Nesta quarta-feira (15), o presidente do Remo, Fábio Bentes, e a diretoria do clube concederam uma entrevista coletiva à imprensa com transmissão simultânea através do YouTube. Dessa forma, vários assuntos foram perguntados, entre eles, como foi recebida a decisão de 20% da capacidade de público pela prefeitura, enquanto o governo liberou 30%.

Me causou muita surpresa o decreto municipal liberando 20%. Havia um decreto anterior do governo do estado baseado em um estudo, levando em consideração a taxa de ocupação de leito e da pandemia em Belém. Esse estudo propunha, dentro dos critérios adotados, a liberação entre 30% e 50%. O governo, nesse primeiro momento, optou por 30%. É um percentual que não traria grande retorno, mas que seria viável”.

Entretanto, outra questão foi se Fábio Bentes entraria com ação contra a prefeitura afim de obter liberação de 30% nos estádios. Ao passo que o mandatário azulino disse que realizou um apelo ao órgão municipal e aguarda um retorno positivo.

Estamos tentando apelar ao governo municipal para que reveja essa decisão, que não foi apresentado um motivo. Não tem uma justificativa plausível. Quem anda na cidade, vê todos os locais lotados. Todo final de semana é boates, shows e aparelhagem lotados, bares do outro lado da ilha todos sem máscara. Tenho certeza que ali não são fiscalizando se as pessoas estão vacinadas, como foi colocado como exigência para o futebol, com PCR negativo. Nenhuma daquelas pessoas fizeram inquérito epidemiológico e ali não tem nunca 20%, as casas estão utilizando lotação normal. Por que essa descriminação com o futebol? Quero saber se só no futebol que pega Covid?”.

Foto: Reprodução/Remo TV

Tathiane Marques
Na verdade, não fui eu que escolhi o jornalismo e sim ele que me escolheu. Sem dúvidas, a profissão é como um oceano que precisa ser desvendado na sua profundeza, só assim é possível conhecer e respeitar toda sua beleza.