Parabéns, Mestre! Jürgen Klopp completa 53 anos de vida

Ele tem um largo sorriso, óculos inconfundíveis, uma gargalhada contagiante. E é um dos técnicos mais importantes do futebol mundial na atualidade. Portanto, a Coluna Parabéns ao Craque homenageia Jürgen Klopp por mais um ano de vida.

Klopp nasceu dia 16 de Junho de 1967, em Stuttgart, e cresceu em Glatten, cidade no meio da famosa região da Floresta Negra, no estado de Baden-Württemberg. A paixão por futebol de seu pai, um frustrado goleiro que não conseguiu jogar profissionalmente, logo passou para o filho. Seu sonho no futebol começou quando se juntou ao time da comunidade alemã Ergenzingen aos 16 anos. Entretanto, apesar de sua lealdade aos jogos, dos esforços e rigidez do pai, a pouca qualidade de Jürgen com a bola no pé não foi suficiente para chamar a atenção de grandes clubes.

Parabéns, Mestre! Jürgen Klopp completa 53 anos de vida
LifeBogger (Foto: Reprodução / arquivos pessoais)

Todavia, como atacante nos primeiros anos de carreira não conseguiu se destacar no futebol alemão e rodou apenas por clubes de divisões inferiores. Também porque dividia a atividade esportiva com o curso de ciências do esporte  na Universidade Goethe, em Frankfurt, e estava preocupado em como iria sustentar o filho Marc, nascido em dezembro de 1988, quando tinha 21 anos. Nesse sentido, qualquer jovem ficaria desanimado e pensaria em parar, mas não Jürgen Klopp. Dessa forma, seu maior sucesso foi conseguir jogar como defensor no Mainz, da segunda divisão no país.

O DECOLAR DE UM SONHO

Entretanto, o sonho de menino começou ganhar sentido. Dessa forma, ao conhecer Wolfgang Franktécnico e mentor que ajudou a revolucionar o futebol alemão, Klopp teve sua vontade de se tornar treinador ainda mais aguçada.

“Contei a milhares de jogadores que Wolfgang influenciou toda uma geração de jogadores de futebol e ainda continua a influenciar. Ele é o treinador que mais me influenciou. Foi um ser humano extraordinário”, discursou Klopp no enterro do mentor em 2013. “Na minha cabeça, eu era um jogador da Bundesliga (primeira divisão alemã), mas meus pés estavam na Landesliga (torneio inferior, equivalente à sexta divisão)”, definiu em trecho de sua biografia.

Apesar de não conseguir transmitir para os pés o que a cabeça pensava, Klopp fez a transição natural para treinador em 2001, assumindo o próprio Mainz já com seu inconfundível estilo: boné, óculos, casaco e calça esportiva. Lá, começou a implementar suas ideias de pressionar o adversário constantemente e, após três temporadas, conseguiu o primeiro acesso da história do clube para a Bundesliga, a primeira divisão alemã. Contudo, ao passo que decorria o tempo, provou que sua cabeça era capaz: conquistou dois títulos nacionais dirigindo o Borussia Dortmund.

Na temporada seguinte, apesar de uma campanha nacional fraca, o time chegou à final da Champions League, batendo adversários como Manchester City, Real Madrid e Ajax no caminho. Na final, foi derrotado pelo rival Bayern de Munique por 2 x 1.

Em seus dois últimos anos no clube, irritado por ter perdido jogadores importantes para o rival Bayern, como Götze e Lewandowski, Klopp não conseguiu chegar tão longe, tanto na Champions quanto na Bundesliga e avisou que deixaria o clube ao final da temporada 2014/2015, tendo vencido dois Campeonatos Alemães, duas Copas da Alemanha e uma Supercopa.

KLOPP: O GERENTE DE PESSOAS

Com o tempo, Klopp evoluiu. Mostrou isso ao mundo no Borussia Dortmund, mas sua forma mais consolidada dá as caras no atual Liverpool. É um técnico de grande conhecimento tático, que aposta em linhas mais avançadas e jogadores de velocidade. Mas o seu diferencial está no ato de gerenciar pessoas.

Dessa forma, se tornou um mestre na arte que consiste em encher o atleta de confiança e extrair o melhor dele. Não à toa, Roberto Firmino deu um salto de produtividade sob o comando do treinador. Sendo assim, marcou 27 gols numa só temporada, um feito inédito na carreira. Lovren, tão contestado no passado, e Robertson, que até há pouco tempo pedia emprego na internet, são outros exemplos.

Todavia, o caso de sucesso de Jürgen Klopp, aquele guardado com carinho no portfólio, se chama Mohamed Salah. O treinador do Liverpool tem participação direta na temporada fantástica que faz o atacante egípcio, que jamais havia extrapolado a casa dos 20 gols na mesma temporada.

Parabéns, Mestre! Jürgen Klopp completa 53 anos de vida
Globo Esporte (Foto: Reprodução / Reuters)

 A TRAJETÓRIA DE JÜRGEN KLOPP NO LIVERPOOL

O treinador chegou ao Liverpool em 2015. Desde então, elevou o patamar do clube, algo que não se via há alguns anos e o colocou em seu devido lugar. Nesse sentido, o segredo do bom futebol apresentado pela equipe de Klopp pode ser creditado ao tempo de trabalho. Apesar de um primeiro ano desapontante, ficando na 8ª posição na Premier League e fora da Liga dos Campeões e da Europa League, o Liverpool manteve seu treinador para as outras temporadas e os resultados apareceram.

Em 2018/2019, a temporada foi de vitórias para Klopp. Disputando cabeça com cabeça pela ponta da Premier League com o Manchester City de Pep Guardiola, os Reds chegaram na 2ª colocação no campeonato, mas conseguiram um feito maior. A tão sonhada Liga dos Campeões voltou a ser conquistada pelo Liverpool em uma final inglesa contra o Tottenham. Todavia, outro título que faltava para o Liverpool era o Mundial de Clubes da Fifa, mas Klopp tratou de garantir mais esse caneco para os Reds após derrotar o Flamengo em Doha, no Qatar.

A PAIXÃO DE JÜRGEN KLOPP

Klopp só encontrou sua verdadeira vocação após trocar as chuteiras pelo quadro das táticas e criar o que os alemães chamam de a Gesamtkunstwerk: uma mescla de difícil pronúncia que combina um futebol empolgante de ataque, um laço especial no vestiário e o grito incessante das arquibancadas.

“É assim que você deveria se lembrar da passagem que teve por um clube de futebol. Para mim, a vida é uma coleção de experiências, boas e ruins. Fico arrepiado de pensar nas boas. Elas são ótimas. Talvez seja um tipo de instinto de sobrevivência. Se os outros sentirem a mesma coisa, então todos estamos vivendo a mesma grande jornada e, olhando para trás, não dá pra evitar ficar com um sorriso no rosto.”

Em suma, por toda a trajetória em busca dos desejos do coração que homenageamos aqueles que sonham. Mas que acima disso, fazem acontecer. Obrigada por amar o futebol tanto quanto nós. Parabéns, ídolo!

Foto Destaque: Reprodução/Getty Images

Thamirys Abreu Vieira
Sou carioca, graduada em Jornalismo pela Universidade Salgado de Oliveira (Universo). Pretendo me especializar na área esportiva e vivenciar a cada dia a magia do futebol. Exigente e de temperamento forte, mas sempre disposta a aprender. Apaixonada pela leitura e o mundo futebolístico.

Artigos Relacionados