Maior artilheira da história das seleções pendura as chuteiras

Mary Abigail “Abby” Wambach é uma ex-jogadora de futebol estadunidense. Marcou época na Seleção de Futebol Feminino dos Estados Unidos da América, onde conquistou a medalha de ouro olímpica em Atenas, 2004 e é, simplesmente, a maior artilheira da história de todas as seleções, seja entre homens ou mulheres. Tem uma incrível marca de gols marcados desde a sua estreia com a camisa da seleção, em 2001, foram 15 anos de carreira internacional, com 252 jogos e 184 gols marcados. Para você ter uma noção te tal feito, Pelé, maior artilheiro da história da seleção brasileira, tem 95 gols.

É, notavelmente, um dos principais nomes do futebol feminino em todos os tempos.

Wambach se tornou um ícone durante a carreira com excelente poder de finalização, força e exímia cabeceadora. Sua habilidade em campo e sua luta pelos direitos dos homossexuais (casada com a também jogadora de futebol, Sarah Huffman, desde 2013), fizeram com que ela entrasse na lista da Revista Time, em 2015, como uma das 100 pessoas mais influentes do mundo.

Abby aposentou-se em outubro de2015, aos 35 anos e fez seu jogo de despedida no amistoso contra a China, em New Orleans, dia 16 de dezembro.
A atacante norte-americana tem um currículo, pela seleção, invejável. Nem Marta, eleita quatro vezes seguidas a melhor jogadora do mundo pela FIFA, tem tantos títulos notáveis.

A recém-aposentada atacante tem na conta quatro Copas do Mundo, 2003, 2007, 2011 e 2015, além de duas medalhas de ouro olímpicas em Atenas, 2004 (onde foi responsável por marcar o gol na prorrogação da decisão diante do Brasil, que fez com que as brasileiras ficassem com a prata) e em Londres, 2012.

Foi também vencedora da Bola de Ouro da FIFA de 2012. Ganhou duas vezes do prêmio de Atleta do Ano pela Associated Press.

Em 20 de julho foi nomeado “Abby Wambach Day” em Rochester, sua cidade natal, e ela recebeu a chave da cidade.
Alguns boatos falaram que ela voltaria a jogar para atuar nos Jogos Olímpicos do Rio em 2016, mas a própria jogadora descartou: “Vou ser apenas uma torcedora e assistir, pelo menos uma vez. E vai ser incrível”, finalizou.
Com toda certeza marcou uma geração no mundo do futebol e certamente é uma das rainhas do futebol mundial.

Eric Filardi
Eric Filardi
Quando pequeno quis ser jogador. O sonho de criança passou. Uma vida nova se anseia. Bem-vindo ao melhor site de futebol. Bem-vindo ao Futebol na Veia. Sou Eric Filardi, paulistano de 27 anos, criado em Taboão da Serra, jornalista pós-graduado em Jornalismo Esportivo e apaixonado por futebol. Como todo jornalista amo escrever. Como todo brasileiro amo futebol. Tenho meu clube e minhas preferências, mas viso o profissionalismo e a imparcialidade, sem deixar de lado a criatividade. Sou Tricolor, Peixe, Palestra e Timão. Sou da Colina, Glorioso, Flu e Mengão. Sou brasileiro, hermano, francês e italiano. Sou Ghiggia, Paolo Rossi, Caniggia e Zidane. Sou Alemanha dos 7 x 1, mas que o povo não se engane. Também sou Ronaldo, Romário, Zico, Garrincha e Pelé. Sou Bundesliga, MLS, Eredivisie e Premier. Sou das várzeas e dos terrões. Sou Clássico das Multidões. Sou Sul, Nordeste, Amazônia e Pantanal. Sou Galo, Raposa, Bavi e Grenal. Sou Ásia e África. Sou Barça e Real. Sou as Américas, a Europa, sou o mundo em geral. Sou a festa nas arquibancadas que o estádio incendeia: sou Futebol na Veia.
https://bit.ly/EricFilardi

Artigos Relacionados

Topo