Mina marca no último minuto e garante vitória do Palmeiras na Libertadores

Palmeiras derrota o Jorge Wilstermann (Bolívia) por 1×0, nesta quarta-feira (15), em São Paulo, pela Libertadores. O jogo foi muito disputado e várias faltas, somadas com “enrolações”, interromperam o confronto durante os 90 minutos (97, na verdade). Os donos da casa assumiram a liderança do grupo 5, chegando ao seu quarto ponto. Os visitantes agora ocupam a vice-liderança, com três pontos.

O Palmeiras começou a partida cumprindo com seu papel de mandante, pressionando os visitantes e buscando o gol nos minutos iniciais. Jean assustou logo aos 2. Após boa virada de jogo do Dudu, Michel Bastos ajeitou de peito para o lateral, que chutou e a bola bateu na rede pelo lado de fora. O confronto passou a ficar com um clima tenso, com os jogadores das duas equipes entrando muito forte nas dividas e o árbitro não assinalando as devidas faltas ou cartões. O Wilstermann quase abriu o placar aos 9, na verdade o Palmeiras mesmo, só que contra. Em cobrança de falta, o meia Thomaz cruzou, o lateral Morales resvalou de cabeça e a bola bateu no Mina. O desvio do zagueiro alviverde foi para a própria meta, e Fernando Prass precisou fazer uma boa defesa para evitar o gol contra. A equipe paulista chegava mais vezes na área adversária, porém sem muito perigo. As finalizações dos donos da casa ou eram facilmente defendidas pelo goleiro ou saiam pela linha de fundo. Uma das poucas chances reais veio com Borja, aos 25. Alejandro Guerra cruzou na área para o atacante alviverde, que dominou, girou e chutou; porém, sua finalização amorteceu na marcação e sobrou limpa para o goleiro. A marcação dos bolivianos estava muito bem colocada em campo. Além de dificultar Tchê Tchê e Borja de receberem a bola, a linha defensiva deixou o ataque palmeirense sete vezes em posição de impedimento apenas no primeiro tempo. O Palmeiras voltarou a assustar aos 37, quando Borja recebeu cruzamento de Michel Bastos e cabeceou no chão, mas a bola passou por cima do gol. O juiz encerrou a primeira etapa aos 47.

Fala, Edu Dracena!

Antes de descer para o vestiário, o zagueiro palmeirense comentou sobre a defesa visitante e também deu um aviso. “Dificuldade é que estão fazendo linha bem alta e estamos entrando em impedimento. É cadenciar o jogo, tocar bem a bola. Não adianta fazer correria e perder a bola”, disse Dracena. “Tem que valorizar os espaços. O ataque deles preocupa”, alertou.

O início do segundo tempo mostrou-se muito semelhante à primeira etapa: Palmeiras mantendo posse de bola e buscando o gol, o Wilstermann com a defesa forte e deixando o ataque adversário impedido. Os donos da casa criaram boas chances em um intervalo de três minutos. Aos 5, Guerra saiu livre na frente do goleiro ao receber um belo passe. Porém, o meia tentou dar um chapéu em Olivares e o goleiro adversário recuperou a bola. Mina balançou as redes aos 8, mas o colombiano estava impedido ao receber cruzamento de Jean, em uma cobrança de falta. O zagueiro tentou novamente aos 12, em uma cabeçada perigosa que foi espalmada para escanteio. Os mais de 38 mil torcedores presentes na Arena Palmeiras começavam a ficar impacientes, e o nervosismo das arquibancadas refletia nos atletas alviverdes, que tentavam excessivamente jogadas mal trabalhadas e cruzamentos na área. Nem mesmo os três atacantes, William, Keno e Róger Guedes, colocados em campo pelo técnico Eduardo Batista foram capazes de furar a defesa boliviana. Um atacante não, mas um zagueiro sim. Mina abriu o placar (desta vez não houve impedimento) aos 50, após um “bate-rebate” na área sobrar nos pés de Róger Guedes que deixou o colombiano com o gol aberto para balançar as redes. O clima de nervosismo que predominava no estádio tornou-se pura festa dos palmeirenses, ainda mais quando o juiz apitou o fim do confronto.

Róger Guedes pisou na bola, literalmente!

Após receber passe de Keno, o jovem atacante concretizou uma das gírias mais consagradas do futebol (para a infelicidade dele e do torcedor), na marca dos 30.

Melhor da partida: Felipe Melo foi “o cara” do jogo. Apesar de não ser o jogador mais técnico de seu elenco, o volante palmeirense mostrou muita vontade tanto na marcação quanto na armação das jogadas, mesmo errando alguns passes. Mina se destacou na defesa e também no ataque, anotando o único gol da partida.

O próximo compromisso do Palmeiras será neste domingo (19), no clássico contra o Santos na Vila Belmiro, às 18:30h, pelo Campeonato Paulista. O Jorge Wilstermann recebe o Bolívar também no domingo, às 21h, pelo Campeonato Boliviano.

BetWarrior


Poliesportiva


Guilherme Papa
Guilherme Papa
Guilherme Papa é estudante, de 21 anos, da turma do 5º semestre de Jornalismo da Universidade Metodista de São Paulo. Completamente louco por futebol, tem como objetivo transmitir informações do mundo da bola da melhor maneira possível.

Artigos Relacionados

Topo