No último domingo (14), o Clausura Colombiano teve sua .

Clausura Colombiano – 14ª rodada

Leones 0 x 1 La Equidad

No Estádio Metropolitano de Itagüí, o La Equidad venceu o já rebaixado Leones, por 1 x 0, fora de casa e, com isso, subiu, temporariamente, à liderança do Clausura Colombiano, já que Tolima e Once Caldas estavam em sua frente antes do início da rodada e jogam entre si, mas o confronto só acontecerá dia 31/10. O duelo começou, mas, com apenas seis minutos, foi suspenso devido a uma tempestade. O mau tempo passou e a peleja recomeçou. Nos primeiros minutos, as duas equipes tentaram atacar, mas sem sucesso. Primeiro foram os visitantes, com Pablo Lima, em um forte chute de esquerda. Em seguida, Antony Otero respondeu, mas mandou para fora.

Até que, aos 25 minutos, Stalin Motta abriu o placar com um chute da direita, aproveitando uma assistência de David Camacho, abrindo o placar para os visitantes. O Leones tentou responder com Felipe Jaramillo, mas o goleiro Diego Novoa estava atento. Depois disso, Walmer Pacheco, Stalin Motta e David Camacho buscam ampliar a vantagem, porém, falharam em seus chutes.

No segundo tempo, os mandantes arriscaram, saíram com a intenção de igualar o resultado. Sebastián Gómez tentou de esquerda de fora da área, mas o goleiro estava atento e controlava a ação. Motta e Luis Cabezas responderam, mas nada de mudar ainda mais o marcador. O La Equidad continuou a alinhar seu ataque contra a meta dos anfitriões, mas a falta de ímpeto continuou sendo um empecilho e não puderam aumentar a diferença. O mesmo acontecia com os donos da casa. Veja aqui os melhores momentos da partida.

https://twitter.com/Equidadfutbol/status/1051603738635448320

Atlético Nacional 0 x 0 Deportivo Cali

Pouco futebol no Atanasio Girardot no clássico verde, que não atendeu às expectativas. O Deportivo Cali tem um ponto valioso de Medellin graças a forma como Pelusso conduziu seu time contra um ansioso Atlético Nacional, que tinha opções, mas com pouco perigo. Henríquez tentou de cabeça, Braghieri de média distância, assim como Jorman e Dayro. O jogo terminou com um espetáculo vergonhoso. O árbitro expulsou Jeison Lucumí depois que o meia acertou uma cabeçada em seu companheiro de equipe, Dayro Moreno. Ambos queriam cobrar uma falta, perto da área, aos 88 minutos. O Cali, sempre de forma cautelosa, preferiu não acelerar no ataque e administrar um bom empate.

Atlético Bucaramanga 2 x 1 Envigado

Os donos da casa venceram de virada o Envigado e, de quebra, colaram nos líderes da competição, dando importante passo para avançarem no G8 que vai aos playoffs. No 1º tempo os anfitriões mostraram a iniciativa e teve a oportunidade de marcar o gol, pelo menos, umas três vezes, mas não contou com eficácia na hora de decidir. Por outro lado, os visitantes, que foram surpreendido com a ofensiva dos locais, se defendiam para conter o ímpeto com que se iniciou o Atlético Bucaramanga. E a estratégia deu certo. Aos 17 minutos, Camilo Mancilla, após escanteio, sobe e cabeceia forte, abrindo o placar para a visita.

No entanto, aos 26 minutos, o zagueiro Juan Ochoa empurra Michael Rangel dentro da área e o juiz decreta a penalidade máxima em favor dos Leopardos. Sherman Cárdenas foi o encarregado da cobrança e não desperdiçou, 1 x 1. Ainda na primeira etapa, aos 47 minutos, Alexis Zapata, do Envigado, foi expulso por acertar Cesar Quintero, do Atlético Bucaramanga.

Após o término da etapa inicial, surgiu a presença da chuva. Isto posto, o árbitro cogitou o encerramento da partida, mas as equipes concordaram que dava para continuar o jogo. Logo no primeiro minuto do segundo tempo, o Bucaramanga vira a peleja com Brayan Rovira. Com a vantagem e um homem a mais, o Atlético ratificou sua superioridade sobre um rival que tentou jogar de igual para igual, mas não tinha condições para isso.

América de Cali 1 x 2 Independiente Medellín

O Independiente Medellín venceu o América de Cali, de virada, por 2 x 1, com gols nos minutos finais da partida. Os diabos vermelhos não conseguiram segurar a vantagem e deixaram escapar os três pontos num verdadeiro banho de água fria. No Pascual Guerrero, um primeiro tempo truncado, sem muitas opções de gol, não havendo um único chute a gol, mesmo na cobrança de pênalti do atacante argentino Germán Cano, do Independiente, aos 24 minutos, quando a bola foi para fora.

Na segunda parte, as chances melhoraram e o jogo se abriu. Com isso, o atacante venezuelano, Fernando Aristeguieta, abriu o placar para o América, aos 54 minutos, graças à assistência de Cristian Dájome. Então, o DIM começou a atacar e criaram várias opções de gol antes de chegar ao empate, que veio aos 82′, com Jean Carlos Blanco, numa jogada dentro da área. Após cobrança de escanteio, a bola estava quicando na área, quando Elvis Perlaza tocou a bola para Blanco empurrar para o fundo do barbante.

Eis que, aos 88 minutos, veio a virada. Andrés Ricaurte selou a vitória para o poderoso depois de completar um contra-ataque que começou após um canto marcado conta da América, onde os jogadores de Medellín fizeram a transição em velocidade e Ricaurte definiu. Veja os melhores momentos da partida aqui.

https://twitter.com/DIM_Oficial/status/1051661163677831169

Eric Filardi
Quando pequeno quis ser jogador. O sonho de criança passou. Uma vida nova se anseia. Bem-vindo ao melhor site de futebol. Bem-vindo ao Futebol na Veia. Sou Eric Filardi, paulistano de 27 anos, criado em Taboão da Serra, jornalista pós-graduado em Jornalismo Esportivo e apaixonado por futebol. Como todo jornalista amo escrever. Como todo brasileiro amo futebol. Tenho meu clube e minhas preferências, mas viso o profissionalismo e a imparcialidade, sem deixar de lado a criatividade. Sou Tricolor, Peixe, Palestra e Timão. Sou da Colina, Glorioso, Flu e Mengão. Sou brasileiro, hermano, francês e italiano. Sou Ghiggia, Paolo Rossi, Caniggia e Zidane. Sou Alemanha dos 7 x 1, mas que o povo não se engane. Também sou Ronaldo, Romário, Zico, Garrincha e Pelé. Sou Bundesliga, MLS, Eredivisie e Premier. Sou das várzeas e dos terrões. Sou Clássico das Multidões. Sou Sul, Nordeste, Amazônia e Pantanal. Sou Galo, Raposa, Bavi e Grenal. Sou Ásia e África. Sou Barça e Real. Sou as Américas, a Europa, sou o mundo em geral. Sou a festa nas arquibancadas que o estádio incendeia: sou Futebol na Veia.
https://bit.ly/EricFilardi

Artigos Relacionados