A coluna Escalando a Muralha vai te levar ao passado do futebol chinês. Trata-se da história do Liaoning, primeiro clube chinês a ser campeão da Liga dos Campeões da Ásia. Campeão na temporada 1989/90, o time colocou a China no cenário asiático. Atualmente na 2ª divisão chinesa, a equipe brigou para não cair nesta temporada, tendo ficado na penúltima posição da Chinese League One.

Mas, ainda assim, é um dos principais times do futebol sino, sendo, até hoje, o maior campeão do Campeonato Chinês com 10 título, seis vices e duas Copas da China. Além disso, foi prejudicado mais de uma vez com a interrupção do campeonato nacional. Portanto, sem mais delongas, conheça agora as façanhas dos Tigres do Nordeste.

Início da Liga Chinesa e primeiras conquistas

O primeiro registro de um campeonato de futebol chinês foi em 1951, denominado Campeonato Nacional de Futebol. Realizado em Tianjin, entre 1 e 9 de dezembro, as equipes eram representantes regionais: Nordeste (Dalian/Shenyang), Leste (Xangai), Norte (Pequim/Tianjin), Centro-Sul (Wuhan/Guangzhou), Noroeste (Xian/Lanzhou), Sudoeste (Chengdu/Chongqing), claro, todos com nomes em chinês traduzidos neste texto para fácil identificação.

E o primeiro campeão foi o North East (Nordeste), posteriormente renomeado como Liaoning, em homenagem a província. Todos jogaram contra todos (sete jogos) e o vencedor levava dois pontos e quem empatasse conquistava um. Assim, o campeão fez 13 pontos, tendo marcado 31 gols e não sofrido nenhum. Vale ressaltar que essa é uma era não profissional do futebol chinês.

Sem torneio para realização dos Jogos Militares: 1952

Em 1952, não houve disputa do torneio por conta dos Primeiros Jogos Militares Chineses, realizado em Pequim de 1 a 11 de agosto. A Força Aérea foi campeã, seguida da Área Nordeste, com representantes também de: Região Noroeste, Área Centro-Sul, Área Leste, Área Norte, Região Sudoeste, Marinha, Segurança Pública, Academia Militar, Voluntários e Pessoal Geral.

Conseguiu um 3º lugar em 1953 e o bicampeonato em 1954, ainda como North East (Nordeste), mas desta vez o nome do certame era Liga Nacional de Futebol. Realizado em Pequim, de 19 a 26 de outubro, o torneio teve apenas cinco times. E o futuro Liaoning venceu a equipe do Sul da China por 8 x 0, da China Oriental por 2 x 1, da Ferroviária Nacional por 1 x 0, conquistando o recorde invicto e o título na vitória por 4 x 2 sobre a equipe do Sudeste.

Reprodução/Wikipedia
Dinastia Taizu jogando Cuju (precursor do futebol moderno) Reprodução/Wikipedia

Mudança de nome e período de instabilidade

Após 1954, com as mudanças nas divisões administrativas do Nordeste, a Equipe de Treinamento Esportivo do Nordeste foi renomeada para Equipe da Academia de Esportes do Nordeste, Equipe de Esportes da Academia de Esportes de Shenyang e, enfim, Equipe de Liaoning. Mas o clube perdeu muitos jogadores após as seguidas mudanças.

Entre 1956 e 1962 a liga trocou de nome, passando a se chamar Liga Nacional de Futebol Jia. Neste período, o time ficou com um vice-campeonato em 60 e um 3º lugar em 62. Em 1963 outro vice, desta vez para o Beijing Guoan, na equipe apenas Beijing, que levava seu terceiro título e se estabelecia como maior equipe do país até então. Em 1964 ficou em 8º lugar e em 1965 em 9º.

A perda de um título para a revolução cultural

No início dos anos 60, devido às dificuldades temporárias da economia nacional, com o plano econômico e social conhecido como Grande Salto Adiante sendo um fracasso, causou uma estimativa de 45 milhões de mortes, conhecida como a Grande Fome Chinesa. O governo de Mao Tsé-Tung realizou execuções em massa de proprietários de terras.

Instituiu a coletivização e implementou o sistema de campos de Laogai, campos de concentração no modelo hitlerista para suprimir os que discordassem da política oficial. Execução, mortes por trabalho forçado e outras atrocidades resultaram em milhões de mortes sob a ditadura de Mao.

Em 1966, Mao e seus aliados lançaram a Revolução Cultural, que continuou até a morte de Mao, uma década depois. Tal revolução levou a uma grande reviravolta na sociedade chinesa. A crise, obviamente, se instalou no futebol. Assim, a competição fora comprometida. Neste mesmo ano, a forte equipe do Liaoning liderava o Campeonato Chinês com 14 pontos, sendo sete vitórias e uma derrota, além de 25 gols marcados e 11 sofridos.

No entanto, a revolução começou e causou a destruição do futebol por seis anos. As equipes foram desmembradas para trabalhar no campo e só voltaram as atividades em 1972. Dessa forma, o Liaoning perdeu a chance de levar mais um troféu de campeão.

