Juventude ou Ju Ventura?

Antes de mais nada, o técnico Jair Ventura pode ser visto como o responsável pela recuperação do Juventude no Campeonato Brasileiro. Atualmente ocupando o 16º lugar, com 40 pontos, a equipe de Caxias do Sul precisa de pelo menos mais duas vitórias para permanecer na primeira divisão.

Três pontos acima do Bahia e quatro do conterrâneo Grêmio. Nesse sentido, uma reação que já contabiliza sete jogos não deve ser interrompida caso o Ju espere continuar entre os 20 melhores times do país. Afinal, qualquer tropeço pode custar caro lá na frente.

Juventude ou Ju Ventura?

Marquinhos Santos saiu depois da derrota para o Grêmio (3 x 2). Dessa forma, foi uma consequência da pobreza técnica que o Juventude apresentava há um certo tempo. Em seguida, veio Jair Ventura. Pressionado após um trabalho turbulento no Sport, o técnico mudou a cara do Ju. Fez questão de restabelecer o time no setor defensivo.

Todavia, não abre mão de atacar. O Juventude é perigoso e costuma aproveitar as poucas chances que possui para definir uma partida a seu favor. Enfim, a precisão é o fundamento do Ju. Esse é o esboço geral do “Ju Ventura”.

O camaleão tático de Jair Ventura

Curiosamente, o Juventude ainda não fixou um padrão tático. Apesar dos bons resultados, Jair Ventura segue testando esquemas e adaptando seu time ao adversário que enfrenta. Por outro lado, a meu ver, o Ju joga melhor se está disposto no 4-4-2.

Essa estratégia bloqueia os avanços a partir da superioridade numérica. Sempre muito bem organizado, o clube gaúcho tende a atuar em bloco. Tanto para se defender quanto para agredir. O sucesso depende do alinhamento programático das peças. Funcionou muito bem no nevoeiro contra o Fluminense (1 x 0).

O caminho do Juventude até o final

Inicialmente, deixo claro que a tabela do Juventude é cruel. Desse modo, a equipe de Caxias é o corte para quem deseja sair da zona de rebaixamento. O Ju pega Bragantino, Fortaleza, São Paulo e Corinthians. À exceção do Tricolor Paulista, todos brigam por vaga direta na Libertadores.

Páreo duríssimo para o time de Jair Ventura. Concluindo, acredito que é possível escapar devido aos descuidos de Bahia e Grêmio. Por outro lado, se não fizer sua parte, o clube da Serra Gaúcha pode ficar a ver navios. Em síntese, é vencer para não precisar secar.

Foto destaque: Divulgação/ Esporte Clube Juventude

André Filipe
Apaixonado pela dimensão histórica do futebol e pela ciência da bola. Gremista desde a Batalha dos Aflitos para o que der e vier. Sinto na escrita o calor latente das minhas paixões profissionais. Historiador, jornalista esportivo e jogador de pôquer nas horas vagas.

Deixe um comentário