Mais Lava Jato em Itaquera.

Na última terça-feira, o vice-presidente do Corinthians, André Luiz de Oliveira, conhecido como André Negão, foi preso em flagrante por porte ilegal de armas. Horas depois, após pagamento de fiança no valor de R$ 5 mil, deixou a sede da Polícia Federal em São Paulo.

Entretanto, as investigações da Polícia Federal e do Ministério Público Federal não param por aí: conhecido por ser o braço direito de Andrés Sanchez dentro do Corinthians, André Negão foi condenado por repasse irregular e é investigado por supostamente ter recebido propina da construtora Odebrecht para a construção da Arena Corinthians.

O vice-presidente corintiano doou R$ 12.460 para a campanha de Andres Sanchez em 2014. Do total deste valor, R$ 12.160 foram feitas através de sua empresa, a André Luiz Participações, e outros R$ 300 doados como pessoa física. O que pesa contra o vice-presidente é o fato de que em 2013 sua empresa não teve rendimentos, o que a impossibilitaria de fazer qualquer doação.

Vale destacar que na época, André Luiz de Oliveira não tinha cargo no Corinthians. Ele só se tornou vice-presidente 107 dias depois, quando Roberto de Andrade tornou-se presidente.

Os dados levantados pelo Ministério Público Federal apontam para o fato de a construtora ter montado um esquema paralelo de gestão das propinas pagas pelo grupo. Os envolvidos usavam codinomes e comunicavam-se acerca da movimentação dos recursos. A Polícia Federal apreendeu uma planilha que comprova um pagamento no valor de R$ 500 mil ao codinome Timão, que a PF suspeita ser André Negão. Um dos responsáveis por esse pagamento seria Antônio Roberto Gavioli, diretor do contrato na Odebrecht Infraestrutura, vinculado à Arena Corinthians.

As investigações trazem à tona uma história que se iniciou em 2011. Naquele ano, Andres Sanchez, em entrevista à revista Época, disse que a operação financeira que envolvia a construção do estádio foi conduzida por ele, o ex-presidente Lula e Emílio Odebrecht, pai de Marcelo Odebrecht. Ademais, Andres Sanchez alertou que Lula teria que explicar por que a Odebrecht entrou no negócio e qual a relação da empresa com o governo federal. O ex-presidente, em 2011, teria pedido à Odebrecht, para ”dar uma mão para esse garoto, presidente do Corinthians”. A Odebrecht tomou empréstimos superiores a R$ 1,1 bilhão para construir o Itaquerão.

A 26ª fase da Operação Lava Jato chegou à Itaquera. Para quem achava que o limite dos esquemas de desvio de dinheiro tinha chego ao fim, as investigações da Polícia Federal e do Ministério Público têm tudo para manchar mais um setor da nossa sociedade.

BetWarrior


Poliesportiva


André Siqueira Cardoso
André Siqueira Cardoso
Sou André Siqueira Cardoso, tenho 21 anos. Aluno de jornalismo da Escola de Comunicação e Artes da Universidade de São Paulo (ECA-USP), atualmente trabalho em VEJA, com a cobertura do noticiário político. Apaixonado por esportes, jogador de futebol até hoje, tenho o sonho de cobrir uma Copa do Mundo.

    Artigos Relacionados

    Topo