Manaus empata nos minutos finais da partida com o Treze

- Em disputa quente na capital amazonense, clubes tem jogo paralisado antes do tempo estabelecido nos acréscimos
Manaus empata com Treze

Manaus e Treze entraram em campo nesta segunda-feira (14), pela 6ª rodada do Brasileirão Série C 2020. O palco desse confronto foi o estádio Arena da Amazônia. Na capital amazonense, o Gavião do Norte e o Galo empataram por 1 a 1. Contudo, em uma disputa quente do começo ao fim, houve uma briga generalizada dos policias e jogadores causada após o gol de empate. Resultado, o batalhão de choque interviu na partida usando spray de pimenta. O que por sua vez, paralisou o jogo antes do tempo final dos acréscimos.

1º TEMPO

A partida iniciou a todo vapor. Treze pressionou os adversários dentro do campo de defesa. Os donos da casa, por sua vez, não deixou por menos. Também criaram as suas oportunidades pelas laterais quando alcançavam a redondinha. Contudo, a equipe paraibana, com mais posse de bola, investiu na sua aproximação do gol do Manaus nas bolas paradas. Dessa forma, o Galo se destacou nesse momento do jogo e produziu mais lances perigosos. Todavia, os visitantes viram a possibilidade do primeiro gol dos mandantes de perto. Janeudo recebeu de Edvan dentro da área, aos 09′, e chutou cruzado. Mas, preparado estava o goleiro Andrey. O atleta se esticou e salvou o seu time.

Entretanto, em um 1º tempo truncado, o Galo seguiu a partida questionando as jogadas de seus oponentes, que por sua vez, não foram penalizadas pelo juiz. Exemplo de uma das indagações adversárias, foi o cruzamento que o Jandy, do Manaus, finalizou com as mãos, aos 29′. No entanto, o árbitro alegou que não aconteceu e mandou seguir a disputa. E assim foi. O jogo continuou, mas sem gol. O Treze, como dito anteriormente, com mais posse de bola, aproveitou os acréscimos e segurou a redondinha no campo defensivo esperando o fim desse tempo. Placar: 0 a 0.

2º TEMPO

O jogo retornou como no 1º tempo: quente! Aos 07′, Treze abriu o placar com o gol de Gilvan. O atacante que estreou com a camisa do clube nessa rodada, recebeu de Gustavo a redondinha e logo mandou para dentro da rede. A partir disso, Manaus se desestabilizou e ficou a um fio de perder a sua invencibilidade dentro de casa. Assim, sem criatividade pelo meio, forçou as jogadas individuais pelas pontas. Contudo, sem sucesso. Então, já nos acréscimos finais a partida ferveu. O clube da casa, perdeu mais uma chance de gol, em sobra e sem goleiro. Ainda, os visitantes tiveram que jogar com um jogador a menos, depois que Jandy foi expulso por causa do seu segundo cartão amarelo.

Entretanto, aos 52′, Manaus criou, e aproveitou, uma oportunidade e marcou. Matheusinho surgiu livre na área e cabeceou para dentro do gol. Contudo, esse empate movimentou ainda mais a equipe adversária. Que durante as suas reclamações à arbitragem, novamente, se viram dentro de uma confusão com o batalhão de choque. A partir daí, os policiais agrediram com cassetetes e spray de pimenta os jogadores do Galo. Dessa forma, sem condições de retorno, o árbitro Ilbert Estevam da Silva, encerrou a partida antes do tempo estabelecido nos acréscimos. Assim, Manaus e Treze empataram em 1 a 1, na Arena da Amazônia.

E AGORA?

Sendo assim, após esse empate, ambas equipes se prepararão para as suas próximas disputas pela 7ª rodada do Brasileirão Série C 2020. Manaus, que permanece na 7º colocação da classificação, voltará a campo no dia 19 de setembro contra o líder do Grupo A, o Santa Cruz. A partida acontecerá na Arena da Amazônia, às 19h. Enquanto isso, Treze, que até o momento continua sendo o lanterninha do grupo, enfrentará o Jacuipense-BA, o 5º colocado, no mesmo dia, às 17h, no estádio do Amigão, na Paraíba.

 

 

Foto Destaque: Reprodução/GE/Rômulo Almeida

Amanda Scarlatt

Sobre Amanda Scarlatt

Amanda Scarlatt já escreveu 65 posts nesse site..

Cristã, paulistana, jornalista e palmeirense. Amo poder ter o jornalismo como a minha maneira de expressão. Sou apaixonada pelo meio digital e tudo que podemos construir nele por meio da comunicação. Acredito fielmente na essência de uma boa matéria jornalística -a investigação-, isso, independente da editoria e meio. Enfim, viva o jornalismo! E, respeitemos a profissão e os profissionais.

BetWarrior


Poliesportiva


Amanda Scarlatt
Amanda Scarlatt
Cristã, paulistana, jornalista e palmeirense. Amo poder ter o jornalismo como a minha maneira de expressão. Sou apaixonada pelo meio digital e tudo que podemos construir nele por meio da comunicação. Acredito fielmente na essência de uma boa matéria jornalística -a investigação-, isso, independente da editoria e meio. Enfim, viva o jornalismo! E, respeitemos a profissão e os profissionais.

    Artigos Relacionados

    Topo