Lewandowski revela convite para jogar no Manchester United: "Eu estava pronto" (Foto: Reprodução/Sky Sports)

O ataque do Manchester United teve muitos comandantes nos últimos anos. Cavani, Ibrahimovic, Falcão García, Martial, Rashford são alguns dos nomes. Contudo, em entrevista à “France Football”, Lewandowski revelou que esteve próximo de assumir o comando de ataque dos Red Devils. Entretanto, o Borussia Dortmund não o liberou após os contatos de Alex Ferguson.

“Depois do meu segundo ano em Dortmund, conversei com Sir Alex Ferguson. Ele queria que eu fosse para Manchester.  Fiquei muito interessado. Posso até dizer que estava pronto. Mas o Dortmund não queria me deixar ir. Não me aborreceu mais do que isso, porque as coisas estavam indo bem com o Borussia”, afirmou.

https://twitter.com/lewanbrasil/status/1341134567634325508

A conversa revelada por Lewandowski aconteceu em 2012, durante a temporada na qual o polonês marcou 30 gols em 47 jogos pelo Borussia Dortmund. No ciclo seguinte, o atacante teve números ainda mais expressivos, tendo ido às redes 36 vezes, além de ser o principal atacante do time que chegou à final da Champions League e acabou por ser derrotado pelo Bayern de Munique.

Assim, sem conseguir a contratação de Lewandowski, Alex Ferguson indicou a chegada de Robin van Persie, então no Arsenal, à diretoria dos Red Devils. No Manchester United, o holandês participou de 105 jogos, tendo marcado 58 gols, além de servir os companheiros em 21 oportunidades.

Sem acordo com o Manchester United, Lewandowski se transferiu para o Bayern de Munique, em 2014. O negócio não teve custos à diretoria bávara, já que o atleta havia encerrado seu vínculo com o Dortmund. Eleito melhor jogador do mundo pela FIFA na última temporada, o polonês conquistou 15 títulos em seu atual time, sendo o principal deles a Liga dos Campeões.

Foto Destaque: Reprodução/Sky Sports

Renan Liskai
Renan Liskai
Muito prazer! Sou Renan Liskai, paulista, natural de Santo André. Desde 1998 falando, respirando, sorrindo, chorando e enlouquecendo por futebol. A vida de goleiro não deu certo, mas o jornalismo sempre esteve ali. Descobri que se não podia estar dentro de campo ou das quadras, eu poderia estar do lado de fora, mas sempre vivendo tudo isso. Sou daqueles que não perde um jogo de futebol por nada, seja ele qual for. Costumo dizer que esse esporte é assunto mundial e que não há uma pessoa no mundo que nunca tenha falado sobre tudo que acontece dentro e além das quatro linhas. Assim como todo mundo, carrego uma história e experiências. Sou filho, irmão, neto, amigo e sempre serei um eterno aprendiz dessa vida.

Artigos Relacionados