MLSPA apresenta proposta para MLS

Na tarde dessa quinta-feira (28), em mais uma tentativa de finalizar as negociações da nova CBA a Associação de Jogadores da MLS (MLSPA) enviou uma proposta para a MLS. Sendo assim, a MLSPA tenta evitar a primeira paralisação da história da liga. Por isso, a Associação de Jogadores publicou uma declaração da proposta em suas redes sociais. Um dos pontos que o sindicato está pedindo é que os jogadores com 23 anos de idade ou mais e com pelo menos quatro anos de serviço se qualifiquem para a agência gratuita em 2025 e 2026. Além disso, eles estão oferecendo uma redução do teto salarial para os anos de 2022 – 2025. Por fim, reduz o valor da divisão de receita no próximo acordo de direitos de mídia para 12,5% para 2024. O montante dessas concessões seria no valor de cerca US$ 53 milhões.

Desde que a MLS invocou a cláusula de força maior, os dois lados estão tendo dificuldades de chegar a um acordo. A liga invocou por “impacto econômico” por temer mais um ano com pouco ou nenhum torcedor nos estádios, o que afetou as receitas em 2020. Com a cláusula, houve uma prorrogação de mais 30 dias e com o novo término na virada do dia 28 para 29 de janeiro. E por achar um prazo curto, a liga já havia enviado um memorando alertando para uma possível paralisação trabalhista. Essa foi a terceira vez que as negociações foram reabertas. Os dois lados chegaram a um acordo de princípio em fevereiro de 2020, mas nenhum dos dois ratificou formalmente o acordo. E por fim, em junho do ano passado a MLS reabriu as negociações, com os dois lados concordando em um acordo revisado.

PARTE DA DECLARAÇÃO DA MLSPA

“Em meio a uma nuvem de incerteza durante a temporada 2021, os jogadores foram mais uma vez forçados a voltar à mesa de negociações. Hoje, após discussão e aprovação pelo Comitê de Negociação da MLSPA, foi apresentada à MLS uma proposta que inclui uma segunda extensão do atual mandato da CBA para incluir a temporada 2026. Juntamente com nosso acordo em junho passado, esta proposta resultará em mais de US$ 200 milhões em concessões econômicas e a adição de dois anos à CBA – um ano para cada um dos anos substancialmente impactados pela pandemia. Ela também reduzirá o impacto da divisão de receitas que foi um ganho tão difícil na CBA original.

Os jogadores e os funcionários claramente suportaram riscos substanciais para sua saúde física por causa da pandemia. Com estas concessões, os jogadores também suportaram inquestionavelmente uma porção substancial das perdas financeiras relacionadas à Covid. Na medida em que essas perdas continuam além das expectativas atuais, a CBA permite que as equipes reduzam ainda mais as despesas, ajustando seus gastos discricionários. Mais importante ainda, esta oferta cria uma estrutura revista da CBA para garantir o crescimento e a estabilidade contínua da MLS nos anos vindouros. Em troca e em reconhecimento dessas concessões, a proposta inclui modestas mudanças não econômicas para as temporadas 2025 e 2026, mudanças que beneficiariam os jogadores ao reduzir em um ano a idade de elegibilidade para a agência gratuita e diminuir algumas das restrições sobre os ganhos dos agentes livres.”

Foto Destaque: Reprodução/Socceresq

Marcos Sibinel
Olá, me chamo Marcos Sibinel, tenho 23 anos e curso jornalismo na Anhembi Morumbi. Nunca tinha pensado em seguir uma carreira como jornalista, mas foi quando cursava Relações Internacionais que percebi que tinha uma vontade de trabalhar com esportes. Fui então pesquisando sobre o curso de jornalismo esportivo que surgiu um grande interesse, além de amar nosso futebol, tenho vontade também de fazer o outro futebol, o americano, crescer ainda mais aqui no Brasil. Foi então que decidi que queria jornalismo esportivo. Twitter: @masibinel / Instagram: @masibinel

Artigos Relacionados