Lyon desmente presidente do clube

O Campeonato Francês acabou antecipadamente no dia 30 de abril, por conta da pandemia do novo coronavírus. Dessa forma, o Paris Saint-Germain, de Neymar e companhia, se consagrou campeão pela sétima vez consecutiva. O Lyon, no entanto, não aprovou a medida tomada pela Liga de Futebol Profissional da França (LFP) e entrou com duas ações no Tribunal Administrativo de Paris para reverter a decisão.

As palavras do presidente

O presidente dos Les Gones, Jean-Michel Aulas, em entrevista para o programa “L'Équipe d'Estelle,” revelou que a decisão de estruturar as medidas judiciais cabíveis não se deu por conta da situação financeira do clube.

Hesitamos muito antes de tomar esta decisão. O conselho de administração do clube entrou com os recursos. (…) Não é uma questão sobre os milhões de euros, mas sim sobre várias decisões de interesse público.

Assim, como justificativa para tal petição jurídica, o principal dirigente do clube contestou a definição da ministra dos esportes – Roxana Maracineanu – de proibir esportes coletivos até agosto no país. Isso porque, segundo Aulas, a data prevista pelo governo não vai ao alinhamento da Uefa. Vale ressaltar que, na quinta-feira passada (30), a instituição já havia demonstrado ser totalmente contra ao término da Ligue 1, antes das realização das 38 rodadas.

– A decisão da ministra do esporte se baseia na data de 3 de agosto, que não existe na UEFA. Podemos examinar em detalhes com o primeiro ministro (Édouard Philippe) e o ministro da saúde (Olivier Véran) o protocolo de saúde dos outros países europeus e ver se há uma possibilidade de retomada.

Além disso, o segundo recurso oficializado pelo Lyon propõe injustiça na forma como foi conduzida a classificação final do campeonato. Nesse sentido, a pontuação das equipes foi dividida pelo número de jogos. Seu resultado influenciou a ordem dos times estabelecida. Porém, o Paris Saint-Germain e o Strasbourg não completaram os 28 jogos realizados por todas as outras 18 equipes.

Como o Lyon ficou na tabela?

A equipe comandada pelo ex-jogador Rudi Garcia não foi como o desejado por sua torcida na Ligue 1. A partir do fim precoce, terminou na 7ª posição, com 40 pontos. Assim, com apenas 47,6% de aproveitamento, o time da terceira maior cidade francesa ficou fora de qualquer competição internacional – algo que não ocorria desde 1997 -.

Foto destaque: Reprodução/AFP

Luca Bíscaro Garcia
Estudante de Jornalismo na PUC-Rj, sou apaixonado por esportes e principalmente pelo futebol. A paixão pela produção de conteúdo jornalístico sempre me atraiu, e espero crescer bastante na área.

Artigos Relacionados