Mulheres: mais uma conquista na história

A seleção feminina de futebol do Afeganistão ganhou mais uma peça para lutar por seus direitos. O dia 8 de março não poderia trazer notícia melhor para a seleção Afegã. As jogadoras receberam como doação da marca dinamarquesa Hummel, um novo uniforme, que conta com um hijab (vestimenta adotada pela doutrina islâmica para cobrir a cabeça) para cobrir a cabeça das jogadoras durante as partidas.

A FIFA, desde 2012 autorizou o uso do hijab nas competições oficiais, porém as leis francesas que impõe o Estado Laico, proíbem o uso de qualquer símbolo religioso ou confessional nas competições.

Em 2014 o Board – órgão que administra as leis do esporte mundial junto à FIFA – havia autorizado o uso de véus com a condição de que ele não poderia estar preso à camisa e o assessório não pode atrapalhar o rendimento das jogadoras.

Para a empresa, o lançamento do novo produto é “razão a mais para comemorar o Dia Internacional da Mulher”. Para desenvolver o produto inédito, a Hummel uniu performance às tradições do país, e para entender mais sobre, a empresa consultou a ex-campeã da seleção, Khalida Popal.

Popal é ex-chefe do comitê de futebol e finanças do Afeganistão Football Federation das mulheres. Atualmente trabalha para a Hummel Internacional como coordenadora do projeto dinamarquês “cruzamento de culturas”.

Para ela, “num país como o Afeganistão, o uniforme nos fortalece, é uma espécie de ferramenta que traz segurança às jogadoras afegãs”, a jogadora disse também que o uniforme as faz sentir poderosas.

“Estive envolvida nas consultas sobre o design da camisa desde o início. A ideia do uniforme é incorporar o melhor das tradições do país junto com a força e caráter das jogadoras”, declarou a ex-jogadora.

Antigamente as atletas tinham que usar calças, camisas de manga longa e capuzes que dificultavam o desempenho em campo. Sendo assim, o esforço e dedicação da Hummel devem ser valorizados. Segundo o dono da empresa, Christian Stadil, a

ação da Hummel é mais um passo da missão que a empresa segue de “mudar o mundo o esporte”. Ele explica que “não patrocinamos os maiores times do mundo, mas fazemos parcerias com times que têm uma história para contar”.

Além de ter criado um produto significativo, o capricho estético não ficou para trás. A nova camisa do Afeganistão conta com uma série de detalhes que foram inspirados na precisão criativa dos artesãos do país, como as caligrafias, o cuidado com a criação de joias e as esculturas em madeira. A camisa conta com um leão como marca d’agua na frente e nas costas, o padrão nas barras das mangas e cintura.

O designer da marca, Paul Fitzgerald comenta mais alguns detalhes das camisas. “As titulares e as reservas tem o vermelho e o branco como cores predominantes, ainda trazem o escudo da federação em 3D e nas costas a data 1922, data em que foi criada a entidade”. A Hummel tem orgulho do design que criou.

Além da versão feminina com e sem o hijab, os uniformes também foram lançados para o futebol masculino. E para reforçar o compromisso com desenvolvimento do esporte, a empresa dinamarquesa vai doar €15 para cada peça vendida para os torcedores.

Carolina Keyko
Carolina Keyko
Sou Carolina Keyko Rodrigues, 21 anos, estudante de jornalismo, apaixonada por esportes, música, teatro, gastronomia e fotografia. Já trabalhei como estagiária para a Arquidiocese de São Paulo como gestora de mídias sociais, Estagiária para os Doutores da Web com SEO. Gosto de áreas que me desafiem a escrever, como o futebol, que esta em constantes mudanças, costumo assistir os jogos do Santos com a fanática da minha irmã e acompanho meu pai nos jogos da Portuguesa, pois é, faz parte.

Artigos Relacionados

Topo