Jonatan Maidana

Jonatan Maidana foi um dos pilares do River Plate de Marcelo Gallardo até 2019, quando decidiu mudar de ares e, desta forma, rumou ao Toluca, do México.

Assim, com contrato somente até o final deste ano, o experiente zagueiro de 35 anos afirmou que, se possível, gostaria de pendurar as chuteiras no clube Millionario.

“Vamos ver como as coisas irão acontecer. Seria muito lindo encerrar minha carreira onde tive meus melhores momentos. É o meu sonho. Mas preciso ver como estarei fisicamente. Tomara que o físico me acompanhe para seguir atuando uns anos mais, mas precisa colocar tudo na balança. Seria lindo me aposentar no River, sem dúvidas, tomara que o físico me acompanhe”, disse Maidana em uma live no Instagram em conjunto com Lito Costa Febre.

Maidana desembarcou no Monumental de Núñez em meados de 2010, vindo do Metalist, da Ucrânia. Na época, o River desembolsou 2 milhões de euros pelo defensor.

“Quando cheguei ao clube, queria ganhar coisas, mas sabia que seria difícil. Foi uma grande experiência de vida, que me ajudou a crescer como ser humano. Fui muito feliz no River. Sou muito grato por tudo que vivi”, relembrou Maidana.

REBAIXAMENTO, AGRADECIMENTO E HISTÓRICO

Entretanto, nem tudo foi uma mar de rosas. Em 2011, o zagueiro integrava o elenco do River Plate que protagonizou o primeiro rebaixamento da história da equipe. Acerca disso, Maidana falou:

“Tive o privilégio de viver coisas ruins e boas no clube. Foi muito tempo. Talvez, quando me aposentar, valorize esse período muito mais. Sempre tentamos dar o melhor”.

Por fim, Maidana reconheceu a importância de todos com quem trabalhou no clube argentino.

“Tive a sorte de estar no momento certo, com uma grande comissão técnica, jogadores de hierarquia, que não se intimidavam com a pressão. Foi um privilégio estar com eles”.

Em nove anos, Jonatan Maidana, ao todo, defendeu La Banda Roja em 246 partidas, anotou sete gols, distribuiu seis assistências e conquistou 11 títulos, dentre os quais figuram duas Copa Libertadores da América.

Imagem destacada: Reprodução/FNV

Pedro Ferri
Pedro Rodrigues Nigro Ferri, 19, nascido em Assis-SP. Jornalista em formação pela Faculdade da Cásper Líbero e um fiel devoto. Católico? Protestante? Não, corinthiano. Sou mais um integrante do bando de loucos e nunca me conheci sem essa doença. Frequentador de arquibancada, sou apaixonado por torcidas. Sabe aquela música do seu time? É, eu canto ela no chuveiro. Supersticioso ao extremo e disseminador da política "NÃO GRITA GOL ANTES DA BOLA ENTRAR!".

Artigos Relacionados