Jonas Hofmann, o polivalente “borussier”, completa 28 anos!

- Importante jogador dos Potros também teve passagem pelo xará de Dortmund
Jonas Hofmann

Na cidade de Heildelberg, no dia 14 de julho de 1992, nasceu o polivalente Jonas Hofmann. Atualmente jogador e ídolo do Borussia Mochengladbach. O alemão sempre teve a velocidade e o bom passe como característica. Ele chegou a seu auge técnico e físico aos 28 anos. Por isso, está na coluna Parabéns ao Craque de hoje!

Uma estrela da base

Nascido em uma das cidades mais românticas do país, a paixão pela bola falou mais alto. Assim, aos 13 anos de idade já havia chamado atenção do Hoffenheim e começou a jogar na base do clube. Atuando pela ponta esquerda foi chamado para a seleções de base alemã. Pois, havia feito um com campeonato alemão sub-17 com seis gols e uma assistência em 25 jogos.

Treinado por David Wagner foi no sub-19 que ele atraiu ainda mais olhares, fazendo 17 gols e duas assistências em 45 jogos. Além disso, começou a armar o time também. Jogando em uma equipe com Gulde e Thomalla, o jogador era o principal atleta dos Hoffes. Assim, chamou a atenção do Borussia Dortmund e, com 19 anos, mudou de time. Pela camisa da seleção de base foram 15 jogos, seis gols e três assistências. Sendo uma das peças chave nas eliminatórias para a Euro sub-21. O elenco contava com Horn, Schulz e Emre Can, por exemplo.

A passagem aurinegra

Por ser franzino, passou pelo time II antes do principal. Jonas Hofmann foi atuar na Regionalliga e foi muito bem. Atuando como ponta direita, foi titular e principal jogador da conquista da quarta divisão pelos Aurinegros. Foram 10 gols e 11 assistências em 35 jogos. Na temporada seguinte começou a ser chamado para a equipe titular, chegando a estrear na Bundesliga. No entanto, a temporada não foi tão boa no geral. A equipe não foi bem na terceira divisão, e o camisa 7 levou mais cartões amarelos do que gols.

https://twitter.com/borussia/status/1282979976434913280?s=20

A época 2013/14 foi o ápice na sua passagem pela camisa amarela. O jogador teve bastante brilhantismo pela Copa da Alemanha, na qual deu quatro assistências. Aliás, naquela temporada inteira ele foi um grande garçom, com mais de 10 passes para gols. Além disso, vivia entrando nas partidas e chegou a atuar pela Champions League.

Das lesões no Mainz para a idolatria no Gladbach

Após o bom ano em Dortmund, a equipe fez diversas contratações, e Hofmann acabou emprestado para o Mainz. Chegou a marcar um gol importante contra o Eintracht Frankfurt, no entanto, sofreu uma grave lesão no joelho, que o deixou fora dos gramados por quatro meses. Quando voltou, não conseguiu atuar 45 minutos e teve que fazer uma cirurgia que o deixou fora por quase seis meses.

https://twitter.com/UEFAcom_de/status/1283040868744802305?s=20

Ele chegou a voltar a usar a camisa aurinegra, mostrou que ainda tinha habilidade para deixar marcadores no chão, e foi contratado pelo Gladbach por 8 milhões de euros. A estrela só começou a brilhar mesmo na temporada seguinte. Jonas Hofmann se mostrava cada vez mais versátil, tanto que jogou desde segundo volante a segundo atacante. Mostrando que a sua velocidade e os passes rápidos eram ótimas válvulas de escape.

Após outras lesões em 2017/18, caiu nas graças da torcida em 2018/19. Fazendo mais graça, participando de movimentos do clube e ainda aparecendo quando o time mais precisava, virou uma das peças chave na campanha que fez os Potros acabarem em quarto lugar. Além disso, abusou da lei do ex, fazendo um hat-trick no Mainz e jogando muito bem no empate decisivo contra o Hoffenheim.

Homenagem e gratidão

Apesar de ter virado camisa 23 no Borussia Monchengladbach, foi atuando como um camisa 10 que ele foi peça fundamental na última grande temporada da equipe. Apagado por outras estrelas do time, seu papel de motorzinho do meio de campo está muito presente para o comandante Marc Rose. Mesmo assim, foi eleito o melhor jogador da equipe em junho e um dos melhores da Bundesliga pelos torcedores potros. Se não fosse as lesões, poderia ser muito mais reconhecido fora da Alemanha e ganhar mais espaço na seleção.

Ao chegar aos 28 anos, o Futebol na Veia parabeniza o jogador para que tenha menos lesões e seja ainda mais importante para a equipe com gols, assistências e velocidade, principalmente na próxima Champions League. Uma campanha convincente é o que a torcida precisa para continuar na euforia após quase ser campeã alemã.

Foto Destaque: Reprodução/Frederic Scheideman/Getty Images.

BetWarrior


Poliesportiva


Guilherme Ribeiro
Guilherme Ribeiro
Sou Guilherme Ribeiro, 20, paulista da região do ABC. Ler e escrever é um hobby, para o esporte que é a minha paixão.

    Artigos Relacionados

    Topo