Jorge Jesus abole o fair play no Benfica (Foto: Reprodução/Getty Images)

O treinador português Jorge Jesus resolveu mudar as coisas no elenco do Benfica. A partir de agora, a orientação aos jogadores é que eles não devolvam mais a bola, quando o adversário jogá-la para que haja algum atendimento médico. Portanto, o fair play agora dependerá da avaliação do Mister e de sua comissão técnica durante as partidas, para que seja autorizado.

Esta nova “regra” no elenco dos Encarnados valerá em momentos específicos no jogo, principalmente quando se sentir que o adversário estiver exagerando na cera, praticando atos claros de anti-jogo. Assim, caso nada disso aconteça ou o árbitro ordene, o fair play acontecerá.

Conforme revelado pelas apurações de jornais portugueses, Jesus transmitiu estas claras indicações a seus atletas. A decisão drástica do técnico vem após a derrota por 3 x 0 para o Boavista, na segunda-feira (2), em jogo do Campeonato Português. Ele ficou bravo com a postura dos adversários e a quantidade de faltas, um total de 31 sofridas pelo seu time. Em sua visão, uma estratégia tomada para diminuir o ritmo e frear a reação das Águias. O Benfica chegou a devolver a bola em algumas situações, mas isso não deve mais se repetir.

“Foram 31 faltas que esta equipe do Boavista fez. Na primeira meia hora, já tinham mais de 20. Não nos deixou jogar e isso nos matou completamente. Aliás, o som do jogo, a fala dos jogadores e da equipe técnica era: ‘Mata, mata, mata. Não deixa jogar. Mata'. E o árbitro consentiu e não deu cartão amarelo”, disse Jesus em coletiva.

RECLAMAÇÃO ANTIGA DE JORGE JESUS

A imprensa portuguesa também lembrou que as reclamações do Mister quanto ao fair play vêm de longa data. Quando era treinador do Belenenses, em 2007, disse em declaração que ele era “uma treta”, em casos onde adversários paravam os jogos pedindo atendimento médico.

Assim, as novas orientações já valerão a partir das próximas partidas. O Benfica entra em campo pela 3ª rodada da fase de grupo da Liga Europa, nesta quinta-feira (5), às 14h55 (horário de Brasília), quando recebe o Rangers, da Escócia.

Davi Ferreira
Escolhi o jornalismo por causa da paixão pelo esporte, principalmente. Sempre acompanhei as mais diversas modalidades pelo mundo e pensava que só podia trabalhar com isso. Assim que entrei na faculdade e acumulei experiências, me apaixonei pela profissão em todos os seus aspectos. O que mais me atrai são os desafios e imprevisibilidades apresentados diariamente. Já participei de projetos de jornal impresso, portal de internet, transmissões de rádio, podcasts e produção de televisão. Estou sempre disposto a somar experiências, e me dedico com firmeza nas ideias em que acredito.

Artigos Relacionados