Maurício Barbieri analisa o empate contra o São Paulo: “É natural que a gente sinta um pouco”

No último sábado (23), RB Bragantino empatou com o São Paulo, no Nabizão, pela 3ª rodada do Campeonato Brasileiro. Após a partida, o técnico Maurício Barbieri analisou o resultado.

Com esse empate, o Braga subiu para 3ª posição, com cinco pontos conquistados. A saber, em três partidas, a equipe venceu uma e empatou duas. Números que deixam o clube com 55,6% de aproveitamento

Entrevista de Maurício Barbieri

Em coletiva, o técnico do RB Bragantino falou sobre o rodízio promovido no inicio da competição nacional.

“É difícil, a gente vai quebrando a cabeça a cada dois dias. A gente teve lesões que não esperava contra o Goiás. A ideia foi começar com o Weverson fazendo uma função de segundo (volante), saindo um pouco mais. Ele já tinha jogado assim, anterior a minha chegada com outro treinador. A gente não teve muito tempo para ajustar, mas tentamos trabalhar um pouquinho.”

Além disso, o treinador comentou qual a competição que a equipe prioriza nesta temporada.

“São todas as coisas em conjunto, não é um fator só que determina. Tem a questão social, cultural, do clube estar disputando um Libertadores pela primeira vez. Então é um anseio de todos nós, não só dos jogadores, comissão, mas do clube e da cidade em geral.”

Por outro lado, Maurício Barbieri também comentou a saída de bala do time e o que fazer para que o adversário não leve vantagem.

“Não, eu acho que não. Acho que já conhecem desde muito tempo, o que aconteceu foi que o São Paulo adiantou a marcação, fazendo uma marcação individual e a gente também tem alternativas para isso. Só que eles ficaram confortáveis porque usaram o Léo como lateral-esquerdo e que também atua como zagueiro. Então eles tinham uma linha de três, com o Léo, Diego e Arboleda que ia ser muito difícil a gente ganhar os duelos.”

Por fim, o técnico falou sobre a falta de entrosamento de alguns jogadores e o que fazer para melhorar isso.

“Acho que é natural que a gente sinta um pouco, essa falta de entendimento ou dinâmica. Acho que um exemplo bem claro para pontuar para vocês foi com a entrada do Ramires, depois no final, Helinho. Ramires, Helinho e Aderlan como eles se entendem com facilidade, como criaram jogadas porque estão habituados a jogar juntos.”

Foto destaque: Divulgação/ Ari Ferreira/ Red Bull Bragantino

Enzo Pires
Tenho o sonho de trabalhar com o que eu mais amo, que é o FUTEBOL. Amante desse esporte desde criança, queria ser jogador, mas como não deu certo, agora eu busco trabalho com isso, só que fora de campo.