Just Fontaine – O maior artilheiro em uma única edição de Copa do Mundo

- A Coluna Além dos Bleus traz a trajetória do francês Just Fontaine, que marcou 13 gols na Copa do Mundo de 1958, disputada na Suécia

Sempre que nos recordamos sobre a Copa do Mundo de 1958, as primeiras lembranças são do Brasil se sagrando campeão após bater a anfitriã Suécia por 5 x 2 (Vavá (2x), Pelé (2x) e Zagalo). Porém, o que pouco se comenta é que Just Fontaine, da França, conseguiu um recorde a ser batido até os dias atuais. Com 13 gols, conquistou a marca de maior artilheiro em uma única edição de Copa do Mundo. Nesta semana, a Coluna Além dos Bleus traz a trajetória e história de Fontaine.

PRIMEIROS PASSOS E ARTILHARIA

Nascido em Marrakech, na divisão marroquina em 18 de agosto de 1933, Just Fontaine cresceu nos subúrbios e tinha desde seus primeiros anos de vida a paixão pela futebol, que lhe consagraria futuramente. Além disso, começou a jogar ainda em Casablanca no clube local Union Sportive Marrocaine. O destaque nas competições ainda jovem e a média de 1,2 gols por partida (49 jogos e 62 gols) foram suficientes para chamar a atenção de olheiros do Nice, da França.

Após realizar o feito de vencer a Liga Marroquina na temporada de 1951/52, o jogador se transferiu ao Nice, se adaptou rapidamente e já teve a oportunidade de atuar pela seleção francesa, após se naturalizar. Logo em sua estreia, marcou quatro gols contra Luxemburgo e começou com pé-direito a caminhada na equipe.

Paralelamente, era peça fundamental nos Aiglons para as conquistas da Copa da França (1953/54) e Liga Francesa (1955/56) em três temporadas na equipe. Ao todo, foram 83 jogos e 52 gols (média de 0,62 G/J) antes de aceitar a proposta da potência francesa Stade de Reims.

A contratação não tinha como dar errado. Contratado para substituir Raymond Kopa, lendas dos Bleus que havia se transferido ao Real Madrid, Fontaine foi artilheiro ao atuar ao lado do ídolo Roger Piantoni em 1957/58. Também conquistou o Campeonato Francês ao marcar 39 gols em 32 jogos disputados e chegou à Copa do Mundo em seu auge físico.

COPA DO MUNDO DE 1958

Até os melhores jogadores precisam de sorte para avançarem. O atacante não vinha sendo utilizado como titular nas eliminatórias, sendo reserva do atacante René Bliard. Entretanto, seu companheiro teve uma lesão às vésperas da copa e não pôde disputar a competição. Assim, o camisa 17 foi titular em uma estreia memorável com um hat-trick sobre o Paraguai. Posteriormente, também anotou dois gols na derrota por 3 x 2 contra a Iuguslávia. No último confronto pela fase de grupos contra a Escócia, onde valia vaga para a próxima fase, Fontaine voltou a marcar em um triunfo de 2 x 1.

Nas quartas de final, foi o grande nome do jogo contra a Irlanda do Norte com dois gols, na goleada de 4 x 0. Dessa forma, os Bleus se classificavam para a próxima fase, onde enfrentaram o Brasil que defendia sua invencibilidade (três vitórias e um empate).

No Estádio Råsunda, em Estocolmo, os 27 mil espectadores tiveram a oportunidade de ver um duelo histórico. Vavá abriu o placar aos brasileiros, mas Fontaine não deixou barato e empatou, seguindo a implacável fase artilheira. Porém, a superioridade dos rivais foi predominante, sobretudo após Didi e Pelé (que marcou três vezes) eliminarem a França com 5 x 2 no placar final.

Na disputa pelo terceiro lugar, o goleador de 1,74 marcou quatro vezes contra a Alemanha e conseguiu terminar a Copa do Mundo com 13 gols em seis partidas. O feito sequer foi superado e permanece até os dias atuais.

CURIOSIDADE

Sem que houvesse um prêmio em celebração à conquista, Just Fontaine recebeu um fuzil por um jornal local. A história ficou marcada e é constantemente lembrada por amantes do futebol.

SEQUÊNCIA DA CARREIRA, LESÕES E APOSENTADORIA

Apontado como um dos melhores jogadores da história do futebol francês, Just Fontaine tinha como características os dribles, velocidade, chute forte e um cabeceio excelente, ainda que não fosse alto para a função (1,74m). Portanto, dependia de uma boa capacidade física para continuar se destacando. Todavia, apenas dois anos depois do término da Copa do Mundo, encerrou a carreira na seleção nacional em virtude de lesões.

Após uma longa ausência de nove meses após uma fratura da tíbia, Just Fontaine jogou com a camisa dos Blues pela última vez em 11 de dezembro de 1960, em jogo válido pelas eliminatórias para o Mundial de 62. A equipe francesa recebeu a Bulgária e venceu por 3 x 0. O centroavante por pouco não marcou ao acertar a trave a dez minutos do final.

Um mês depois, a mesma lesão pela segunda vez fez com que a carreira de Just Fontaine se encerrasse aos 27 anos de forma triste. É de se imaginar que ele teria levado a equipe francesa ao Chile em 1962, onde estaria em tese no melhor momento futebolístico. Ainda assim, segue sendo eleito o maior atacante francês de todos os tempos, à frente de Thierry Henry, Jean -Pierre Papin, Roger Piantoni e David Trezeguet. Com apenas 21 jogos e 30 gols, é o dono da maior média da história francesa (1,43G/J) e o quinto maior artilheiro.

(Foto destaque: FIFA.com)

BetWarrior


Poliesportiva


Igor Ribeiro
Igor Ribeiro
Igor Ribeiro, 20 anos, é um apaixonado por futebol. Nascido no ano de 2000 em Campinas, interior de São Paulo, sempre mostrou grande afeição por esportes. Fez-se muito interessado pelas leituras em jornais e o interesse acerca do futebol foi a principal influência para sua escolha ao Jornalismo, área que desde cedo escolhera. Com essa paixão presente em sua vida, sempre é o primeiro no “vamos organizar um futebol” e totalmente contra gritar gol antes da hora!

Artigos Relacionados

Topo