José Bordalás e a transformação do Getafe

- Em três anos, o treinador pegou uma equipe da Segunda Divisão e levou à Liga Europa
José Bordalás e a transformação do Getafe (Foto: Reprodução/EFE)

Da subida à Primeira Divisão à classificação para Liga Europa. Com orçamento inferior, José Bordalás colocou o Getafe no topo. Assim, em quatro anos do treinador no comando dos Azulones, a equipe se transformou e criou uma identidade própria. O clube cujo único objetivo era pelo menos não cair, em poucas temporadas se consolidou nas primeiras posições da La Liga. Logo, Bordalás é o grande arquiteto por trás do pensamento ambicioso do time do sul de Madrid.

LEIA MAIS

INÍCIO DE BORDÁLAS NO FUTEBOL

José Bordalás nasceu no dia 5 de março de 1964, em Alicante, na Espanha. Porém, iniciou a carreira como jogador de futebol no Hércules CF, onde permaneceu até os 21 anos. Depois, ele passou por diversas transferências, todas para equipes da Terceira Divisão. No entanto, devido a muitas lesões, quando estava no Preferred Regional, aos 28 anos, teve que interromper a curta vida de atleta e pendurar as chuteiras.

Já quando decidiu seguir a carreira de treinador, José Bordalás iniciou comandando o Alicante CF, em 1993. Assim, passou anos de sucesso treinando a equipe B, até que foi promovido para o time principal. Depois, continuou se desenvolvendo e construiu um extenso currículo em diversos times de sua província, como o Bernidorm, Eldense, Novelda, Hércules, Alcoyano e Elche, o que o tornou um profundo conhecedor do autêntico futebol espanhol. Entretanto, ganhou mais destaque no comando do Alcorcón, quando abandonou a zona. Por conta disso, foi convidado a treinar o Aláves, e pela primeira vez, promoveu uma equipe à elite.

UMA PARCERIA DE SUCESSO

Após conseguir o acesso com o Aláves, Bordalás não seguiu na equipe. Enquanto isso, naquele momento o Getafe se encontrava na Segunda Divisão e com sete semanas de trabalho, Esnaider, que tinha sido chamado para salvar a equipe do rebaixamento, foi demitido. Dessa forma, Toni Muñoz, que era o diretor esportivo do clube, propôs o nome de Bordalás. E foi nesse momento que começou o que seria uma grande parceria de sucesso.

Quando chegou ao clube em 27 de setembro de 2016, José Bordalás encontrou um Getafe passando por uma das situações mais difíceis em sua história. Assim, o time de Madrid ocupava a penúltima posição na tabela, com seis pontos. Além disso, estava eliminado da Copa del Rey e a apatia tinha tomado conta dos Azulones. A partir daí, o treinador começou o processo de reformulação e a busca de uma identidade para a equipe.

A torcida ainda não estava convencida com o estilo defensivo empregado pelo treinador. Entretanto, funcionou. O Getafe conquistou o acesso em 24 de junho de 2017, em jogo contra o Tenerife, terminando em 3º lugar na tabela. E a partir daquele momento, se iniciou um dos melhores momentos da história do clube. Ao contrário do Alavés, a equipe azulona confiou em Bordalás para seguir na Primeira Divisão, embora ele nunca tivesse treinado na categoria mais alta do futebol espanhol.

José Bordalás em jogo da La Liga (Foto: Reprodução/EFE)
José Bordalás em jogo da La Liga (Foto: Reprodução/EFE)

MENTALIDADE VENCEDORA

No retorno à La Liga, o Getafe foi crescendo em consistência e criando uma identidade. Dessa maneira, possuía um jogo sólido e era uma  das equipes mais competitivas e difíceis de vencer, apesar de ser um dos orçamentos mais baixos. No entanto, o estilo adotado pelo treinador recebeu diversas críticas pelos amantes do futebol de toque. Isso porque, o grupo comandado por Bordalás não privilegiava a posse da bola, porém era organizado. Não mantinha o domínio do jogo, mas era direto no objetivo. Sendo assim, a diferença econômica e os comentários não impediu que o técnico colocasse o time de Madrid na 8ª posição, bem próximo de se classificar para competições europeias.

José Bordálas é um admirador do futebol de Simeone, por ser capaz de jogar diferente e ainda assim alcançar o objetivo: ganhar. Nesse sentido, o treinador criou uma equipe que tem  como característica um jogo intenso e uma solidez e maturidade de um time que possui anos na elite no futebol espanhol. Logo, na temporada seguinte, o Getafe terminou pela primeira vez na 5ª colocação da La Liga e conquistou a classificação histórica para a Liga Europa, a um passo e dois pontos de jogar a Champions League. Por certo, com um estilo definido, os Azulones deixaram de ser um mero coadjuvante para se manter nas primeiras posições.

Getafe na temporada 2018/19 (Foto: Reprodução/GTRES)
Getafe na temporada 2018/19 (Foto: Reprodução/GTRES)

CRESCIMENTO ESTRUTURAL

Na Liga Europa, a equipe de Madrid não deixou de surpreender. Venceu o Ajax, que tinha se destacado na Champions League da temporada anterior. Entretanto, apesar da boa campanha, caiu nas oitavas de final para a Inter de Milão. Já na La Liga 2019/20, terminou em 8º lugar e mostrou estabilidade e a consolidação nos primeiros lugares. Logo, com seu sucesso dentro de campo, sendo competitivo, o Getafe tem alcançado um crescimento estrutural e financeiro. Em vista disso, demonstra a transformação do clube desde a chegada de José Bordalás, que tem levado o escudo dos Azulones como um dos mais consistentes times espanhois. Muito elogiado pela direção e torcida, o técnico tem contrato para continuar até 2022.

 

Foto destaque: Reprodução/EFE

Ayana Santana

Sobre Ayana Santana

Ayana Santana já escreveu 129 posts nesse site..

Uma baiana de 19 anos, estudante de jornalismo no Centro Universitário Jorge Amado, amante do futebol e do Esporte Clube Bahia. Encontrou no jornalismo a junção de duas paixões: a escrita e o esporte.

BetWarrior


Poliesportiva


Ayana Santana
Ayana Santana
Uma baiana de 19 anos, estudante de jornalismo no Centro Universitário Jorge Amado, amante do futebol e do Esporte Clube Bahia. Encontrou no jornalismo a junção de duas paixões: a escrita e o esporte.

    Artigos Relacionados

    Deixe uma resposta

    Topo