra o Palmeiras é o maior teste para o futebol reativo de Jair Ventura
Fallback Image

Nesta terça-feira, a partir das 20h30, no Pacaembu, Palmeiras e Santos decidirão quem será o primeiro finalista do Campeonato Paulista. A vantagem é do Verdão, que venceu a primeira partida por 1 a 0. Jogando em um estádio lotado por alviverdes e em desvantagem, este será o maior teste para o dito futebol reativo de Jair Ventura.

Em termos táticos, o futebol reativo caracteriza-se, de modo simples, por jogar no contra-ataque, reagindo ao ataque adversário. Foi assim que Jair Ventura montou o Botafogo em sua surpreendente campanha. Como treinador santista, chamou atenção a forma como seu time se portou no clássico contra o São Paulo, em pleno Morumbi: com duas linhas compactas, o Peixe não correu riscos contra o Tricolor e jogou por uma bola, literalmente. Deu certo, mas não é a postura que mais agrada a torcida.

Não agrada e não tem sido útil, já que o time não tem a menor criatividade. Hoje, o meio-campo é o calcanhar de Aquiles da equipe e o destaque vem sendo o incansável Alison, cada vez melhor. O volante, contudo, não tem a habilidade necessária para armar o jogo. Como articulador, já foram testados Vecchio, Jean Mota, Vitor Bueno e Diogo Vitor. O primeiro é o mais adequado para a posição, por ter bom passe e visão de jogo, mas foi limado da equipe titular.

Como o time tem jogado?

Então, o Santos tem apelado irritantemente para ‘chutões' de David Braz e Lucas Veríssimo e chuveirinhos inexplicáveis dos laterais, sobretudo Daniel Guedes. O trio de ataque, que hoje deve ser formado por Rodrygo, Sasha e Gabriel, por ser baixo, apenas observa a bola viajando de um lado para o outro.

Dito isto, a partida de hoje tende a ser o grande teste para a postura reativa do Peixe. O Palmeiras, mesmo tendo a vantagem, por jogar diante de sua torcida, deve propor o jogo, pressionar o Santos desde o começo em busca de gols. O time de Roger Machado ataca em bloco, usa e abusa da velocidade e explora a amplitude do campo. Por isso, jogar no contra-ataque pode ser o caminho. Mais do que isso, o time de Jair Ventura precisa ser letal. Na última partida, Jaílson foi monstruoso, é verdade, mas faltou competência aos santistas.

Por fim, a postura da equipe pode definir o destino do Santos na competição. Se repetir a postura dos primeiros tempos jogados contra Corinthians e Palmeiras, a eliminação será questão de tempo. Ao Peixe, cabe jogar de forma honrosa, pois é inaceitável que uma equipe deste porte não marque um gol sequer na fase final de um campeonato estadual. A grosso modo, jogar bola é a ordem. Se isto for feito, pouco importa se o futebol será reativo. Tem de ser efetivo.

André Siqueira Cardoso

Sobre André Siqueira Cardoso

André Siqueira Cardoso já escreveu 313 posts nesse site..

Sou André Siqueira Cardoso, tenho 21 anos. Aluno de jornalismo da Escola de Comunicação e Artes da Universidade de São Paulo (ECA-USP), atualmente trabalho em VEJA, com a cobertura do noticiário político. Apaixonado por esportes, jogador de futebol até hoje, tenho o sonho de cobrir uma Copa do Mundo.

BetWarrior


Poliesportiva


André Siqueira Cardoso
André Siqueira Cardoso
Sou André Siqueira Cardoso, tenho 21 anos. Aluno de jornalismo da Escola de Comunicação e Artes da Universidade de São Paulo (ECA-USP), atualmente trabalho em VEJA, com a cobertura do noticiário político. Apaixonado por esportes, jogador de futebol até hoje, tenho o sonho de cobrir uma Copa do Mundo.

    Artigos Relacionados

    Topo