Ansu Fati sofre lesão e ficará fora por cerca de quatro meses (Foto Destaque: Reprodução/Getty Images)

No último sábado (7) o Barcelona recebeu o Real Betis e venceu por 5 x 2, em partida válida pela 9ª rodada do Campeonato Espanhol. Mas nem tudo foi perfeito para a equipe blaugrana. Dessa forma, Ansu Fati lesionou o menisco do joelho esquerdo e só deve voltar aos gramados em março de 2021.

O atacante entrou em campo como titular e, aos 31′ foi derrubado na área, pênalti que Griezmann desperdiçou. Entretanto, após sofrer a falta, Fati sentiu a lesão, mas preferiu continuar em campo. Contudo, no intervalo Ronald Koeman sacou a joia da equipe e colocou Messi, que havia iniciado a partida no banco de reservas.

Nesta segunda-feira (9), o jovem espanhol se submeteu à uma artroscopia, para manter o menisco original. Dessa maneira, o jogador não corre perigo de sofrer sequelas futuras, mas será desfalque até março. Com 18 anos, se Fati perdesse parte de seu menisco, o tempo de recuperação seria menor, cerca de dois meses. Mas, o risco de novas lesões aumentariam.

Portanto, ele precisará de três meses para cicatrização do menisco e mais quatro semanas para treinar e ganhar ritmo de jogo. Assim, após vir ganhando chances e correspondendo à altura, Dembelé poderá ser o substituto da joia blaugrana na equipe de Ronald Koeman. Entretanto, no início da temporada o holandês havia citado que o francês não fazia parte de seus planos.

Na atual temporada, Ansu Fati disputou 10 partidas pelo Barcelona e, assim, marcou cinco gols. Os Culés entram em campo no próximo dia 21 contra o Atlético de Madrid, partida válida pela La Liga.

Foto Destaque: Reprodução/Getty Images

Bruno Reis
Prazer! Sou Bruno Reis, de Santo André, ABC paulista. Desde 2001 vivo, choro e sorrio por futebol. Costumo dizer que este esporte nunca será qualquer um, ele muda e transforma vidas, como fez com a minha. Próximo do término do ensino médio, me senti perdido, me perguntava qual seria meu rumo a partir dali. Apesar de não ter dado certo dentro de campo, percebi que tinha chegado a hora de viver do futebol fora dos gramados, como jornalista. Hoje não me vejo longe dessa profissão, virou minha paixão. O que mais amo fazer é escrever e viver dele com todas as minhas forças.

Artigos Relacionados