Mais um capítulo no caso Scarpa

- Negado novamente, o jogador Gustavo Scarpa ainda não pode atuar pelo Palmeiras

A novela que vem tirando o sono do reforço palmeirense, Gustavo Scarpa, ganhou mais um capítulo nesta segunda-feira (16). O jogador, que foi apresentado ao clube em 15 de janeiro deste ano, fez apenas oito jogos usando a camisa alviverde e marcou dois gols. Depois disso, não pôde mais atuar pelo time.

A história começou em dezembro de 2017, quando Scarpa entrou na justiça pedindo a rescisão de contrato com o antigo clube, o Fluminense. O pedido foi feito embasado em atrasos de pagamento e envolve uma quantia de mais de nove milhões em multa.

Já em janeiro de 2018, a juíza Dalva Macedo, da 70° Vara do Trabalho do Rio de Janeiro, negou o pedido do atleta, que entrou com um mandado de segurança em segunda instância para que fosse liberado o mais rápido possível.

Com a liberação em mãos, o meia foi apresentado pelo Palmeiras três dias após a primeira negativa do Tribunal Regional do Trabalho do Rio de Janeiro. Dessa forma, Scarpa podia treinar e atuar pelo clube paulista. Mas essa história estava longe de terminar.

O Fluminense não está disposto a abrir mão do jogador. Em 15 de março, a liminar que concedia ao atleta a liberação do antigo clube e, consecutivamente, o direito de atuar pelo Palmeiras, foi cassada, e novamente o meia está impossibilitado de trabalhar.

Um mês depois da decisão, o caso foi a julgamento novamente, e mais uma vez a juíza Dalva Macedo negou o pedido do atleta. Além disso, deu um prazo de 10 dias para que ambas as partes – Fluminense e Scarpa – se posicionem em relação ao caso.

Enquanto o tribunal não decide o destino do jogador, ele faz treinos particulares e joga futsal para se manter em forma. Mas ainda continua prejudicado, já que o longo período sem partidas oficiais diminui gradativamente o ritmo de jogo e até mesmo o espaço no time, tendo em vista que ele é um “recém-chegado” em um forte e recheado elenco.

A torcida palestrina está inconformada com a decisão, ou falta dela, vinda do TRT-RJ. Eles criticam a demora e pedem que deixem o jogador trabalhar, subindo a tag “#FreeScarpa” no Twitter. Dentro de dez dias as partes voltam a se reunir para uma decisão final.

Valéria Contado

Sobre Valéria Contado

Valéria Contado já escreveu 169 posts nesse site..

Eu sou a Val Contado, finalmente jornalista (uhul!), apaixonada por futebol há 24 anos, desde quando meu pai colocou em mim o uniforme do nosso time do coração. Adepta da arte da resenha, falar e respirar futebol é o que eu mais gosto de fazer.

BetWarrior


Poliesportiva


Valéria Contado
Valéria Contado
Eu sou a Val Contado, finalmente jornalista (uhul!), apaixonada por futebol há 24 anos, desde quando meu pai colocou em mim o uniforme do nosso time do coração. Adepta da arte da resenha, falar e respirar futebol é o que eu mais gosto de fazer.

    Artigos Relacionados

    Topo