MLS

Na MLS, jogadores e equipes ficaram chocados com a morte de George Floyed. Floyed foi morto no dia 25 de maio, e sua morte gerou diversas ondas de protestos por todo o Estados Unidos. Sendo assim, muitas pessoas também ficaram assustadas com a brutalidade que ele foi morto, atores, pessoas da mídia e principalmente atletas se solidarizaram com os protestos. E não foi diferente com atletas e equipes da MLS, que usaram o Twitter para mostrar apoio as manifestações.

Alejandro Bedoya, meio-campista do Philadelphia Union foi um dos primeiros a manifestar seu apoio e escreveu que “permanecer em silêncio é ser cúmplice”. 

https://twitter.com/AleBedoya17/status/1266850495274123265?s=20

Logo em seguida, diversos outros atletas e times se manifestaram contra o racismo, além do próprio Philadelphia Union. Como também o Columbus Crew, LAFC, LA Galaxy, Colorado Rapis FC Dallas, entre outros. Por fim, ontem (1) a Major League Soccer postou um comunicado também nas suas redes sociais se solidarizando com a comunidade negra, que pede justiça pela morte de George Floyed e que liga usará sua plataforma para continuar a campanha de igualdade e justiça social.

Os protestos já estão ocorrendo a oito dias em diversas cidades dos EUA, dentre as cidades mais afetadas estão Minneapolis (onde George Floyd faleceu), Washington, Atlanta, Los Angeles, Filadélfia e Nova York.

Foto Destaque: Divulgação / MLS

Marcos Sibinel
Olá, me chamo Marcos Sibinel, tenho 23 anos e curso jornalismo na Anhembi Morumbi. Nunca tinha pensado em seguir uma carreira como jornalista, mas foi quando cursava Relações Internacionais que percebi que tinha uma vontade de trabalhar com esportes. Fui então pesquisando sobre o curso de jornalismo esportivo que surgiu um grande interesse, além de amar nosso futebol, tenho vontade também de fazer o outro futebol, o americano, crescer ainda mais aqui no Brasil. Foi então que decidi que queria jornalismo esportivo. Twitter: @masibinel / Instagram: @masibinel

Artigos Relacionados