Liga NOS: pós-pandemia derruba quatro treinadores

- Após queda de Bruno Lage no Benfica, outros técnicos tiverem o mesmo destino
Custódio Castro é um dos treinadores a perderem cargo na volta da Liga NOS (Foto: Reprodução / Hugo Delgado)

Apesar de terem sido realizadas apenas cinco rodadas, a volta dos jogos pós-pandemia já tem feito técnicos perderem cargos nos clubes portugueses. Assim, o primeiro deles foi Bruno Lage, após uma queda técnica surpreendente do Benfica que culmina com a iminente perda do título da Liga NOS. Ainda esta semana, Braga, Gil Vicente e Vitória de Setúbal anunciaram que não seguirão com seus comandantes para a próxima temporada.

Leia mais:

QUEDA DE TÉCNICOS NA LIGA NOS

CUSTÓDIO NO BRAGA

Após a sofrida derrota para o Rio Ave por 4 x 3 pela Liga NOS, em um jogo em que iniciaram vencendo por 2 x 0, o técnico Custódio Castro pediu para deixar o comando do Braga. Assim, ele estava no cargo desde março, quando da saída de Rúben Amorim, atual treinador do Sporting. Em comunicado publicado no site do clube, o presidente Antônio Salvador afirmou que o comandante não voltará atrás na decisão devido aos erros de arbitragem frequentes nos últimos jogos. Logo, em seis partidas pelos Arsenalistas, o técnico somou duas vitórias, um empate e três derrotas.

Dessa forma, quem assumirá, oficialmente, até o final desta temporada é o treinador das categorias juvenis, Artur Jorge. Logo, o técnico, de 48 anos, tem experiência e conhece o clube tendo realizado trabalhos em várias equipes do Braga. Agora, os Arsenalistas buscam um nome para a próxima temporada. Logo, o favorito do presidente Antônio Salvador é João Pedro Sousa, atualmente realizando um grande trabalho à frente do Famalicão. No entanto, sabe-se que para poder contar com ele terá que chegar a um acordo com os Famalicenses, já que o comandante tem mais um ano de contrato em Vila Nova.

https://twitter.com/SCBragaOficial/status/1278337868272996352

VITOR OLIVEIRA NO GIL VICENTE

Enquanto que no Gil Vicente, antes mesmo da derrota nesta quarta-feira (1) para o Sporting pela Liga NOS, o experiente técnico Vitor Oliveira adiantou que não seguirá no clube. Assim, em coletiva, o treinador afirmou:

A minha próxima época só a mim me diz respeito, neste momento. Como sabem, o Gil Vicente já tem treinador. Como não pode ter dois, vou sair. Para onde vou, ainda não defini” – disse Vitor Oliveira.

Deixando no ar quem seria o seu sucesso, Vitor Oliveira se referia as informações que dão conta da chegada de Rui Almeida para o comando técnico do Gil Vicente. No entanto, nada foi confirmado pela diretoria do Galo. Apesar de sua saída, não faltam opções para o treinador dar continuidade na carreira. Assim, uma das alternativas é se tornar diretor esportivo, cargo ofertado por um clube da Primeira Liga, algo a se ponderar diante do menor desgaste à beira do campo pára um profissional com mais de 60 anos.

https://www.instagram.com/p/CB-zjqbnd2a/?utm_source=ig_web_copy_link

Além disso, há a possibilidade que Vitor Oliveira encerre a carreira de técnico após mais de 40 anos de serviço prestados ao futebol português. Pois, com uma trajetória de sucesso iniciada no Famalicão e depois por 20 clubes, o treinador encontrou para a história com 11 promoções à elite portuguesa.

JULIO VELÁZQUEZ VITÓRIA DE SETÚBAL

No entanto, a notícia mais recente é a que envolve o Vitória de Setúbal. Isso porque, nesta quinta-feira (2), em comunicado, os Setubalenses confirmaram a demissão do treinador Julio Velázquez. Assim, o clube justifica que a decisão foi de comum acordo entre as partes e que agradece os serviços prestados pelo comandante. Logo, para seu lugar, Albert Meyong assumirá interinamente até o final desta temporada onde briga para evitar o rebaixamento na Liga NOS.

https://twitter.com/oficialvfc/status/1278737594281533441

Foto destaque: Reprodução / Hugo Delgado

Ricardo do Amaral

Sobre Ricardo do Amaral

Ricardo do Amaral já escreveu 633 posts nesse site..

"Alvíssaras! Sou Ricardo Accioly Filho, pernambucano de 27 anos, advogado e estudante de jornalismo pela Uninassau. Tenho como mote que “no futebol, nunca serão apenas 11 contra 11”; é arte, é espetáculo, humanismo, tem poder de mover multidões e permitir ascensões sociais. Como paixão nacional do brasileiro, o futebol me acompanha desde cedo, entretanto como nunca tive habilidade para praticá-lo, busquei associar duas vertentes de minha vida: o prazer pela leitura e o esporte bretão. Foi nesse diapasão que encontrei no jornalismo esportivo o elo de ligação que me leva a difundir e informar o que, nas palavras de Steven Spielberg, é o “mais belo espetáculo de imagens que já vi”."

BetWarrior


Poliesportiva


Ricardo do Amaral
Ricardo do Amaral
"Alvíssaras! Sou Ricardo Accioly Filho, pernambucano de 27 anos, advogado e estudante de jornalismo pela Uninassau. Tenho como mote que “no futebol, nunca serão apenas 11 contra 11”; é arte, é espetáculo, humanismo, tem poder de mover multidões e permitir ascensões sociais. Como paixão nacional do brasileiro, o futebol me acompanha desde cedo, entretanto como nunca tive habilidade para praticá-lo, busquei associar duas vertentes de minha vida: o prazer pela leitura e o esporte bretão. Foi nesse diapasão que encontrei no jornalismo esportivo o elo de ligação que me leva a difundir e informar o que, nas palavras de Steven Spielberg, é o “mais belo espetáculo de imagens que já vi”."

    Artigos Relacionados

    Topo