Blasfêmia Itália

Recentemente no final de outubro, dois jogadores do Campeonato Italiano foram julgados e suspenso por blasfêmia pela Justiça Esportiva. Foram eles Os meio-campistas Francesco Magnanelli, capitão do Sassuolo, e Matteo Scozzarella, do Parma. Os dois foram suspensos por blasfemar em campo, isso porque esse tipo de infração está previsto no ordenamento esportivo do código italiano. Além deles, outros jogadores famosos já responderam pelo mesmo motivo, o sueco Zlatan Ibrahimovic, e o ex goleiro e capitão da Seleção Italiana Gianluigi Buffon.

A punição para jogadores que praticam blasfêmia começou em 2010, quando a Federação Italiana de Futebol (FIGC) decidiu que xingamentos e blasfêmia dentro de campo deveriam ser punidos com cartão vermelho. Por outro lado, caso o árbitro não veja o ato durante a partida, a punição poderá acontecer posteriormente, com auxílio de imagens da TV e com a leitura labial (como aconteceu nos casos dos jogadores Francesco Magnanellie e Matteo Scozzarella). Na época do anúncio da nova regra o motivo foi desestimular o uso da ”linguagem ofensiva” dentro dos gramados.

Desde então, alguns jogadores já foram punidos por conta dessa regra, entre eles estão o volante Rolando Mandragora, da Udinese, Domenico Di Carlo técnico na época da Chievo, o atacante Davide Lanzafame (Parma) e o meia Luca Siligardi (Livorno).

Gianluigi Buffon

Buffon poderia ter sido o primeiro jogador da história a ser punido por blasfêmia. O caso aconteceu em 2010 em um jogo contra o Genoa. O goleiro foi acusado de blasfêmia após falar o nome de Deus em vão após falha durante o jogo. Entretanto, em sua defesa Buffon disse que falou ”zio” que significa ”tio” e não ”Dio” (Deus). Porém, ele não foi punido porque se desculpou publicamente:

Se um dia eu tiver sorte de encontrar Deus, é Ele quem vai decidir se me perdoa ou não”

Embora grande parte da comunidade futebolística italiana apoiar a regra, ela também tem seus opositores. A Federação Internacional dos profissionais (FIFpro), divulgou um comunicado contra a Federação Italiana em 2010, dizendo que a decisão ia contra o direito fundamental da liberdade de expressão dos jogadores. Até hoje, porém, a norma segue de pé.

Foto destaque: Reprodução/angelinidesign.com

Marcos Sibinel
Olá, me chamo Marcos Sibinel, tenho 23 anos e curso jornalismo na Anhembi Morumbi. Nunca tinha pensado em seguir uma carreira como jornalista, mas foi quando cursava Relações Internacionais que percebi que tinha uma vontade de trabalhar com esportes. Fui então pesquisando sobre o curso de jornalismo esportivo que surgiu um grande interesse, além de amar nosso futebol, tenho vontade também de fazer o outro futebol, o americano, crescer ainda mais aqui no Brasil. Foi então que decidi que queria jornalismo esportivo. Twitter: @masibinel / Instagram: @masibinel

Artigos Relacionados