IMPRENSA DA UNIVERSIDADE CHINESA / LI ZHENSHENG
IMPRENSA DA UNIVERSIDADE CHINESA/LI ZHENSHENG

O regreso do futebol chinês

No início dos anos 70, o futebol começou a se recuperar. Em maio de 1970, o Liaoning foi transferido das áreas rurais para Shenyang para retomar aos treinamentos. Em 1972, nenhum campeonato nacional foi realizado, apenas regionais, pois ainda estava em progresso o retorno.

O Liaoning foi campeão da divisão de Qingdao, com 16 pontos, sendo sete vitórias, dois empates e nenhuma derrota. Também marcaram 22 gols e sofreram apenas quatro. No mesmo ano, a equipe visitou o Paquistão, a Síria e o Iêmen, e obteve bons resultados em 11 partidas, sendo 10 vitórias e um empate.

Já em 1973, na volta do Campeonato Chinês, o Liaoning ficou em 3º lugar num ano equilibrado onde o Beijing Guoan foi campeão com 21 pontos, seguido de perto por Shanghai Shenhua e Liaoning, ambos com 19 tentos. No ano seguinte ficaram com a 4ª posição com 12 pontos, atrás do 1º de Agosto, Tianjin Teda e Beijing Guoan. Em 1975, por conta da 3ª edição dos Jogos Nacionais, não houve o Campeonato Chinês.

Entretanto, o Liaoning foi campeão dos Jogos Nacionais daquele ano. Na ocasião, dividiu o título com o Guangdong por terem empatado na final por 1 x 1. No entanto, no jogo de exibição da cerimônia do Dia Nacional, o Liaoning venceu o Guangdong por 2 x 1, provando que deveriam ser os campeões legítimos. Os jogos são realizados a cada quatro anos desde 75.

10º Jogos Nacionais da República Popular da China encerrados em Nanjing, 2005
10º Jogos Nacionais da República Popular da China encerrados em Nanjing, 2005 (Reprodução/Softball Sports)

O primeiro título como Liaoning

Em 1976, a 1ª fase do Campeonato Chinês foi dividida em quatro grupos e o Liaoning liderou o Grupo Luda com 14 pontos, com sete vitórias em sete jogos, marcando 22 gols e sofrendo apenas três. Contudo, a fase final não ocorreu devido as revoltas relacionadas à morte do presidente Mao Tsé-Tung, algo que, nitidamente, prejudicou mais uma vez a ascensão do Liaoning. Em 1977, o 1º de Agosto levou o bicampeonato. O protagonista deste texto até fez uma 1ª fase invicta, mas a péssima fase final os derrubou das chances de título.

Entretanto, em 1978 o campeonato voltou a ser somente de pontos corridos e de fase única. Não deu outra! Foram 16 equipes e dois turnos, como é atualmente. O Liaoning foi soberano em 30 jogos, tendo 20 vitórias, sete empates e três derrotas, fazendo 47 pontos (ainda com vitória valendo dois), sendo campeão pela primeira vez com o novo nome.

Em 1979 e 1980 o time ficou com o vice. Mas em 1981 o time teve mudanças significativas no elenco e terminou na 8ª posição. Porém, em 1982 e 1983, melhorou de posição, ficando em 6º em ambos. Mas neste último não teve campeão por conta dos Jogos Nacionais.

Dinastia Liaoning: 10 anos de domínio

O time passou por mais uma reformulação, mantendo apenas alguns veteranos, mas sendo liderado por aquele que viria a ser lenda: Ni Jide. Ele trabalhou duro nessa equipe e pagou por isso. Por causa de uma dor de estômago, ele muitas vezes se ajoelhava no chão e usava as pernas para segurar o estômago e continuar o treinamento.

Assim, a equipe de Liaoning imediatamente mostrou sua vitalidade. Em 1984, no torneio amistoso “Boot Cup”, venceu com uma grande pontuação e depois venceu o “Three Cups” e “Red Mountain Cup”, outros torneios que foram convidados. Ni Jide foi diagnosticado com câncer gástrico e internado no hospital em 1º de junho. O assistente técnico Li Yingfa assumiu o bastão e liderou o início de uma jornada épica.

Título da Copa da China

Ainda em 1984, o Liaoning jogou a Chinese FA Cup. No Grupo 3, juntamente com Guangzhou, Shenyang e Hubei, venceu os três e avançou a fase seguinte invicto. Nas quartas fe final, venceu o Exército de Pequim por 1 x 0. Nas semis, bateu o Shanghai Shenhua por 1 x 0.

Na final, contra o Guangdong, goleou por 5 x 0, conquistando seu primeiro título do torneio. A Shenyang Northeast Pharmaceutical General Factory assumiu a liderança na co-organização e patrocinou ativamente o investimento para tornar a equipe ainda mais poderosa. Ficou também na 3ª colocação na Liga Chinesa.

Título Chinês 1985 e da Copa de 1986; 3º lugar na Ásia

Em 1985, com o nome de Liaoning Dongyao, devido ao patrocínio do Dongyao Enterprise Group Football Club, foi campeão do Campeonato Chinês com 31 pontos em 15 jogos, sendo 14 vitórias e um empate. As equipes ganhavam pontos bônus para cada jogador de Seleção que marcasse gol, com o Liaozu (apelido do time) tendo conseguido assim mais três pontos, o que nada influenciou no título.

