Liverpool (AP)

Nesta quinta-feira (15), há 32 anos, a tragédia de Hillsborough aconteceu. Dessa forma, o Liverpool relembrou a catástrofe e a vida das pessoas perdidas. Ademais, o maior problema foi a negligência do governo, que só 20 anos depois, acabou sendo punido.

Então, o desastre aconteceu em jogo do Liverpool contra o Nottingham Forest, no Hillsborough Stadium, pelas semifinais da Copa da Inglaterra. Com isso, a torcida dos Reds se posicionou em um local menor que o dos mandantes, mas estavam em maior número. Dessa maneira, houve uma superlotação, estavam destinadas 14.500 lugares para o time de Anfield. No entanto, 5.000 pessoas fizeram pressão para entrar, o que saiu do controle da segurança local.

Ainda mais, a polícia e os seguranças decidiram deixar as pessoas entrarem. Contudo, o estádio era inapropriado e não tinha as devidas proteções para alocar tanta gente. Então, as grades estouraram com o excesso de pessoas, assim, 96 vítimas fatais e 766 feridos foram pisoteados.

O governo havia dito, na época, que os torcedores foram violentos, bêbados e descuidados. Porém, apenas 27 anos depois, a justiça legitimou que a morte de 96 pessoas aconteceram por parte da negligência do Estado. Um caso de 1989 teve sua resposta e justiça em 2016. Ademais, os familiares comemoraram após a luta pelo reconhecimento do erro do governo britânico.

Familiares do desastre de Hillsborough (Getty Images)
Familiares do desastre de Hillsborough (Foto: Getty Images)

Então, o Liverpool relembrou e fez homenagem para seus torcedores. Para todos aqueles que tiveram suas vidas perdidas por conta da negligência do governo. Ademais, foi uma das primeiras e piores catástrofes do futebol mundial. Todas as camisas dos Reds tem homenagem aos 96 mortos.

Camisa Liverpool (Reprodução)
Camisa Liverpool (Foto: Reprodução)

Foto Destaque: Reprodução/AP

Gabriel Yudi Gati Isii
Gabriel Yudi Gati Isii
Sou aluno de Jornalismo da PUC-SP (3/8). Sou um grande fã de futebol e do Pelé. Meus sonhos são cobrir uma Copa do Mundo em loco e dar um espelho para que pessoas iguais a mim, asiáticos, tenham alguém para se inspirar.