Leandro Ezquerra em ação pelo Montevideo City Torque.

A princípio, toda a equipe do Montevideo Torque City passou por exames e um controle rigoroso de coronavírus. Assim, o clube divulgou que todos os resultados deram negativo. Em entrevista ao programa “Let´s Go”, da rádio 1010, Leandro Ezquerra falou sobre o assunto: “Nenhum jogador pegou. Ninguém teve sintomas”, disse.

Dessa forma, o meio-campista de 33 anos afirmou ser favorável a volta do futebol, porém frisou a importância das medidas de segurança nesse cenário.

“Todos concordamos que a saúde vem em primeiro lugar, apesar de outras atividades já funcionarem normalmente, parece um pouco estranho que o futebol não normalize. Mas considerando que a Liga Universitária e outras atividades têm luz verde para retornar. No nosso caso, cumprindo os protocolos, o risco seria mínimo”, disse. 

Por outro lado, o atleta revelou a importância de receber orientações específicas com um profissional da comissão técnica, além de se mostrar inconformado com essa situação.

“O treinamento nas instalações do clube e sob a supervisão dos responsáveis ​​pelos clubes já deve estar em movimento, porque não afeta nada normal hoje e é nossa atividade. Estamos um pouco relegados a esse respeito. Que não podemos treinar nos clubes e que alguns continuam no seguro-desemprego é um pouco ilógico”, queixou-se. 

https://www.instagram.com/p/B9uuz9kgQ6S/

Portanto, ciente de que existem poucos atletas que estão recebendo seu pagamento de forma integral, Leandro Ezquerra deseja que o futebol retorne o mais breve possível: “Você se coloca no lugar de outros colegas e o desespero entra em jogo, especialmente considerando a situação em um país onde quase tudo está funcionando normalmente”, disse.

JOGADOR AINDA ACREDITA QUE NÃO VOLTAR É UMA PERDA DE TEMPO

Atualmente, diversos clubes do Uruguai tem passado por dificuldades financeiras devido a crise que a pandemia causou. Assim, o jogador do Torque City acredita que muitos atletas precisam voltar a trabalhar para conseguir manter à família e contas.

“A realidade dos nossos clubes não é o que vivemos no Torque da cidade de Montevidéu. Aqui temos a necessidade de retornar para um aspecto físico e mental, mas o econômico é coberto. Sabemos que em outras equipes não é assim e eu tive que estar do outro lado, sabendo que é difícil viver essa situação”, afirmou.

Dessa forma, Leandro Ezquerra ainda revelou que os jogadores entraram em contato com a Mutual e que uma solução parece estar próxima.

“Todos os sindicatos estão se movendo e acho que antes do fim de semana deve haver algo novo. Conversamos com a Mutual sobre a necessidade de retornar e, porque se o clube pretende nos treinar novamente, não temos argumentos para dizer não. Vendo a normalidade do país e cumprindo 100% do salário, com que argumento podemos dizer que não estamos dispostos a treinar? ”, disse.

Por fim, o jogador acredita que o primeiro passo para o retorno já foi tomado: a realização dos testes da Covid 19. Além disso, o futebolista sentiu-se desconfortável com toda essa experiência: “Todos os sindicatos estão se movendo e acho que antes do fim de semana deve haver algo novo. Conversamos com a Mutual sobre a necessidade de retornar e, porque se o clube pretende nos treinar novamente, não temos argumentos para dizer não. Vendo a normalidade do país e cumprindo 100% do salário, com que argumento podemos dizer que não estamos dispostos a treinar? ”, contou.

Foto destaque: Twitter/@catorque

Brendo Felipe Romano
Sou Brendo Felipe Romano, tenho 23 anos e sou jornalista formado pela Unifaat-SP. Mais um apaixonado por esportes, principalmente futebol.

Artigos Relacionados