Em 1986, o Liaoning não competiu para se concentrar na Copa dos Campeões da Ásia. E deu muito certo, pois foi o time chinês a chegar mais perto do título asiático, terminando em 3º lugar a competição. Mas conseguiu selar o ano com mais um título da Copa da China de 1986. Liderou o Grupo D com três vitórias em três jogos. 3 x 0 no Shaanxi nas quartas. 1 x 0 no Guangdong B nas semis e o título em cima do Beijing Guoan por 1 x 0.

Soberania e conquista da Ásia

Em 1987 começou a grande soberania do Liaozu. O time foi campeão do Campeonato Chinês com 25 pontos, sendo 14 jogos, sete vitórias, quarto empates e três derrotas. Também foram finalistas dos Jogos Nacionais, mas desta vez perderam por 1 x 0 para o Guangdong. Em 1988 veio o bicampeonato. Por outro lado, em 1989, devido às Olimpíadas, na liga ficou em 2º lugar, pois cedeu jogadores aos Jogos Olímpicos.

Em maio daquele ano, venceram os japoneses Nissan Yokohama (atualmente Yokohama F. Marinos), o Hap Kuang, de Macau, e os norte-coreanos Chandongcha, pelo Grupo E da 1ª fase. Na 2ª fase de grupos, em dezembro, venceram os iranianos do Shahin Ahvaz, os indonésios do Pelita Jaya, e empataram com os iraquianos do Al-Karkh, ficando em 1º lugar no grupo B.

Os líderes se enfrentaram, e o Liaoning enfrentou o Yokohama em dois jogos em abril de 1990. O primeiro no Japão, vencido por 1 x 2 pelos chineses. E o segundo um empate na China por 1 x 1, que garantiu o título da Liga dos Campeões da Ásia.

Liaoning: o time que colocou a China no mapa asiático
Reprodução/Sohu

Tetracampeonato seguido

Em 1990 tornou a ser campeão chinês e chegou a final da Liga dos Campeões da Ásia, mas desta vez perdendo a final para o Estaghlal Tehran, do Irã, por 2 x 1. Em 1991 venceram a liga chinesa pela segunda vez seguida. No ano seguinte (1992), o vencedor técnico Li Yingfa saiu e, mesmo assim, o time conquistou o terceiro título em sequência.

Em 1993 veio o tetracampeonato, sendo o primeiro campeonato profissional da China. Dessa forma, o Liaoning fez história ao ser, além do primeiro campeão da era amadora, o primeiro da era profissional também.

Na 7ª edição dos Jogos Nacionais da China, chegaram a final novamente e venceram o Bejiing Guoan por 2 x 0 e, assim, completaram uma sequência de 10 campeonatos em sequência. O sucesso so time fez com que jogadores deixassem o clube pela ata valorização. A perda começou ainda em 1992. Em 1993/94 chegaram ao 4º lugar da Champions Ásia.

Mas desde o ano de 1994 a equipe não foi mais a mesma. Ainda conseguiram um vice-campeonato em 1999, um 3º lugar em 2001 e 2011, mas sem o brilho do final da década de 80 e início de 90. Em 1998 foram vice-campeões da Copa da China, assim como em 2002. Já em 1999, venceram a Supertaça da China. Seu último feito foi em 2009, quando foram campeões da 2ª divisão chinesa (Chinese League One).

Foto destaque: Reprodução/Sohu

Eric Filardi
Eric Filardi
Quando pequeno quis ser jogador. O sonho de criança passou. Uma vida nova se anseia. Bem-vindo ao melhor site de futebol. Bem-vindo ao Futebol na Veia. Sou Eric Filardi, paulistano de 27 anos, criado em Taboão da Serra, jornalista pós-graduado em Jornalismo Esportivo e apaixonado por futebol. Como todo jornalista amo escrever. Como todo brasileiro amo futebol. Tenho meu clube e minhas preferências, mas viso o profissionalismo e a imparcialidade, sem deixar de lado a criatividade. Sou Tricolor, Peixe, Palestra e Timão. Sou da Colina, Glorioso, Flu e Mengão. Sou brasileiro, hermano, francês e italiano. Sou Ghiggia, Paolo Rossi, Caniggia e Zidane. Sou Alemanha dos 7 x 1, mas que o povo não se engane. Também sou Ronaldo, Romário, Zico, Garrincha e Pelé. Sou Bundesliga, MLS, Eredivisie e Premier. Sou das várzeas e dos terrões. Sou Clássico das Multidões. Sou Sul, Nordeste, Amazônia e Pantanal. Sou Galo, Raposa, Bavi e Grenal. Sou Ásia e África. Sou Barça e Real. Sou as Américas, a Europa, sou o mundo em geral. Sou a festa nas arquibancadas que o estádio incendeia: sou Futebol na Veia.
https://bit.ly/EricFilardi

Artigos Relacionados