Livro de Abel Ferreira é um marco no futebol brasileiro

Assim que chegou ao Brasil, Abel Ferreira, técnico do Palmeiras, perguntou quais livros de treinadores brasileiros poderia ler. Quando responderam que nenhum técnico do futebol nacional já tinha escrito um livro, o português tomou um susto.

Antes de mais nada, é preciso compreender que Abel vem de uma cultura diferente. Os técnicos portugueses compartilham conhecimento entre si e não têm melindres em revelar sua forma de enxergar o futebol.

Mas, não é apenas Portugal que possui literatura de futebol escrita por técnicos. Nomes conceituados como Guardiola, Klopp e Marcelo Gallardo já escreveram parte de suas histórias e convicções que fizeram deles grandes técnicos.

Da mesma forma, não podemos deixar de destacar que o próprio Abel Ferreira admitiu ter lido o livro de Gallardo antes da semifinal da Libertadores 2020, contra o River Plate. Segundo o mister, ele e sua equipe técnica já sabiam como o “Napoleão” agiria nas diversas circunstâncias do jogo, graças à leitura feita antes.

Novo livro pode abrir mais o debate no Brasil

Diante do cenário que lhe foi apresentado quando chegou, Abel Ferreira escreveu seu livro “Cabeça fria, coração quente”. A obra que conta os bastidores do trabalho no Palmeiras já está em pré-venda no site oficial do clube.

A ideia do português é deixar um legado de conhecimento ao futebol brasileiro como forma de gratidão. Espero que a obra seja um marco nos estudos de tática no Brasil e que sirva para a formação e aprimoramento de técnicos, dirigentes e comentaristas de futebol. Sob o mesmo ponto de vista, não posso deixar de expor que a falta de literatura de técnicos brasileiros reflete o porquê nossos “professores” estão tão longe do nível mais alto do mundo.

Outros técnicos devem seguir Abel Ferreira

Sem troca de conhecimento, sem debate amplo sobre o futebol e sem o estudo dedicado, nosso futebol torna-se refém do improviso e da qualidade técnica dos jogadores. Esse modo de enxergar o jogo deu muito certo no passado, mas prova-se cada vez mais obsoleto e decadente. Finalmente, espero que outros técnicos possam despir-se da vaidade e que venham a publicar seus conceitos sobre futebol. Precisamos de novas ideias e precisamos de mais pessoas como Abel Ferreira.

Foto Destaque: Cesar Greco/Divulgação/Palmeiras

Paulo Henrique Araújo
Apaixonado por futebol desde antes do que possa lembrar. Comentarista esportivo por amor e constante aprendiz do maior esporte do mundo.