leeds

Uma espera de 16 anos para voltar à aprendesse com os próprios erros, para assim figurar novamente com os grandes times da Inglaterra. O principal responsável por essa mudança de mentalidade foi Marcelo ‘El Loco' Bielsa. O técnico argentino chegou aos Whites em junho de 2018. Na época, a equipe terminara a temporada 2017/2018 na 13ª colocação da Championship, com 60 pontos, sob o comando de Paul Heckingbottom. 

A chegada de Bielsa provocou uma revolução no Leeds. Era preciso criar uma identidade e estilo de jogo que fossem eficientes para conquistar o acesso à Premier League. O início de trabalho foi muito satisfatório. A equipe emendou oito vitórias seguidas nas primeiras rodadas do campeonato e teve apenas três derrotas no primeiro turno (23 jogos).

Todavia, no segundo turno, o Leeds não conseguiu manter um equilíbrio. Uma série de lesões prejudicou o desempenho do time. Jogadores como Gaetano Berardi, Stuart Dallas, Luke Ayling, Patrick Bamford, Pablo Hernández e Kemar Roofe se lesionaram. Além disso, a equipe sofreu dez derrotas no returno. Dessa forma, precisou disputar a última vaga nos playoffs com o Derby County, mas acabou saindo derrotada.

Na temporada 17/18, o Leeds foi um time muito intenso e ofensivo com a posse de bola. Entretanto, sofria muito com os contra-ataques dos adversários. Era necessário encontrar um equilíbrio no estilo de jogo, para assim conquistar as vitórias de uma forma mais constante. Os Whites precisaram fazer alguns ajustes no elenco. Duas peças fundamentais de Marcelo Bielsa deixaram o time: o zagueiro Pontus Jansson e o artilheiro Kemar Roofe. Porém, chegaram Hélder Costa, do Wolverhampton, e Ben White, do Brighton, além de outros nomes menos importantes.

FUNCIONAMENTO DA EQUIPE

Time base: Casilla, Ayling, Cooper, White, Aliosky, Phillips, Klich, Hernández, Harrison, Hélder Costa e Bamford

O Leeds, de Marcelo Bielsa, atua no 3-3-1-3, podendo variar para o 4-1-4-1. O time do técnico argentino gosta de ter o controle da posse de bola. Dessa forma, os Whites conseguem ser letais aos adversários. A saída de bola da equipe é feita com três jogadores, mais o goleiro.

A ideia é sempre gerar superioridade numérica dentro de campo, para assim criar espaços e romper a pressão dos adversários. Uma peça fundamental na transição da equipe é o volante Kalvin Phillips. Cria da base do Leeds, costumava jogar como segundo volante ou até mais à frente, mas, com Bielsa, o inglês se firmou mesmo como o primeiro volante. Philips é o jogador responsável por fazer a saída lavolpiana, com três jogadores. Assim, ele se coloca entre os zagueiros, para o time avançar e conseguir progredir ao ataque.

DESTAQUES DO LEEDS

O zagueiro Ben White é outro jogador que se destacou com Marcelo Bielsa. O defensor chegou ao Leeds, vindo do Brighton, e tinha a missão de substituir o ídolo da equipe Pontus Jansson, que havia se transferido ao Brentford. Em pouco tempo, o jovem de 22 anos evoluiu muito e conseguiu substituir à altura. White ficou marcado pelo seus desarmes precisos e ótima capacidade de leitura de jogo.

Já o experiente meia de 35 anos, Pablo Hernández, é o termômetro. O armador espanhol é responsável por organizar o ataque do Leeds. Ele é quem decide por onde o time ataca, se cadencia o jogo ou acelera. Essa foi uma grande mudança da equipe. Em vez de criar muitos ataques, marca comum em times de Bielsa, o Leeds consegue controlar o ritmo do jogo e sabe o momento exato para atacar.

Por fim, o ponta Jack Harrison, de 23 anos, é outro destaque do time. Ele contribuiu com oito assistências na Championship. Outra peça decisiva foi o atacante Patrick Bamford, que terminou o campeonato como artilheiro dos Whites, com 17 gols marcados.

O IDEALISMO DE BIELSA

O Leeds, de Marcelo Bielsa, conseguiu encontrar um equilíbrio na temporada 19/20. Os Whites não fugiram de sua principal característica: o ataque. Contudo, o time foi mais conservador e moderado quando tinha a posse de bola. Soube controlar o ritmo das partidas, para sair vitorioso.

Assim, o título da Championship foi uma conquista importante ao Leeds e ao grande Marcelo Bielsa. “El Loco” é uma figura conhecida no futebol por ser um treinador de grandes ideias e poucos títulos. Com isso, o argentino serve de inspiração para grandes treinadores, que são seus discípulos como Pep Guardiola, Mauricio Pochettino e Jorge Sampaoli.

Idealista por natureza, Marcelo Bielsa tem conceitos bem definidos sobre a vida e o futebol. “El Loco” valoriza muito coletivo e o trabalho em equipe por qualquer time onde trabalha como técnico. Independente dos resultados dentro de campo, preza pelos valores morais.

Em qualquer tarefa se pode ganhar ou perder, o importante é a nobreza dos recursos utilizados” Marcelo Bielsa

Foto destaque: Reprodução / Getty Images

Avatar
André Lobato
Sou André Lobato, jornalista de Contagem-MG. Sempre gostei de esportes, em especial o futebol. Foi assim que me tornei jornalista. Amo contar histórias. Atualmente, sou repórter de Futebol Internacional no Portal Esporte News Mundo e setorista do Atlético, no Portal Fala Galo. Também sou criador do @futebolcuriosidade_ no Instagram.

Artigos Relacionados