Morre Diego Maradona, ídolo e lenda do futebol

- Argentino, de 60 anos, havia retirado um coágulo de sangue entre o cérebro e crânio há pouco tempo
Fallback Image

O futebol sofreu mais um baque nesta quarta-feira (25). Morreu Diego Armando Maradona Franco, de 60 anos, vítima de uma parada cardiorrespiratória. As informações são do jornal Clarín, da Argentina. De acordo com a publicação, ele estava em casa, em Tigre. Dessa forma, não há maiores informações sobre horário da morte ou como será o enterro.

Maradona havia passado por um problema de saúde recentemente. Há poucos dias atrás o ídolo passou por uma cirurgia para a retirada de um coágulo de sangue entre o cérebro e o crânio. A lesão foi causada por pancadas. O atual técnico do Gimnasia de La Plata, que completou 60 anos no último dia 30 de outubro, chegou a ir para o hospital. Contudo, não resistiu.

O ÍDOLO

Diego Maradona é o quinto filho dos oitos do casal Don Diego e Dalma Salvadora Franco, dona Tota. Desde pequeno já chamava atenção dos clubes da cidade pelo seu talento nato. Com 15 anos, ainda em 1976, estreou profissionalmente no Argentinos Juniors. Pela equipe, foi cinco vezes artilheiro do Campeonato Argentino. No final de 1980, foi para o Boca Juniors, onde foi campeão nacional.

Em 1982, foi para o Barcelona onde viveu os seus piores momentos. Dessa forma, em dois anos ficou sem jogar por uma temporada completa. Dessa forma, o tempo longe dos gramados o fez entrar em uma crise profunda, que resultou no uso de cocaína. Assim, dois anos depois de sua chegada na Espanha, ele foi para o Napoli, em uma decisão que deixou todos confusos.

Contudo, antes de brilhar pela equipe italiana, viveu seu melhor momento na carreira em 1986, na Copa do Mundo no México. Chamado de Mano de Dios, o camisa 10 conduziu a Argentina ao bicampeonato e foi responsável por grande genialidade e o “gol do século”, diante a Inglaterra. Na temporada de 86/87, levou o Napoli ao título italiano, onde também conquistou a Copa da Itália e a Copa UEFA, em 1990.

PROBLEMAS DE SAÚDE

O fim da carreira de Maradona, em 1997, o expôs ainda mais no vício em cocaína. Em 2000, o ex-jogador teve uma overdose em Punta del Este, no Uruguai. Ele ficou internado em estado crítico. Enquanto isso, em 2004, foi internado em Buenos Aires com complicações cardíacas. Ele, inclusive, ficou um tempo em Cuba para se curar do vício.

Em 2010, o argentino foi o treinador da sua seleção na Copa do Mundo. Na ocasião, apresentou uma melhor saúde. Além disso, nos últimos tempos, Dieguito começou a se dedicar ainda mais em sua carreira de técnico. Dessa forma, trabalhou no Al-Wasl, dos Emirados Árabes Unidos, e no Dorados, do México. Há pouco tempo, ele assumiu os comandos do Gimnasia de La Plata. Ele garantia estar livre da cocaína; No entanto, o abuso no uso de bebidas alcoólicas acabou sendo apontado como um fator que complicou a sua saúde.

Foto destaque: Reprodução/Agência Estado 1986

BetWarrior

Lauren Berger
Lauren Berger
Lauren Berger, gaúcha e apaixonada por futebol. Cresci vendo grandes nomes do Brasil em campo e um sentimento especial cresceu em mim. Vi Ronaldinho Gaúcho, Fernandão, Cristiano Ronaldo, Iniesta e foi amor à primeira partida. Estudo na Universidade Luterana do Brasil-RS.

Artigos Relacionados

Topo