Messi tem na marca da cal o seu pior inimigo

Diante de tudo que o craque argentino representa, não é fácil assumir um ponto de fraqueza em meio a tanta genialidade. Dizer que Lionel Messi tem a capacidade de fracassar, por tudo que ele já contribuiu ao futebol é um desafio para os amantes do desporto, porém, não há nada dentro das quatro linhas, que deixe tão claro que há humanidade em meio ao brilhantismo que cerca o camisa 10, do que uma cobrança de pênalti.

Dentro de uma partida em que tudo fez, uma cobrança mal feita resumiu toda contribuição de la pulga no jogo. Neutralizado ofensivamente pela forte marcação da Islândia, Messi via o tempo passar e a ineficiência nos ataques argentinos produzir mais um amargo resultado para a sua nação. Incomodado, o pequeno garoto de Rosário não se conformava. Messi buscou, driblou, ultrapassou e em um dos lampejos de genialidade, achou um passe espetacular para Meza, que foi derrubado na área. Pênalti!

Ao olhar para o árbitro, estava lá. Mais uma vez a marca da cal sendo apontada enquanto os olhares do mundo focavam para ele, de uma forma automática. Pegou a bola, como craque que é, e não fugiu da responsabilidade nem por um segundo, não oscilou. Após tomar pouca distância, arrematou… Durante milésimos de segundo, o garoto que não poderia crescer, mais uma vez se encolheu e o goleiro pegou!  Incrédulo, passou a mão nos cabelos, encobriu o rosto, mas não abaixou a cabeça.

(Foto: Reprodução)
Messi lamenta em jogo da Argentina com a Islândia
(Reprodução/Christian Hartmann/Reuters)

No lance seguinte, lá estava Ele. Indo receber a bola na intermediária islandesa, único lugar do campo em que tinha uma mínima liberdade para pensar o jogo. Messi acabara de perder um pênalti, enquanto passava por dois jogadores da aguerrida seleção da Islândia.

“Todavía, tenemos tempo”, pensava o argentino

Durante a temporada com a camisa do Barcelona, o mundo cansou de assistir gols de falta do pequeno camisa 10. Na partida frente à Islândia pela primeira rodada da Copa do Mundo de 2018, após o pênalti perdido, caiu nos pés D’ele mais duas oportunidades de balançar as redes com a bola parada, não era seu dia, Leo. Chutes imperfeitos, que não ofereceram perigo ao goleiro europeu marcaram a estreia do melhor jogador da história em sua quarta copa.

Para os críticos, Messi viveu um dia sem inspiração, para os mais chegados, o dia 16 de junho de 2018 não passou de mais uma rodada em que o argentino foi vítima da eterna repetição que rege sua história com a camisa albiceleste.

Pevê Araújo
22 anos, 7/8 jornalista; baiano que ama futebol. Redator do Barça Brasil e repórter do site Galáticos Online. Escrevo sobre Campeonato Argentino no Futebol na Veia, além de outros textos. Futebol é vida e vida é futebol. Nas peladas, invento como Riquelme, na vida, vivo o sonho de ser um repórter esportivo.

Artigos Relacionados