Nacional e Peñarol vencem e briga pelo título vai para a última rodada

- Tricolores e Carboneros são os únicos que podem levar o título do Apertura Uruguaio 2018. Nacional está dois ponto a frente

Reta final do Apertura Uruguaio 2018. O Nacional venceu seu jogo no sábado e o Peñarol também fez a lição de casa, mas no domingo. Com isso, a briga pelo título foi adiada para a última rodada onde os tricolores têm a vantagem de estarem dois pontos a frente e dependerem somente de si para serem campeões. Já os carboneros, precisam torcer por um tropeço do rival, além de vencer seu jogo. Veja como foi a rodada de jogos do fim de semana do Apertura. Rodada termina hoje, às 19h15, com Defensor Sporting x Boston River.

Apertura Uruguaio – 14ª rodada

Sábado – 28/4

Fénix 0 x 1 Danubio

Danubio era favorito na rodada e confirmou isso ao vencer o Fénix, fora de casa, de forma suada, pelo placar mínimo. A disputa pelo campeonato já terminou, fazendo com que os boêmios só pensem em somar pontos para o final da temporada, na tabela geral, onde esta sim vale alguma coisa. O gol do jogo foi marcado por David Terans, aos 93 minutos de jogo, no apagar das luzes. Com o resultado o Danubio passa o Defensor, que joga hoje, e assume a terceira posição. Os albivioletas ficam na 10ª posição.

Montevideo Wanderers 0 x 1 Cerro

Montevideo Wanderers confirmou a má fase que vive no Campeonato Uruguaio e perdeu pelo placar mínimo, em casa, para o Cerro. O gol do jogo foi marcado por Gastón Paiva, aos 47 minutos de jogo. O Wanderers está na nona colocação e o Cerro na sétima. A diferença agora é de quatro pontos entre eles.

Racing x El Tanque Sisley (ANULADO)

Nacional 2 x 1 Atenas

Nacional conseguiu vencer seu jogo no sábado e agora só depende de si mesmo para ser campeão do Apertura já na próxima rodada. O título não veio nesta, pois o Peñarol, único que poderia atrapalhar a conquista antecipada, venceu e realmente atrapalhou. Quanto ao jogo contra o Atenas, em casa, os tricolores não tiveram dificuldades. Foram soberanos durante os mais de 90 minutos de jogo. O capitão Diego Arismendi abriu o placar para os donos da casa aos 42′, deixando o time na vantagem ainda antes do intervalo.

Gol de Diego Arismendi que abriu o placar (Reprodução/Tenfield.com)

Na etapa complementar os mandantes seguiram pressionando. Até que, aos 75′, Alfonso Espino marca o segundo tricolor deixando o título nas mãos do jogo de domingo. O time controlou a partida e só foi ser vazado aos incríveis 107′ minutos de jogo, no gol de honra de Santiago Barboza. O motivo dos acréscimos foi um blackout no estádio no minuto 26′. Na verdade o gol aconteceu aos 90′, mas com o tempo da paralisação rolando vai para o minuto 107. Vale ressaltar a linda festa que fez o torcedor do Nacional quando as luzes se apagaram. Assim como é feito em muitos estádios quando cai a energia ou tem algum problema e até em shows, os aficionados ligaram as lanternas de seus celulares e ofereceram um show a parte.

Apagão Estádio José María Delgado (Reprodução/Tenfield.com)

Outro dado interessante na partida foi a campanha que fez o Nacional. O time entrou em campo com uma camisa comemorativa dos 119 anos de história do clube. A campanha se chama 6.119 km e é uma corrida (a quinta) para os sócios do clube. O evento já se tornou um clássico e acontece dia 20 de maio, data do aniversário do time.

Jogadores do Nacional com a camisa comemorativa dos 119 anos do clube (Reprodução/Tenfield.com)

Domingo – 29/4

River Plate 5 x 0 Liverpool Montevideo

River Plate massacrou o Liverpool Montevideo em casa por 5 x 0. Os clubes estavam em posições próximas, mas o visitante era considerado o favorito, mas nada disso se confirmou. Juan Manuel Olivera colocou os mandantes a frente aos 14′. Aos 35′, Agustín Ale ampliou e fechou a primeira etapa com uma boa vantagem. Na segunda etapa, como dizia Galvão Bueno, “virou passeio”. Facundo Bone marcou aos 56′, Nicolás Rodríguez aos 72′ e Bruno Correa fechou a goleada aos 81′, colocando o River em sexto e a dois pontos do Liverpool, quinto.

Agustín Ale abraça Juan Manuel Olivera. Os dois marcaram contra o Liverpool (Reprodução/Tenfield.com)

Progreso 0 x 1 Peñarol

Progreso tinha a missão de “segurar” o Peñarol para garantir seus três pontos e, inevitavelmente, ajudar o Nacional a ser campeão com uma rodada de antecedência. Mas os carboneros souberam administrar a partida e acabaram por vencer por 1 x 0, fora de casa, com gol isolado de Fidel Martínez, logo aos 13 minutos de jogo. A vitória leva a disputa pelo título do Apertura ir para a última rodada com o Peñarol tendo de vencer e torcer por tropeço do Nacional.

O equatoriano Fidel Martínez comemora o gol da vitória (Reprodução/Tenfield.com)

Um fato curioso na partida deste domingo, foi que o goleiro dos visitantes, Kevin Dawson, entrou em campo com uma camisa da mesma cor da arbitragem (azul), que o aconselhou a trocar seu uniforme pelo reserva. Porém, a comissão técnica não levou o outro uniforme, o que fez com que Dawson recorresse a um torcedor que usava uma camisa do goleiro, que também usara na temporada e tinha outra cor (laranja), para poder jogar a partida até que a camisa (preta) chegasse. O torcedor gentilmente cedeu sua camisa e ganhou um agasalho do clube para assistir a peleja. Na segunda etapa, já com o uniforme correto, o arqueiro voltou todo de verde.

Torcedor do Peñarol cede camisa de goleiro a Kevin Dawson para não retardar o início da partida (Reprodução/Tn.com.ar)

Rampla Juniors 2 x 1 Torque

Fechando a rodada de domingo, o Rampla Juniors bateu o Torque em casa por 2 x 1. Não pode ser considerado zebra porque os dois times vêm muito mal na competição, mas o Rampla só havia vencido uma partida na competição, que foi o W.O. em cima do El Tanque Sisley, clube rebaixado que teve todas as suas partidas anuladas e dadas por W.O. ao rival. Já o Torque vinha com leve favoritismo por ter vencido, pelo menos, um adversário de forma legítima. Os donos da casa ainda saíram atrás do placar quando Mauricio Gómez abriu o placar para os visitantes, aos 56′. Mas a reação veio poucos minutos depois. Aos 74′, de pênalti, Diego Martiñones empatou e quatro minutos depois o brasileiro Igor Paim virou dando a vitória aos anfitriões que seguem na lanterna. Torque é penúltimo, ambos com 10 pontos.

[soccer-info id='519′ type='table' /]

Eric Filardi

Sobre Eric Filardi

Eric Filardi já escreveu 1234 posts nesse site..

Quando pequeno quis ser jogador. O sonho de criança passou. Uma vida nova se anseia. Bem-vindo ao melhor site de futebol. Bem-vindo ao Futebol na Veia. Sou Eric Filardi, paulistano de 27 anos, jornalista pós-graduado em Jornalismo Esportivo e apaixonado por futebol. Como todo jornalista amo escrever. Como todo brasileiro amo futebol. Tenho meu clube e minhas preferências, mas viso o profissionalismo e a imparcialidade, sem deixar de lado a criatividade. Sou Tricolor, Peixe, Palestra e Timão. Sou da Colina, Glorioso, Flu e Mengão. Sou brasileiro, hermano, francês e italiano. Sou Ghiggia, Paolo Rossi, Caniggia e Zidane. Sou Alemanha dos 7 x 1, mas que o povo não se engane. Também sou Ronaldo, Romário, Zico, Garrincha e Pelé. Sou Bundesliga, MLS, Eredivisie e Premier. Sou das várzeas e dos terrões. Sou Clássico das Multidões. Sou Sul, Nordeste, Amazônia e Pantanal. Sou Galo, Raposa, Bavi e Grenal. Sou Ásia e África. Sou Barça e Real. Sou as Américas, a Europa, sou o mundo em geral. Sou a festa nas arquibancadas, que o estádio incendeia: sou Futebol na Veia.

BetWarrior


Poliesportiva


Eric Filardi
Eric Filardi
Quando pequeno quis ser jogador. O sonho de criança passou. Uma vida nova se anseia. Bem-vindo ao melhor site de futebol. Bem-vindo ao Futebol na Veia. Sou Eric Filardi, paulistano de 27 anos, jornalista pós-graduado em Jornalismo Esportivo e apaixonado por futebol. Como todo jornalista amo escrever. Como todo brasileiro amo futebol. Tenho meu clube e minhas preferências, mas viso o profissionalismo e a imparcialidade, sem deixar de lado a criatividade. Sou Tricolor, Peixe, Palestra e Timão. Sou da Colina, Glorioso, Flu e Mengão. Sou brasileiro, hermano, francês e italiano. Sou Ghiggia, Paolo Rossi, Caniggia e Zidane. Sou Alemanha dos 7 x 1, mas que o povo não se engane. Também sou Ronaldo, Romário, Zico, Garrincha e Pelé. Sou Bundesliga, MLS, Eredivisie e Premier. Sou das várzeas e dos terrões. Sou Clássico das Multidões. Sou Sul, Nordeste, Amazônia e Pantanal. Sou Galo, Raposa, Bavi e Grenal. Sou Ásia e África. Sou Barça e Real. Sou as Américas, a Europa, sou o mundo em geral. Sou a festa nas arquibancadas, que o estádio incendeia: sou Futebol na Veia.
http://www.ericfilardi.com.br

Artigos Relacionados

Topo